Aplicado taticamente, Caxias domina Mogi das Cruzes e segue vivo no NBB

21/04/2018

O Caxias segue vivo no Novo Basquete Brasil. Depois de perder os dois primeiros duelos da série para o Mogi das Cruzes, a equipe mostrou força para bater o rival dentro do Hugo Ramos, por 65 a 54, e seguir vivo na competição nacional, forçando a realização do quarto jogo, marcado para segunda-feira, em Caxias do Sul.

 

Para ganhar sobrevida na competição a equipe comandada por Rodrigo mostrou uma de suas principais virtudes. Com muita disposição e organização, anulou as principais peças do seu adversário, que teve sua pior produção ofensiva na história do NBB. O recorde negativo era referente ao duelo contra o Basquete Cearense, em que o Carcará venceu por 76 a 55, há praticamente dois anos atrás, no dia 19/04/16.

 

Incansável, os jogadores se ajudaram dentro de quadra com muitas dobras e recomposição, tirando a bola das mãos dos principais arremessadores da equipe mogiana. Para se ter uma ideia, o trio norte-americano formado por Larry, Shamell e Tyrone anotou apenas 29 pontos. Nem mesmo Jimmy, que auxilia de maneira eficiente na frente, conseguiu ajudar, deixando a quadra zerado.

 

Essa solidez defensiva permitiu aos visitantes atuarem em transição, marca registrada da equipe ao longo da temporada. Com inteligência, Pedro e Cauê Verzola fizeram muito bem as ligações diretas, explorando as saídas em velocidade de Paranhos e Warren, para tomar conta da partida, ainda nos primeiros minutos.

 

Caxias assumiu o controle do jogo ainda no primeiro quarto e controlou durante o restante do duelo (João Pires/LNB)

 

Cestinha da partida e termômetro da equipe dentro de quadra, Alex reiterou que o Caxias já vinha fazendo bons jogos diante do rival na série, mas vinha pecando na construção ofensiva, fundamento que o time melhorou nessa noite. 

 

Ainda durante o bate-papo com a repórter Giovanna Terezzino, da Liga Nacional, o ala projetou o duelo de segunda, ressaltando a importância da torcida no confronto decisivo para a equipe sulista.

 

"A gente fez dois bons jogos defensivos na série contra o Mogi, mas o que vinha nos limitando era o ataque, aonde estávamos precipitando algumas bolas. Jogar em casa é determinante, sabemos de nossa força lá dentro, mas sabemos que será um jogo complicado, pela força do Mogi, mas vamos lutar, porque dentro de casa temos de prevalecer."

 

Consciente, Filipin preferiu parabenizar a equipe visitante pela aplicação tática, reconhecendo as dificuldades criadas pela performance do rival. No entanto, mostrou tranquilidade para superar a apresentação ruim de sua equipe e focar no Jogo 4.

 

"Primeiramente temos de ser humildes e dar parabéns ao Caxias, que foi perfeito taticamente, aproveitando nossas falhas defensivas, tomando conta do jogo, o que nos deixou nervoso dentro de quadra. Mas é playoff, cada jogo é uma história."

Como dito anteriormente, os adversários voltam a se enfrentar na segunda-feira, no Ginásio Vasco da Gama, em Caxias do Sul. O time da casa segue brigando pela sobrevivência, enquanto os paulistas tentam sacramentar a classificação à semifinal.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo