Mogi domina Flamengo e fica a uma vitória da final

05/05/2018

O Mogi das Cruzes conquistou um grande resultado na noite dessa sexta-feira (04). Atuando fora de casa, desbancou o Flamengo dentro da Arena Carioca, vencendo o rubro-negro por 88 a 74 e ficando, assim, a apenas uma vitória da decisão do Novo Basquete Brasil.

 

Assim como no primeiro confronto entre as equipes, os paulistas fizeram uma grande partida, principalmente na defesa, desempenho fundamental para que o time liderasse o marcador durante os quarenta minutos, garantindo a vitória com propriedade e relativa tranquilidade, ainda mais pelo arsenal do adversário, extremamente qualificado.

 

E esse vem sendo justamente o ponto de desequilíbrio da série. Apostando em uma formação mais leve, o Mogi tem causado inúmeros problemas ao Flamengo. A mobilidade propiciada pelos homens mais baixos tem resguardado o garrafão mogiano, seja do trabalho interno de Varejão e JP, seja das infiltrações de Marquinhos, um dos candidatos ao título de MVP.

 

Organização defensiva minou o arsenal do Flamengo e de Marquinhos, que só foi pontuar no último quarto (Staff Images/Flamengo)


Sem tirar os méritos dos líderes da equipe, Jimmy e Fabrício tem roubado a cena, sendo peças fundamentais no esquema articulado por Guerrinha. São eles que exercem pressão no ataque adversário, ajustando a marcação com dobras e recomposição, como o próprio jogador (Jimmy) fez questão de ressaltar ao final da partida.

 

"Foi um grande passo, mas não acabou nada ainda. Como sempre falo, temos que pensar jogo a jogo. Agora vai ser outra história e sabemos que o Flamengo vai vir de uma maneira diferente. Temos que manter esse mesmo nível de concentração. Precisamos de mais uma vitória para chegar ao nosso objetivo."

 

A segurança defensiva pode ser melhor compreendida olhando para as parciais dos quartos. Somente no último período, quando buscou a recuperação, o Mais Querido conseguiu chegar a casa dos vinte pontos, tendo seu volume reduzido de maneira bem significativa.

 

Essa solidez permitiu ao Mogi das Cruzes trabalhar em velocidade, na transição, explorando a coletividade da equipe e as bolas de segurança, que são ilustrados nas 24 assistências e no aproveitamento altíssimo de 80% nos arremessos de dois pontos (25/31).

 

É nesse cenário que Mogi abre 2 a 0 na série, se aproximando de sua primeira final na história do Novo Basquete Brasil, já que precisa de apenas um triunfo para confirmar a classificação. Em contrapartida, o Flamengo precisa superar a pressão que cerca a Gávea, se readaptar ao sistema implementado pelo rival, uma vez que não tem mais o direito de errar.

 

O JOGO

 

Desde os primeiros minutos já era possível perceber que o Mogi se sentia mais solto dentro de quadra. Com tranquilidade, conseguia conter o maior volume de jogo do rival com boa proteção defensiva e liderança de Shamell. Ainda que o Flamengo tenha respondido na individualidade de Varejão e pontaria de Marcelinho e Ramon, os visitantes fecharam o período à frente, com destaque para as infiltrações de Larry, 21 a 17.

 

Não demorou muito para o placar refletir melhor o que acontecia na partida. Explorando as características de cada uma de suas peças, os paulistas colocaram a diferença na casa dos dígitos duplos. Sem ser brilhante, o Flamengo conseguiu, com base na garra, encostar no marcador, mas a colaboração de Caio Torres, já no final do primeiro tempo, fez com que os visitantes fossem para os vestiários com gordura no marcador, 45 a 33.

 

Tyrone não apareceu de maneira efetiva no ataque mas foi fundamental na proteção defensiva (Alexandre Neto/Foto do Jogo)

 

Na volta para a etapa complementar, o duelo ficou mais equilibrado. Contando com a melhora ofensiva propiciada pela luta de Olivinha junto à cesta, o rubro-negro deu mais trabalho ao Mogi das Cruzes. Mas os paulistas, aos poucos, foram ajustando a marcação sobre o ala-pivô, recuperando a compostura defensiva e ganhando confiança para contra-atacar, confiança que sobrou para Shamell emplacar dois arremessos do perímetro, encaminhando a vitória mogiana, 64 a 47.

 

Precisando correr contra o tempo para voltar ao jogo, o Flamengo acelerou o ritmo na última etapa. Com liberdade para queimar bolas em ataques rápidos, os donos da casa causaram alguns estragos no perímetro, mas nada que ameaçasse a soberania do Mogi na partida. Mantendo a concentração e o equilíbrio, fechou o duelo com dez pontos de Jimmy na parcial, 88 a 74.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados