Com uma virada espetacular, São José desbanca atual campeão paulista e brasileiro

29/07/2018

O São José voltou a dar alegrias para a sua torcida. Montado às pressas pela incerteza da participação no Campeonato Paulista, a Águia conseguiu uma bela vitória na estreia do estadual, ao bater, de virada, o Paulistano (atual campeão paulista e brasileiro), pelo placar de 73 a 70.

 

Atrás no marcador durante praticamente todo o confronto, os mandantes não se entregaram e acreditaram até o final, revertendo a diferença, que tinha chegado próxima dos quinze pontos durante o segundo quarto, quando os visitantes viveram seu melhor momento na partida, dominando o garrafão.

 

A recuperação diante do qualificado adversário só foi possível graças a melhora defensiva e à liderança exercida por alguns dos reforços contratados para essa temporada. Assumindo a responsabilidade, Pedro e Wesley Sena foram os principais nomes da Águia na partida.

 

Embalado pelo triunfo desse domingo, o São José tentará seguir no caminho das vitórias ao encarar o América de Rio Preto, na próxima sexta, novamente dentro de casa. Em busca de reabilitação, o Paulistano volta às quadras antes. Na quarta, a equipe recebe o Corinthians. 

 

O JOGO

 

O começo de partida entre São José e Paulistano não foi dos melhores. Isso porque os donos da casa acusavam falta de ritmo e entrosamento, potencializado pela montagem tardia da equipe, e os visitantes atuavam com inúmeros desfalques, sobretudo na armação, que ficou sob responsabilidade de Eddy e Leo Meindl, improvisados na função.

 

Aos poucos, os visitantes foram tirando proveito da superioridade na estatura. Com um quinteto mais alto, dominou a tábua ofensiva e assumiu as rédeas da partida. Os mandantes chegaram a equilibrar as ações na linha do lance livre, mas na reta final do período, Antônio e Roberto encontraram espaços na defesa joseense e anotaram de três pontos, aumentando a vantagem no marcador, 19 a 11.

 

No início do segundo quarto, o São José viveu um de seus melhores momentos na partida. Deixando de precipitar alguns arremessos longos, soube trabalhar a posse de bola e emplacou boa sequência ofensiva. Mas o Paulistano não ficou para trás e respondeu com a força de seus homens do garrafão, Hubner e Renan Lenz, que concluiu bela ponte aérea e recolocou a diferença na casa dos dígitos duplos.

 

Depois de alguns minutos, a Águia superou a boa marcação da equipe visitante ao deslocar Pedro para a armação. Apostando nas jogadas de pick-and-roll, o atleta distribuiu três assistências, além de converter bola da zona morta, liderando a reação dos donos da casa, que diminuíram o prejuízo ao final do primeiro tempo, 41 a 34.

 

Fundamental nos minutos finais, Wesley anotou um duplo-duplo, 18 pontos e 12 rebotes (Danilo Sardinha/GE)

 

Na volta para a etapa complementar, o duelo ganhou um confronto particular. Assumindo a responsabilidade ofensiva de suas equipes, Pedro e Eddy protagonizaram um belo confronto, com cada um deles respondendo prontamente à investida do outro, deixando a parcial equilibrada nos primeiros minutos.

 

O equilíbrio seguiu sendo a tônica do período. Com as defesas agressivas, a produtividade dos ataques teve um ligeiro declínio a partir da metade da parcial, que terminou com o empate das equipes em dezessete pontos, igualdade que permitiu ao Paulistano entrar no último período com a vantagem mantida, 58 a 51.

 

O time da capital paulista até voltou melhor para o último quarto. Com Leo Meindl assumindo a articulação da equipe e sendo incisivo em direção à cesta, o CAP viu o ala-pivô Antônio se destacar na disputa por espaços dentro do garrafão, onde o atleta contabilizou pontos e rebotes importantes.

 

Mas o cenário mudou completamente no decorrer do período. Bem posicionado na defesa, a Águia conseguiu neutralizar as investidas do rival, que, em algumas ocasiões, chegou a estourar os vinte e quatro segundos de posse de bola sem sequer concluir as tramas. Orquestrado por Hélio, que não fez um bom jogo mas foi fundamental na reta final, o São José contou com a colaboração de Wesley Sena dentro do garrafão para conseguir a virada no minuto final, 73 a 70.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags