Bauru vence Botafogo com placar centenário

25/03/2018

O Bauru Basket deu um grande passo para confirmar a quinta colocação no Novo Basquete Brasil. Jogando em casa, mesmo diante de baixo público, fez valer o mando de quadra e venceu com tranquilidade o Botafogo, com direito a placar centenário, de 103 a 78.

 

Apesar do Dragão ter tido o controle de jogo durante os quarenta minutos, foi após o intervalo que a equipe de Demétrius deslanchou. Apresentando boa distribuição de jogo entre setores e atletas, os mandantes foram transformando a superioridade no marcador.

 

A participação mais efetiva dos alas da equipe, que vem alternando boas e más partidas, agradou ao técnico Demétrius, que após o jogo fez questão de ressaltar o papel que eles podem desempenhar na pós temporada, que começa já na próxima semana.

 

"A gente visa que todos os jogadores tenham volume de jogo e estejam confiantes para o playoff, porque você vai precisar de todo mundo. Eu sempre falo pra eles que o elemento surpresa em um playoff vem muitas vezes do banco e nós temos condições, pelo nível do nosso grupo, de qualquer um ser uma surpresa. Hoje o Isaac fez uma partida interessante, descobrindo alguns cortes. O Osvaldo, que estava um pouco apagado, foi um jogador que contribuiu muito."

 

 Osvaldo contribuiu com dezoito pontos (Victor Lira/Bauru Basket).

 

Apesar da coletividade da equipe, que contou com seis atletas pontuando na casa dos dígitos duplos, Bauru também contou com mais uma partida segura de um de seus principais jogadores, Hettsheimeir. O pivô, que no final de semana passado faturou o Título do Torneio de Três Pontos, repetiu o desempenho no perímetro, terminando o duelo como cestinha, com 23 pontos.

 

Ao final da partida, Hettsheimeir comentou sobre a partida coletiva da equipe diante do Botafogo, provável adversário do Dragão nas oitavas de final da competição. Para isso, o time precisa vencer o Vasco da Gama, confirmando o quinto lugar que lhe condicionaria a atuar diante do alvinegro, clube de pior campanha dentre os classificados.

 

"Fizemos um grande jogo, apesar de ter sofrido 78 pontos. Mas as equipes estão bastante iguais, o playoff é um outro campeonato. Mas a gente está treinando bem, trabalhando forte para entrar bem nos playoffs."

 

Hettsheimeir deixou a  quadra com mais um duplo-duplo: 23 pontos e 10 rebotes (Victor Lira/Bauru Basket).

 

O Botafogo pode não ter feito uma grande partida, mas ainda assim, teve alguns motivos para comemorar. Isso porque o clube, mesmo com a derrota, garantiu a classificação à pós temporada uma vez que o Joinville foi derrotado para o Paulistano. Além disso, Gabriel veio do banco e fez grande partida. Para o ex-jogador do Bauru Basket, a palavra de ordem é aprendizado.

 

"O retrato do jogo é o terceiro quarto. Eles fizeram doze a zero em dois minutos. Aí fica muito difícil de buscar. É uma equipe qualificada, experiente, que sente muito confortável dentro de casa. Provavelmente vamos nos reencontrar nos playoffs na semana que vem, então serve de aprendizado, de lição para sair daqui fortalecido e fazer bons jogos nos playoffs."

 

Antes de possivelmente se encontrarem no mata-mata, os times voltam a quadra na próxima terça feira. O clube paulista recebe o Vasco da Gama, para confirmar o quinto lugar, enquanto o alvinegro visita o Franca em busca de ritmo de jogo.

 

O JOGO

 

O Bauru Basket começou a partida com uma configuração habitual, com três jogadores mais altos, mas com um sistema de jogo completamente diferente. Priorizando as infiltrações, o Dragão encontrou na individualidade de Jau sua principal referência ofensiva. Com boa leitura de jogo, o ala-pivô distribuiu assistências para Osvaldo, Anthony e Hettsheimeir, dando o controle das ações aos mandantes.

 

Com a confiança estabelecida pelas bolas de segurança, o Bauru começou a variar seu jogo, incrementando arremessos de fora. Assim, com Osvaldo e Hettsheimeir aparecendo de maneira efetiva no perímetro, o Dragão chegou a colocar a diferença em dez pontos. O Botafogo respondeu com Jamaal e Gabriel, mas Duda encestou outra bola de três pontos, dando tranquilidade aos donos da casa, 27 a 20.

 

A vantagem bauruense, no entanto, foi embora rapidinho. Com dificuldades para criar jogadas, a equipe não ofereceu perigo ao rival, que teve aproveitamento acima de 90% nos primeiros minutos. Liderados por Gabriel e Coimbra, o alvinegro aplicou uma corrida de 11 a 4, para empatar a partida em 31 pontos.

 

Aos poucos, o Bauru foi se encontrando. Primeiro através das saídas em velocidade de Duda, que renderam assistências para Hetssheimeir e Stefano, bem posicionados. O Dragão, porém, seguia com dificuldades para proteger seu garrafão, dominado por Átila e Coimbra. Quando conseguiu emplacar duas boas defesas em cima da dupla, conseguiu empatar a parcial, indo para os vestiários com diferença na casa dos sete pontos após bandeja de Maikão e outro arremessos de três pontos de Duda no estouro do cronômetro, 48 a 41.

 

O terceiro quarto, que vira e mexe tem sido um transtorno para o Bauru ao longo das últimas temporadas, dessa vez foi amplamente dominado pelo Dragão. Com um festival de enterradas de Jaú e Osvaldo, e arremessos de fora do próprio lituano e de Hettsheimeir, os mandantes impuseram sonoros 12 a 0 nos dois primeiros minutos, para abrir dezenove pontos de frente.

 

Agressivo em direção à cesta, Jaú deixou a quadra com onze pontos e quatro assistências (Victor Lira/Bauru Basket). 

 

Os visitantes, mesmo diante da marcação agressiva dos donos da casa, tentaram responder nos arremessos à média distância de Guga e nas bolas de três pontos de Jamaal e Arnaldo. Mas o período foi todo do Bauru, que manteve o aproveitamento alto, tanto nas bolas do perímetro (62%), convertidas por Isaac e Anthony, quanto nas infiltrações (100%), anotadas por Jaú, indo para o último quarto com a vitória encaminhada, 80 a 62.

 

O começo da quarta e última parcial ficou marcado por uma movimentação intensa dentro de quadra, mas muito discreta no marcador, tamanho número de faltas e violações dos dois clubes. Prova disso se resume na maneira com que os adversários pontuaram. Ligeiramente superior, o Botafogo anotou todos os sete pontos na linha do lance livre, enquanto Anthony respondia do outro lado.

 

Em meio a rotação promovida por Demétrius, ainda sobrou tempo para a torcida bauruense comemorar a exclusão de Coimbra, que teve passagem por um dos maiores rivais do Dragão, o Franca. No final das contas, vitória dos mandantes, com relativa facilidade, por 103 a 78.
 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags