Mogi vence duelo equilibrado e larga na frente nas quartas de final

14/04/2018

Os prognósticos apontavam, a série entre Mogi e Caxias tinha tudo para ser equilibrada. E, no primeiro confronto entre eles, a paridade ficou bem clara, com diversas trocas de liderança, empates e mudanças de panorama.

 

No final das contas, vitória mogiana, na casa do adversário, pelo placar apertado de 63 a 60. Com o triunfo conquistado no sul do país, a equipe paulista abre 1 a 0 na série melhor de cinco jogos. Os dois próximos jogos serão no Hugo Ramos, na quarta e na sexta feira. 

 

Entre todos os elementos que dissemos anteriormente como marcadores do equilíbrio e disputa da partida, um fator fez diferença para os visitantes. O desempenho individual de Tyrone. Principal nome da equipe na temporada, o ala-pivô se desdobrou em quadra, terminando como cestinha do duelo com 24 pontos, sendo doze deles no último período, quando Mogi construiu sua recuperação.

 

Ao final da partida, em entrevista para a Band, comentou sobre a importância da vitória fora de casa e da sequência da competição. Para ele, apesar do triunfo e dos jogos consecutivos em casa, ainda há muita história para ser contada nessas quartas.

 

"Foi um bom jogo. A gente não jogou do jeito que queria, mas graças a Deus saímos com uma vitória diante do Caxias, que é um bom time. Mas ainda precisamos melhorar, porque agora é playoff."

 

Pelo lado do Caxias, o grande destaque, mais uma vez, foi o ala-armador Cauê Borges. Intenso nos dois lados da quadra, liderou os companheiros a partir do segundo quarto, terminando a partida como maior pontuador da equipe, com 21 tentos, expressivos, porém insuficientes para evitar a derrota dentro de casa.

 

O JOGO

 

Como esperado, Caxias e Mogi mostraram, desde os primeiros minutos, que fariam um duelo aberto e equilibrado. Atuando de maneira solta dentro de quadra, os adversários se alternaram na liderança do marcador, com destaque para o desempenho de Cauê Borges e de Tyrone, líderes de suas equipes.

 

O time paulista, demonstrando mais tranquilidade, até em função de sua história dentro dos playoffs, começou a se impôr a partir da metade da parcial. Contando com participação efetiva de Jimmy nos dois lados da quadra, os visitantes fecharam o primeiro quarto com vantagem de sete pontos, 18 a 11.

 

O começo do segundo período foi um tanto quanto monótono, com pouca desenvoltura do trabalho coletivo, muitos desperdícios de posse de bola, que resultaram em baixa movimentação no placar. Somente a partir da enterrada de Tyrone, já no terceiro minuto da parcial, modificou o cenário, despertando os times.

 

Depois de ver os visitantes abrirem dez pontos de frente, em lances livres de Fabrício, o Caxias reagiu. Conseguindo imprimir, pela primeira vez na partida, seu estilo de jogo, os mandantes equilibraram a parcial com recuperações de bola acompanhadas de bandejas de Cauê Borges e Warren, 32 a 28.

 

Tyrone permaneceu em quadra durante mais de 38 minutos, tamanha importância para a equipe (Felipe Nyland/LNB).

 

O Caxias voltou mais agressivo e organizado na etapa complementar. Mantendo a defesa forte, mas trabalhando melhor a posse em jogadas de cinco contra cinco, a equipe machucou a defesa mogiana com artilharia pesada na linha de três pontos (Verzola, Borges e Pedro) e na linha do lance livre, com o próprio ala-armador, assumindo a liderança pela primeira vez no jogo.

 

A sequência incendiou a torcida sulista, na mesma medida em que mexeu com os pupilos de Guerrinha, que não conseguiu acertar sua equipe nem com os pedidos de tempo, nem com as diversas modificações promovidas. Nesse cenário, os donos da casa fecharam o terceiro período com relativa vantagem, 50 a 45. 

 

A diferença construída pelos mandantes ao longo de todo o terceiro quarto foi liquidada rapidamente. Liderado por Tyrone, que emplacou oito pontos consecutivos, sendo seis deles no perímetro, o Mogi das Cruzes virou sobre o Caxias, abrindo cinco de frente, no início do último período.

 

Os donos da casa não se abateram e foram buscar o empate. Isolando Tyrone do jogo com marcação apertada, a equipe chegou a igualdade em jogadas individuais de Alex e Cafferata, deixando duelo aberto, a dois minutos do final.

 

Depois de algumas investidas sem sucesso dos ataques, o Mogi conseguiu recuperar a ponta em rebote ofensivo de Shamell. Saindo em velocidade, o Caxias teve a oportunidade de passar a frente, a poucos segundos do final, mas optou pelo arremesso de três pontos. O erro obrigou a equipe a colocar o adversário na linha do lance livre. Tyrone converteu os arremessos e os mandantes ainda tiveram a última posse, mas Cauê Borges falhou e a vitória foi mogiana, 63 a 60.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags