Guaros vence duelo equilibrado diante do Bauru e avança em primeiro lugar

12/02/2018

Era apenas uma partida de primeira fase entre dois clubes já classificados, mas bem que poderia ser uma final, como foi em anos anteriores, quando Bauru e Guaros se enfrentaram na decisão da Liga das Américas.

 

Em um duelo recheado de alternativas, para ninguém botar defeito, o atual bicampeão da competição derrotou os donos da casa, por 93 a 88, encerrando sua participação no Grupo D de maneira invicta.

 

Preocupado com o vigor físico do adversário e sua força dentro do garrafão, que conta com Bethelmy e Echenique, Bauru testou várias formações durante a partida, sempre deixando em quadra ao menos dois atletas mais altos, quando não três. Só que, o adversário tem um vasto repertório, e com uma chuva de bolas de três pontos, assumiu o controle de jogo a partir do segundo quarto.

 

Guaros converteu dezesseis bolas de três pontos, distribuídas entre cinco jogadores, em especial Guillent, Garcia e Bethelmy (Fiba Américas).

 

Vindo do banco, Garcia foi uma das principais figuras do Guaros de Lara no duelo. Explorando muito bem os bloqueios feitos por Colmenares e Bethelmy, apareceu bem posicionado no perímetro, onde foi mortal. Cestinha dos venezuelanos na partida, com dezenove pontos, comentou sobre o embate, já projetando o reencontro entre os clubes na semifinal da competição. 

 

"Fizemos um grade jogo, muito inteligente. Abrimos uma ventagem e soubemos controlá-la durante todo o jogo. Obviamente que Bauru é uma grande equipe, que vamos enfrentar na semifinal, juntamente com os times argentinos, que também jogam muito bem. É uma Liga das Américas muito equilibrada, tem que estar focado 100%."

 

Desfalcado de Alex Garcia e Hettsheimeir, Bauru fez um jogo muito bom, sobretudo na aplicação tática. Apesar de ter levado mais de noventa pontos, o Dragão soube anular alguns pontos fortes do adversário, suprindo a ausência de seus líderes com boa colaboração de jogadores que vem crescendo de rendimento ao longo da temporada.

 

Assim como no duelo diante do Correcaminos, Renan deixou a quadra com 21 pontos (Victor Lira/Bauru Basket).

 

Além de Renan e Anthony, que mais uma vez puxaram a pontuação bauruense, com 21 e 19 pontos, respectivamente, os donos da casa tiveram participação fundamental de jovens formados no clube. Dividindo a articulação com Anthony, Stefano foi incisivo em direção à cesta, dando uma nova possibilidade a Demétrius. Jaú mostrou mais uma vez segurança na marcação e saída em velocidade, enquanto Maikão brilhou dos dois lados da quadra, dominando o garrafão e alcançando um duplo-duplo (11 pontos e 11 rebotes).

 

"Foi um bom jogo, infelizmente não saímos com a vitoria, mas classificamos e agora é focar para a próxima fase. Temos de melhorar algumas coisas, mas eu gostei bastante de atuar com jogadores mais pesados, mais fortes, saber que eu posso jogar contra eles. Agora é trazer a experiência do NBB para a Liga das Américas."

 

Por conta de todos esses aspectos, Demétrius deixou a partida confiante de que a equipe segue no caminho certo, principalmente agora que as competições começam a afunilar e o desenvolvimento coletivo do Bauru transcorre naturalmente.

 

"Foi um jogo equilibrado, diante do campeão da Liga Sulamericana, bicampeão da Liga das Américas. Atuamos sem dois jogadores, mas foi positiva nossa participação, o time evoluiu muito durante o torneio. Nosso objetivo era dar tempo de quadra para alguns jogadores que vinham jogando menos e eles mostraram uma consistência interessante. Nós vamos precisar de todos os jogadores na sequência da temporada, tanto na Liga das Américas, quanto no NBB."

 

Na próxima fase, Bauru e Guaros terão a companhia de Regatas e Estudiantes de Concordia, ambos da Argentina. Os duelos serão disputados entre 09 e 11 de março, em local indefinido, mas nos mesmo moldes da primeira fase (Bauru, Guaros e Regatas brigam para sediar a semifinal).

 

O JOGO

 

O duelo entre os últimos campeões e já classificados Bauru e Guaros de Lara já começou eletrizante. Para equilibrar no aspecto físico, os donos da casa vieram para a partida com uma formação diferente, com Jau entre os titulares. A aposta deu resultado, com Bauru protegendo muito bem o garrafão, setor de . Assim, teve espaço para contra-atacar, impondo seu estilo de jogo, com destaque para a boa articulação das jogadas e aparição de Renan como principal pontuador da equipe.

 

Com dificuldades para acionar Bethelmy e Echenique, os visitantes encontraram nas bolas de três pontos de Guillent e Bethelmy, uma maneira eficiente de enfrentar a defesa bauruense. O Dragão chegou a responder, em infiltração de Anthony e enterrada de Renan, mas o desempenho altíssimo dos venezuelanos no perímetro, sobretudo de Guillent e Colmenares, foi preponderante para que o clube chegasse a virada no final do primeiro quarto, 25 a 22.

 

A segunda unidade bauruense respondeu bem na volta para o segundo período. Enfrentado seu ex-clube, Duda trabalhou em parceria com Maikão, servindo e sendo assistido pelo companheiro, sequência que propiciou ao Bauru alcançar o empate, ainda nos minutos iniciais da segunda parcial.

 

Só que nem mesmo a crescente bauruense e a boa proteção de Maikão e Shilton, na área pintada, abalaram a confiança dos jogadores do Guaros de Lara. Pressionando quadra toda e mantendo o desempenho nas bolas de três pontos, conseguiu abrir uma boa diferença ao final do primeiro tempo após os arremessos precisos de Cabezas e Garcia, 49 a 40.

 

O início da etapa complementar foi tão movimentado e equilibrado, quanto o começo do primeiro tempo. Movimentando mais rapidamente a bola, os visitantes conseguiram criar boas oportunidades com Bethelmy, sempre no perímetro. Bauru, mesmo de maneira mais cadenciada, não ficava para trás, respondendo através das infiltrações de Anthony e das bolas de segurança de Renan. 

 

 Anthony foi outro que repetiu boa atuação, infiltrando com segurança (Victor Lira/Bauru Basket).

 

Aos poucos, o Dragão foi encaixando a marcação, impondo grandes dificuldades ao rival, que nem gastando os vinte e quatro segundos conseguia finalizar as jogadas de maneira equilibrada. O ajuste defensivo, serviu de combustível para os mandantes crescerem ofensivamente, reduzindo a desvantagem em arremessos de alta dificuldade de Osvaldo e Stefano, 69 a 63.

 

A recuperação bauruense, no entanto, acabou ficando comprometida com o início ruim de último quarto. Sem os principais jogadores em quadra, Bauru teve dificuldades de manejo e criação de jogadas, desperdiçando posses de bola e sendo castigado no contragolpe, onde o adversário anotou oito pontos consecutivos, colocando a diferença próxima dos quinze pontos.

 

Mas engana-se quem pensa que o duelo estava resolvido, longe disso. Com mais uma variação tática, Demétrius e seus pupilos botaram fogo no jogo. Com uma defesa reforçada pela entrada de Isaac e com dois armadores, Anthony e Stefano, o Dragão se reinventou, recuperando bolas e assegurando rebotes para atuar na transição. Mesmo quando o Guaros continha a saída em velocidade, Bauru causava transtornos, principalmente com seus armadores, que converteram arremessos de três pontos, baixando a desvantagem para apenas quatro tentos.

 

Com pouco tempo no relógio, Bauru precisava ser preciso, defender bem e atacar rapidamente. A defesa manteve a compostura, mas Garcia e Guillent tiraram o coelho da cartola, anotando bolas de muito longe para sacramentar a vitória dos venezuelanos, 93 a 88.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados