De ponta a ponta: Bauru vence e segue alimentando esperança de ingressar no G4

01/03/2018

O Bauru Basket iniciou a dura sequência de seis jogos em doze dias, com o pé direito. Jogando ao lado do seu torcedor, confirmou o favoritismo e venceu a Liga Sorocabana, por 95 a 73, em partida válida pela oitava rodada do segundo turno do Novo Basquete Brasil.

 

A partida marcou o retorno de Alex às quadras. Ausente nos últimos vinte dias por conta de uma colite, o Brabo deixou a quadra com o mesmo espírito de sempre. Celebrando a vitória, mas cobrando melhoras para a sequência do campeonato, Alex falou sobre sua condição física e projetou melhora para os próximos compromissos, em especial a Liga das Américas.

 

"Hoje a obrigação era nossa, mas não podemos também tomar mais de setenta pontos, mas foi válido, de uma forma geral fomos bem.Estou me sentindo bem. Até a Liga das Américas ainda temos dois jogos, então é se dedicar nos treinos, nos jogos, e chegar em um ritmo bom, para voltar da Argentina com a classificação, porque time nós temos."

 

Em pouco mais de vinte minutos, Brabo contabilizou dez pontos e oito rebotes, se aproximando de duplo-duplo (Victor Lira/Bauru Basket).

 

Atento as variantes do campeonato, Demétrius faz questão de ressaltar a importância do próximo jogo, diante do Pinheiros, na sexta. Ainda sonhando com o G4, que voltou a ficar possível após os recentes tropeços do Mogi das Cruzes, Bauru terá pela frente um adversário qualificado, que também segue na luta direta por uma vaga no grupo que avança direto às quartas-de-final.

 

Por conta da importância e proximidade das duas competições, Demétrius aproveitou a partida para fazer uma espécie de laboratório, testando algumas situações diferentes, além de distribuir a minutagem de seus atletas, deixando todos em quadra por pelo menos dez minutos. Ao final do duelo, comentou sobre essas variações e sobre todas as coisas que passam pela cabeça não só dele, como de toda a comunidade bauruense.

 

"Confronto direto que vai nos dar a chance de continuar brigando pelo G4, que é o objetivo da equipe. Mas temos de pensar jogo a jogo, baixar nossa margem de erros. Eu fiz mais modificações para pensar no encaixe da equipe em si, independentemente dos adversários. No primeiro e segundo quarto testei algumas formações que na minha opinião não deram muito certo. No terceiro quarto, para não correr risco, eu igualei os quatro abertos (a formação) e conseguimos aumentar nossa vantagem."

 

Um dos jogadores que vem ganhando espaço nesse novo sistema de jogo, que vem sendo aperfeiçoado a cada duelo, é o ala-pivô Gabriel Jaú. Apresentando equilíbrio interessante nos dois lados da quadra, com roubadas e agressividade em direção à cesta, minimizou a titularidade, mas comemorou a evolução.

 

"O Demétrius está passando confiança para nós. Ele está mostrando que cada um pode confiar no outro, dar mais liberdade, e isso tem sido o mais importante no desenvolvimento meu e da equipe."

 

Enquanto o Bauru vive grandes expectativas para a sequência da temporada, a Liga Sorocabana vive um momento delicado. Na última posição do NBB, a Cavalaria até fez um bom primeiro tempo, mas com muitos desfalques, não suportou a superioridade física e técnica do Dragão, como reforça Crescenzi, cestinha da partida com 20 pontos.

 

"Fizemos um bom jogo mas sentimos falta de nossos pivôs, como o Mineiro, Drudi, Lucão. Nosso objetivo é melhorar a cada jogo, lutar por algumas vitórias e ver o que vai acontecer na classificação."

 

O JOGO

 

O Bauru iniciou a partida mantendo o mesmo sistema de jogo apresentado na Liga das Américas, com um quinteto leve e alto (Osvaldo, Jaú e Shilton na composição), reforçando a marcação e permitindo que a equipe atuasse mais próximo da cesta. Agressivo na defesa, distribuiu tocos e recuperou posses de bola, aproveitando a saída em velocidade de Jaú, para largar na frente, após duas enterradas do ala-pivô.

 

Agressivo nos dois lados da quadra, Jaú tem sido peça fundamental no Dragão (Victor Lira/Bauru Basket).

 

Apesar do bom trabalho defensivo e dos rebotes ofensivos, capturados com relativa facilidade, o Dragão não conseguia aproveitar o maior volume de jogo, desperdiçando arremessos dentro do garrafão, o que abriu brecha para o adversário se manter próximo, com destaque para a participação de Crescenzi. No entanto, após a entrada de Alex e Hettsheimeir, Bauru fez valer a superioridade técnica, abrindo a quadra e pontuando no perímetro, com o pivô e com Anthony, 19 a 12.

 

Assim como no primeiro quarto, o segundo período começou equilibrado. Modificando bastante a formação da equipe, até em função de testes para a Liga das Américas, os donos da casa intensificaram as ações em Hettsheimeir, que não teve o desempenho rotineiro no perímetro. Distribuindo melhor as jogadas, a Liga Sorocabana levou vantagem nas infiltrações, se aproximando no marcador, em arremessos de Cook e Crescenzi, no limite dos vinte e quatro segundos.

 

Liderado por uma trinca de jogadores formados na base do clube, o Dragão equilibrou a parcial. Com Stefano na armação, e um garrafão formado por Jaú e Maikão, o time da casa conteve melhor as infiltrações do rival, aproveitando o vigor físico do camisa 18 na área pintada e arremesso de fora de Duda, para ir para os vestiários com a vantagem restabelecida, 38 a 29.

 

Se no primeiro tempo, Bauru teve altos e baixos, na volta para a etapa complementar, a equipe deslanchou. Colocando em quadra aquele que deve ser o quinteto titular na sequência da temporada, Demétrius viu seus pupilos apresentarem um basquete seguro, com boa proteção defensiva, velocidade na transição e precisão na linha dos três pontos, com arremessos certeiro de Jaú, Alex e Osvaldo, abrindo dezesseis pontos de frente.

 

Com poucas opções no banco de reservas (tinha apenas três opções), a Cavalaria tentou atacar em velocidade, e obteve êxito em jogadas individuais de Brite e Crescenzi, mas os mandantes tinham mais opções, dentre elas Alex e Hettsheimeir. Com muita categoria, a dupla destoou no garrafão, anotando, nada mais, nada menos, que dezoito pontos na parcial, mantendo a diferença bem confortável, 68 a 51.

 

Depois de um primeiro tempo discreto, Hettsheimeir dominou a área pintada, terminando como cestinha da equipe com dezesseis pontos (Victor Lira/Bauru Basket).

 

O início do último quarto foi um pouco mais equilibrado. Mesmo com a partida praticamente resolvida, os adversários mantiveram a concentração, movimentando a bola para encontrar um companheiro melhor posicionado. Depois de algumas trocas de cestas nos primeiros minutos, o Dragão, sem maiores dificuldades, colocou a diferença na casa dos vinte pontos, após arremesso de Duda, na zona morta.

 

O final de jogo, que poderia ser mais burocrático, ficou de lado com as belas jogadas dos mandantes, que levantaram a torcida após toco de Alex, arremesso longo de Stefano e enterrada de Maikão. Além disso, Lucas Maciel ainda acabou excluído após ter cometida uma falta antidesportiva e uma técnica, no intervalo de vinte segundos. Com a cabeça no lugar, Bauru apenas administrou o relógio, fechando a partida com tranquilidade, 95 a 73.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags