Caxias vence confronto direto e consolida oitavo lugar no NBB

28/02/2018

O Caxias deu um grande passo na luta para se manter no G8 do Novo Basquete Brasil, grupo que terá o mando de quadra nas oitavas de final. Jogando no Ginásio Vasco da Gama, venceu o confronto direto diante do Basquete Cearense, por 67 a 60.

 

O triunfo sobre o Carcará foi fundamental para a equipe sulista, que além de abrir duas vitórias de vantagem sobre o rival, também leva a melhor nos critérios de desempate em um eventual empate, impondo uma condição delicada aos comandados de Bial, que precisam tirar três vitórias de diferença nos últimos cinco jogos.

 

Para deixar a quadra nessa situação confortável, o Caxias teve trabalho. Depois de começo de jogo irretocável, quando chegou a abrir dezessete pontos, os donos da casa viram os visitantes reagirem, chegando, inclusive, a assumir a liderança do confronto no último período. Com maturidade, recolocou a cabeça no lugar, controlou melhor os nervos e, consequentemente, a posse, assegurando a vitória.

 

Além da agressividade defensiva, o destaque fica por conta da participação dos armadores na equipe comandada por Rodrigo Barbosa. Cestinha da partida com vinte pontos, Cauê Borges, assim como Pedro, buscou as infiltrações, enquanto Cauê Verzola e Cafferata mostraram boa pontaria no perímetro. Juntos, anotaram 57 dos 67 pontos do Caxias no duelo.

 

Do outro lado, Sualisson, com duplo-duplo, Rashaun e Paulinho pontuaram acima dos dez pontos. Felipe, com nove tentos e doze rebotes também apareceu bem, mas a baixa pontuação de alguns pilares da equipe, somada ao fato do Carcará correr atrás do marcador durante toda a partida, foram decisivos para o revés.

 

Como dito anteriormente, o Caxias permanece na oitava colocação, com doze vitórias em vinte e três jogos. Já o Basquete Cearense, perdeu um posição (para o Minas), caindo para o décimo lugar, com dez triunfos nas mesmas vinte e três rodadas.

 

O JOGO

 

Imprimindo um forte ritmo defensivo, marca registrada da equipe na competição, o Caxias iniciou a partida de maneira avassaladora. Protegendo os rebotes defensivos, muitas das vezes com Paranhos, saiu em velocidade, impulsionado pela trinca de armadores, dentre eles Pedro, autor de consecutivas infiltrações, fundamentais para os mandantes abrirem 11 a 0.

 

Sem os mesmos índices de confiança, o Basquete Cearense só conseguiu causar algum dano com base na disposição, que lhe rendeu alguns rebotes ofensivos. Mesmo assim, seguiu com baixo aproveitamento nos arremessos de quadra, anotando apenas dois arremessos em toda a parcial. Mantendo a intensidade, os sulistas fecharam o primeiro quarto com larga vantagem, 20 a 8.

 

O desempenho ofensivo das equipes no começo do segundo quarto ficou aquém do esperado. Com dificuldades para criar jogadas, os ataques causaram poucos problemas as defesas. Até quando encontravam espaços, arremessando livre, os rivais desperdiçavam as oportunidades. Só depois de quatro minutos, o Caxias conseguiu deslanchar, abrindo quase vinte pontos de diferença, após cestas de Cafferata e Pedro.

 

O Carcará começou a jogar após a entrada de Paulinho e Felipe. Apresentando consistência defensiva, mas dando também dinâmica ao ataque, com infiltrações do armador e tiros longos do pivô, a dupla recolocou o Cearense na partida, emplacando onze pontos consecutivos. No minuto final, Nandão e Cauê Borges pontuaram, quebrando o jejum dos donos da casa, que foram para o intervalo ainda com vantagem considerável, 31 a 21.

 

Crescendo de produção no decorrer do confronto, Cauê Borges foi fundamental nos minutos finais (Matheus Magnani/Caxias do Sul).

 

Na volta do intervalo, os visitantes viveram seu melhor momento na partida. Reforçando a marcação no garrafão, tirou o plano de jogo do rival, que se viu obrigado a queimar arremessos do perímetro, sem sucesso. A consistência defensiva, permitiu aos comandados de Bial, trabalhar a posse de bola no ataque. Liderado por Rashaun, mas com participação decisiva de Felipe e Sualisson, o Carcará chegou ao empate com Davi, na metade da parcial.

 

Redobrando as atenções na articulação de Rashaun, o Caxias voltou a desgarrar no marcador, com Pedro e Cauê Borges, abrindo oito pontos através do contragolpe. No entanto, o momento era favorável aos visitantes, que voltaram a encostar no placar após lances livres de Betinho e bandeja de Sualisson, 47 a 45.

 

O duelo, que já era quente, pegou fogo no último período. Logo no primeiro minuto, Felipe e Betinho converteram arremessos à média distância, dando a liderança do confronto ao Cearense pela primeira vez. Mas nem deu tempo da equipe comemorar, porque o Caxias recuperou a dianteira rapidamente, após as bolas de três pontos de Cafferata e Verzola, além do lance livre de Cauê Borges, decorrente de falta técnica cometida por Davi, que já havia sido punido no primeiro tempo e deixou a quadra.

 

Sem se abater com a ausência de seu capitão e a recuperação do adversário, os visitantes buscaram o empate com arremessos de três pontos de Rashaun e Sualisson, deixando a partida aberta, a menos de dois minutos para o final. Exercendo forte pressão na marcação, controlando a posse de bola, sempre buscando as infiltrações, o Caxias sacramentou o triunfo na linha do lance livre, fruto das três faltas antidesportivas apontadas pela arbitragem e aproveitadas por Cauê Borges, 67 a 60. 

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags