Irretocável no primeiro quarto, Bauru controla Minas e vence em Belo Horizonte

16/02/2018

O Bauru Basket conquistou um importante resultado no Novo Basquete Brasil. Na primeira partida pelo campeonato nacional, após a tranquila classificação na Liga das Américas, Bauru venceu o Minas, fora de casa, por 81 a 66, em partida válida pela quinta rodada do segundo turno do NBB.

 

Para conquistar o importante triunfo em Belo Horizonte, Bauru contou com um primeiro quarto daqueles de manual. Com uma defesa segura, anulou os principais jogadores do adversário, aproveitando muito bem o contragolpe e o belo momento de Renan, autor de quinze pontos no primeiro período, que terminou com sonoros 29 a 15 a favor dos paulistas.

 

Cestinha da partida com 22 pontos, Renan acumula 64 tentos nos últimos três duelos (Orlando Bento/MTC).

 

Mas engana-se quem pensa que os visitantes tiveram vida fácil. Com o ligeiro e natural relaxamento, o Dragão sofreu com a boa postura do Minas na briga pelos rebotes. Dominando a área pintada, chegou a empatar o duelo duas vezes, ambas no terceiro quarto.

 

Voltando a imprimir intensidade na marcação, os visitantes recuperaram o controle dos rebotes, dando liberdade para Anthony guiar o time na transição ofensiva. Inteligente na distribuição, o armador devolveu a tranquilidade a seus companheiros, graças também a boa colaboração de Osvaldo, outro jogador a crescer de rendimento no decorrer da Liga das Américas.

 

A consistência defensiva, marca registrada da equipe ao longo do embate, agradou o técnico Demétrius Ferracciú, que já aproveitou o momento positivo do time para projetar um grande duelo diante do Flamengo no sábado. Nos últimos anos, paulistas e cariocas criaram rivalidade acirrada por conta dos inúmeras decisões entre as equipes.

 

“Tomar 66 pontos apenas em Belo Horizonte é muito bom. No começo do jogo nossa estratégia não deu certo, mas depois com cinco dentro, fazendo pivô ficar dentro, melhoramos e a marcação encaixou. É uma vitória (em Minas) que dá moral pela sequência. Será um jogo duro contra o Flamengo, mas um jogo como esse contra o Minas nos credencia a buscar a vitória."

 

O triunfo pode não ter modificado a posição do Bauru na tabela de classificação (continua em quinto, agora com treze vitórias em vinte jogos), mas representa a manutenção da busca do G4, hoje formado por Paulistano, Flamengo, Franca e Mogi, que será adversário do Dragão nas próximas rodadas.

 

Já o Minas, segue oscilando dentro da competição. Depois de um início animador, o clube sofreu no final do primeiro turno e parecia se recuperar com as duas vitórias fora de casa na última semana. No entanto, o novo revés, agora diante de sua torcida, freia a ascensão dos mineiros, que ocupam a nona colocação, com nove triunfos em vinte confrontos.

 

O JOGO

 

Logo de cara Renan e Wesley mostraram seus cartões de visitas. O ala-pivô bauruense anotou os primeiros pontos da partida, em bola de três pontos. Em seguida, o pivô minastenista anotou arremesso curto, dando sinais do que viria pela frente. Mesclando arremessos de média e longa distância, Renan era a principal referência ofensiva do Bauru, enquanto Wesley mantinha o Minas próximo no marcador, com ganchos curtos e enterrada.

 

O equilíbrio, no entanto, acabou ficando de lado a partir da metade do primeiro quarto. Dominando os rebotes e servindo seus companheiros, Shilton se juntou a Jaú, Renan e Osvaldo, como principais apoiadores de Renan, que voltou a converter arremesso do perímetro, fechando o primeiro quarto de maneira irretocável, assim como todo o quinteto bauruense, 29 a 15.

 

Os primeiros minutos do segundo período foram de muita disposição mas também de muitos erros. Com os rivais reforçando a marcação dentro do garrafão, o placar só voltou a ser movimentado depois de três minutos, em arremesso longo de Rush. Mas engana-se quem pensa que a partir daí, as equipes se acertaram. Distribuindo tocos, as defesas levavam ampla vantagem sobre os ataques, deixando o marcador inalterado por mais três minutos.

 

Ligeiramente superior, o Minas foi descontando a desvantagem com a colaboração da trinca formada por Rush, Roquemore e Big, quase sempre em tiros à média distância. Com pouca criatividade, o Bauru diminuiu o prejuízo parcial em duas bolas do perímetro de Hettsheimeir, que ganhou mais tempo de quadra após o incômodo na panturrilha direita, 37 a 29.

 

 Em apenas treze minutos em quadra, Hett contribuiu com onze pontos (Orlando Bento/MTC).

 

Nem mesmo o intervalo e as instruções de Demétrius foram capazes de acordar a equipe bauruense no começo do segundo tempo. Desligado, Bauru viu o Minas chegar ao empate com Teichmann dominando os rebotes e Wesley emplacando dois arremessos de três pontos, tudo isso em apenas dois minutos. Osvaldo tentou dar um respiro aos visitantes, devolvendo na mesma moeda, mas outro boa sequência de Teichmann, próximo à cesta, decretou novo empate.

O Dragão só voltou aos trilhos a partir da metade da parcial, quando os visitantes exerceram uma proteção aos rebotes, dando a liberdade necessária para Anthony assumir a responsabilidade na contra-ofensiva. Agressivo, o armador abusou das jogadas de pick-and-roll com Shilton, servindo seus companheiros e pontuando, como nos lances livres decorrentes de infiltração e na bola de três pontos, que deu números finais ao terceiro quarto, 57 a 47.

 

Assim, como vinha sendo tônica da partida, o time que fechou o período anterior melhor, começou em grande estilo, no caso o Bauru. Mesmo com a entrada de alguns jogadores da segunda unidade, os visitantes mantiveram a solidez defensiva e o poder de fogo na transição, especialmente com Duda e Renan, responsáveis por aumentar a diferença para dezessete pontos, a sete minutos do final do jogo.

 

Sem outra alternativa, se não acelerar o ritmo de jogo, o Minas apostou em ataques rápidos, utilizando sequer metade do tempo de posse de bola. Por alguns vezes, a estratégia funcionou, sobretudo com Roquemore, mas a regularidade bauruense dentro do período e o baixo aproveitamento dos mandantes na linha dos três pontos, foram preponderantes para o time paulista manter a vantagem, sacramentando a vitória na linha do lance livre, com Hettsheimeir, 81 a 66.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo