Bauru se impõe no Pedrocão e fica a uma vitória das semifinais

20/04/2018

O Bauru Basket deu um importante passo na luta por uma vaga nas semifinais do Novo Basquete Brasil. Mesmo atuando fora de casa, Bauru se impôs dentro do Ginásio Pedrocão, venceu Franca por 83 a 77, abrindo 2 a 0 na série, ficando, assim, a uma vitória de confirmar a classificação à próxima fase.

 

Assim como no primeiro confronto entre as equipes, disputado na cidade Sem Limites, o placar apertado não reflete a história da partida. Repetindo a postura agressiva na defesa e a distribuição no volume de jogo, o Dragão chegou a abrir vinte e um pontos de vantagem na reta final do terceiro período.

 

A reação francana, mais uma vez, veio apenas nos minutos finais do confronto, que a tornou tardia diante da superioridade bauruense durante praticamente toda a partida. Ao final da partida, em entrevista para a Liga Nacional, Rafa Luz comentou justamente sobre ter de correr atrás do adversário no marcador.

 

"Eles vieram com a proposta de defender com uma zona e nós não soubemos atacar. A partir do momento que começamos a defender bem e sair em transição, foi quando entramos no jogo. Mas tivemos passes errados, arremessos ruins e eles voltavam a abrir. É um duelo de vida ou morte, porque, se perdermos, estamos fora."

 

Como bem ressaltado por Luz, Bauru apostou em uma defesa por zona, o que desestruturou o ataque francano. Ainda que o maior potencial ofensivo da equipe de Helinho seja no perímetro, setor que possui certa liberdade no sistema zona, os encaixes de rotação defensiva foram mais precisos, o que tirou a liberdade dos adversários tanto nos chutes, quanto nas infiltrações.

 

Hettsheimeir alcançou mais um duplo-duplo pela equipe bauruense, 13 pontos e 12 rebotes (Newton Nogueira)

 

Um dos destaques do Dragão no clássico e também ao longo da pós temporada, Jaú comentou sobre esse balanço defensivo, fundamental para enfrentar adversários qualificados nessa altura do campeonato.

 

"A nossa defesa está sendo mais importante para as nossas vitórias. Nós estamos trabalhando isso desde o começo dos playoffs e mesmo com algumas perdas, como a do Alex e do Renan, estamos superando, levando isso como motivação, de fazer isso por eles."

 

Do ponto de vista coletivo, dois números comprovam a maior desenvoltura bauruense nessa noite. A equipe comandada por Demétrius distribuiu vinte assistências contra quinze do rival, o que propiciou que mais atletas contribuíssem na pontuação.

 

Ao todo, quatro atletas passaram da casa dos dez pontos (Jaú, Duda, Hettsheimeir e Osvaldo), além de outros quatro que beiraram a casa dos dígitos duplos, enquanto apenas Jefferson e Leo Meindl superaram os dez pontos pela equipe francana.

 

Em vantagem na série, Bauru pode sacramentar a classificação se vencer o duelo de sábado, novamente no Pedrocão, às 14 horas. Ao Franca, só a vitória interessa, já que nova derrota significaria o fim da linha para a equipe na competição.

 

O JOGO

 

Os primeiros minutos de partida ficaram marcados pelo nervosismo, principalmente dos donos da casa. Estourando o limite de faltas coletivas com apenas três minutos de jogo, teve de afrouxar a marcação e viu o Bauru se impôr, com destaque para o desempenho defensivo da equipe e a pontaria afiada de Osvaldo e Jaú.

 

Durante certo momento do período, o Franca chegou a se aproximar no marcador, apostando nos arremessos longos de Pedro e bolas de segurança de Jefferson. Mas ainda assim, era pouco colaborativo, o que permitiu ao Dragão reconstruir a vantagem, fechando o primeiro quarto com oito de frente, após tramas dentro do garrafão francano, 22 a 15.

 

O cenário, que já era favorável aos visitantes, ficou ainda mais positivo. Mantendo a postura defensiva, anulou a articulação do rival e saiu em velocidade. Na contra-ofensiva, apresentou desempenho avassalador no perímetro, com bolas certeiras de Duda e Isaac (duas vezes), para colocar a diferença em dezoito pontos.

 

Depois de dois pedidos de tempo técnico, Franca melhorou. Dando menos espaço na defesa, principalmente para os armadores do rival, a equipe mandante conseguiu construir boas tramas ofensivas, imprimindo sequência de onze pontos, com ênfase nas bolas de três pontos de Jefferson e Leo Meindl. Porém, no minuto final do primeiro tempo, o Dragão recuperou a consistência defensiva, explorou a velocidade de Stefano e Jaú, para desgarrar novamente, 47 a 31.

 

Depois de um começo de trabalho discreto, Osvaldo começa a se encaixar no sistema bauruense (Newton Nogueira)

 

Na volta para o intervalo a história continuou sendo contada praticamente da mesma maneira. A única exceção foi a maneira com que os visitantes trabalharam ofensivamente. Defensivamente seguia na mesma toada, mas no ataque passou a explorar os espaços deixados pelo rival dentro do garrafão. A sequência positiva dos pivôs (Hettsheimeir e Jaú) na área pintada fez com que Bauru abrisse sua maior vantagem na partida, de vinte e um pontos.

 

Não restou outra alternativa ao Franca que não fosse pressionar a saída de bola adversária em busca de recuperações e ataques rápidos. A estratégia surtiu efeito. A marcação pressão fez com que Anthony desperdiçasse algumas bolas, aproveitadas pelos mandantes no contragolpe. Mas sempre que a equipe da casa se aproximava no marcador, Bauru ia lá e jogava uma ducha de água fria no rival. Com dois arremessos longos, de Duda e Hettsheimeir, foi para o último quarto vencendo por 66 a 50.

 

Diferentemente dos outros períodos, em que o Dragão iniciou melhor, a última parcial começou equilibrada. Concentrando suas ações nas mãos de Jefferson, Franca chegou a diminuir a desvantagem no placar, mas Bauru contava com Duda inspirada. Preciso nas assistências para Osvaldo e Jaú, recolocou a diferença em dezesseis pontos ainda na metade do quarto, levando alguns torcedores a deixarem o Pedrocão mais cedo.

 

Quem ficou no ginásio não viu a virada, mas quem deixou o Pedrocão perdeu muita coisa, porque o jogo estava longe de ser resolvido. Durante alguns minutos, o Dragão levou a partida em banho maria, tendo o controle das ações com a vantagem na casa dos dígitos duplos a menos de três minutos para o final do duelo.

 

Em um último suspiro, Franca foi para o tudo ou nada. Conseguindo assegurar rebotes ofensivos e recuperando algumas bolas, teve maior volume de jogo e assustou o adversário. A vantagem caiu para apenas quatro pontos após boa sequência de Jefferson e Gruber, mas Bauru se recuperou, prendeu a bola e sacramentou a vitória na linha do lance livre, com Duda, 83 a 77.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags