Cearense vira sobre o Pinheiros e se classifica para as quartas pela primeira vez na história

12/04/2018

O Basquete Cearense viveu a noite mais importante de sua história nessa quarta (11). Jogando ao lado do seu torcedor, que lotou o Ginásio Paulo Sarasate, a equipe de Bial confirmou a classificação inédita às quartas de final, com mais uma vitória sobre o Pinheiros, dessa vez por 64 a 63.

 

O classificação sobre os paulistas, que na temporada passada foram semifinalistas, coroa um trabalho longo desenvolvido por Bial à frente do Carcará. Depois de bater na trave por duas vezes, a equipe conseguiu vencer um playoff e se consolidar como uma das principais equipes do país.

 

União time e torcida foi fundamental para o Carcará superar adversário de tradição (Stephan Eilert).

 

Para o comandante, a qualidade do adversário enaltece o feito do Cearense, que conta com Betinho, definido como craque pelo treinador. Emocionados, deram entrevistas juntos ao SporTV e comemoraram muito a classificação.

 

"Nesse momento o grande mérito da equipe foi a meritocracia. O Pinheiros é uma grande equipe, uma potência olímpica, e conseguimos vencer três jogos. Mas nós temos um craque, que despontou para o basquete mundial com apenas 18 anos, e contribui demais para essa campanha nossa."

 

Quem também merece destaque pela partida que fez hoje e pelo que vem fazendo ao longo da temporada é o pivô Leozão. Ainda que não tenha conseguido desenvolver seu jogo ofensivamente, foi fundamental na proteção defensiva e captura dos rebotes, ganhando a companhia de Sualisson no balanço defensivo/ofensivo do time.

 

Vindo do banco, o ala formado nas categorias de base liderou a reação do Carcará na segunda etapa, sobretudo no último período, quando anotou nove pontos, dando o controle do jogo à seus companheiros.

 

Agora o Basquete Cearense terá pela frente o Paulistano, equipe que o eliminou na temporada anterior em um duelo extremamente acirrado, sendo decidido apenas na quinta partida e com placar apertado, por 76 a 72. A Liga Nacional deve divulgar, ainda amanhã, a data dos confrontos.

 

O JOGO

 

O duelo entre Cearense e Pinheiros começou em alto nível. Assumindo a liderança da equipe, que precisava vencer para se manter vivo na competição, Bennett ditou o ritmo de jogo do time, enquanto Gemerson caprichou nos arremessos de três pontos para dar vantagem aos visitantes nos primeiros minutos. 

 

Com dificuldade para envolver todo seu quinteto, o Carcará chegou a se aproximar no marcador na individualidade de Betinho, mas a desorganização, os desperdícios de lances livres e a constância do rival, fizeram a equipe paulista fechar o primeiro quarto à frente, 21 a 13.

 

O Cearense não voltou bem para o segundo período, permitindo ao Pinheiros colocar a diferença acima dos dez pontos após os arremessos de Toledo e Holloway, ainda na primeira volta do relógio. A sequência mexeu com os donos da casa. Imprimindo mais intensidade, encostou no marcador com um ataque equilibrado, com destaque para as bolas de fora de Felipe e a bandejas de Leozão.

 

Igualando a agressividade defensiva do rival, o Pinheiros freou o ímpeto dos comandados de Bial, que vinham em ascensão. A preocupação defensiva das equipes causou transtornos aos ataques, que tentaram fugir da marcação em jogadas individuais, quase sempre sem sucesso. Na reta final da parcial, Gemerson e Arthur pontuaram, dando respiro ao Pinheiros, que foi para o intervalo vencendo por 37 a 30.

 

Os primeiros minutos da etapa complementar foram de muita disposição, pouca paciência e inúmeros erros. Na ansiedade de construírem o resultado, os adversários tiveram pouca leitura de jogo, forçando arremessos que refletiram diretamente no andamento da partida. Entre desperdícios e air-balls, o placar apontava vitória parcial de cinco a quatro para o Pinheiros na metade do período.

 

No duelo entre defesas sólidas, o Carcará se impôs. A aplicação tática, somada à disposição, anulou as principais peças do adversário, dando campo para a equipe contra-atacar. Decisivo na distribuição e conclusão das jogadas, Paulinho ganhou a companhia de Sualisson na contra-ofensiva. O crescimento levou a equipe à liderança, mas na última posse de bola, Bennett recolocou os visitantes na dianteira, 46 a 45.

 

O equilíbrio e as trocas de liderança persistiram no último quarto. À princípio, o Cearense apostou nos arremessos longos de Rashaun e Betinho, enquanto o Pinheiros respondia nas bolas de segurança de seus homens mais altos, especialmente Toledo e Arthur Benardi. 

 

Aos poucos um elemento surpresa roubou a cena. Formado na base do clube, Sualisson dominou a área pintada, tanto no ataque quanto na defesa. Acumulando marcações eficientes, rebotes e arremessos de média e também longa distância, o ala foi fundamental para sua equipe abrir oito pontos, a pouco mais de um minuto do final do jogo, encaminhando a vitória e a classificação.

 

Mas, como vem sendo corriqueiro nesses playoffs, um minuto reserva muitas emoções. Liderado por Bennett e Gemerson, o Pinheiros reagiu e teve a oportunidade de sacramentar a virada, que o manteria vivo na competição. Mas, Ware parou na boa marcação do Carcará, que venceu por 64 a 63 e se garantiu nas quartas de final.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags