Na prorrogação, Bauru vence o São José e mantém a invencibilidade

09/08/2018

O Bauru Basket sofreu mas conseguiu dar sequência ao belo início de temporada. Depois de superar o América, Mogi e Liga Sorocabana, o Dragão derrotou, na prorrogação, o São José, pelo placar de 81 a 69, em partida válida pela quarta rodada do Campeonato Paulista.

 

Diferentemente dos outros confrontos, em que dominou por completo, o time bauruense teve muitas dificuldades. Diante de um time aguerrido, Bauru até conseguiu defender relativamente bem, mas ofensivamente a equipe ficou abaixo das expectativas.

 

Apesar do poderio altíssimo no perímetro, o Dragão não foi bem nas bolas de três pontos. Persistindo nos arremessos longos, não conseguiu deslanchar e viu o adversário gostar do jogo. Ciente de suas limitações, a Águia explorou as falhas bauruenses e por muito pouco não saiu com o triunfo.

 

Destoando do resto do time, Lucas Mariano viveu outra noite mágica. Contratado no início da temporada, o pivô terminou a partida mais uma vez como cestinha da equipe. Ao final do confronto, reconheceu que o time não teve o mesmo rendimento, mas valorizou o trabalho do adversário e o triunfo que garante a manutenção da liderança e da invencibilidade.

 

"Hoje pecamos no ataque. Nós costumamos ter mais volume, nossas bolas também não caíram. Mas o mais importante é que conseguimos superar esse momento difícil e na prorrogação conseguimos matar o jogo diante de uma equipe excelente."

 

Com 25 pontos e 16 rebotes, Lucas Mariano foi o cara da partida (Victor Lira/Bauru Basket) 

 

Do outro lado, Douglas Nunes minimizou a derrota do São José, ressaltando o belo começo de temporada da Águia, que vem se mantendo dentro da zona de classificação aos playoffs, mesmo com as dificuldades encontradas no Vale do Paraíba.

 

"Foi excelente. Nosso time foi montado de última hora e estamos começando a entrosar agora. Agora precisamos botar a cabeça no lugar. Sabemos do poder do Bauru, ainda mais jogando em casa. Mas precisamos focar nos treinos, parte física e tática, e aproveitar um pouquinho mais os erros do adversário."

 

Na sexta, Bauru tentará dar sequência ao momento positivo diante do Pinheiros, novamente no Ginásio Panela de Pressão. O São José, por sua vez, só voltará às quadras na próxima segunda, quando medirá forças com a Liga Sorocabana, em casa.

 

O JOGO

 

O duelo entre Bauru Basket e São José começou movimentado. Diante das defesas um tanto quanto dispersas nos primeiros minutos, os times conseguiram tramar boas jogadas, sem muita resistência. Com espaço, Gustavo Basílio e Hélio se destacaram, pontuando tanto no perímetro quanto à média distância.

 

Aos poucos, o jogo foi desenvolvendo e outros nomes foram aparecendo, como Enzo Ruiz. Em uma das jogadas, o argentino interceptou a tabelinha do adversário, tocou entre as pernas de Douglas Nunes e concluiu o contragolpe com bandeja tranquila. Apesar da superioridade do Dragão, a Águia conseguiu encostar no marcador após a entrada de Stefano, 17 a 13.

 

Na volta para o segundo quarto, o armador do São José aprontou para cima do seu antigo clube. Com liberdade e tempo de quadra, Stefano usou e abusou do pick-and-roll para distribuir boas assistências para os homens mais altos da equipe. A sequência fez com que os visitantes assumissem a liderança da partida, obrigando Demétrius a parar o jogo.

 

Para conter a jogada do adversário, Dema apostou na formação com dois pivôs, Lucas Mariano e Marcão. A escolha surtiu efeito. Além de proteger melhor o garrafão, a dupla serviu como desafogo ofensiva, doutrinando na área pintada, onde somaram treze pontos na parcial, devolvendo a liderança ao Bauru, 32 a 27.

 

Apesar de atuar apenas na etapa complementar, Jefferson anotou duplo duplo, 14 pontos e 10 rebotes (Victor Lira/Bauru Basket) 

 

Os mandantes voltaram para o segundo tempo com uma cara nova. Na verdade não tão nova assim. Poupado na etapa inicial, Jefferson saiu do banco para dar dinâmica ao ataque bauruense. Mas nem os donos da casa, nem os visitantes, conseguiram atuar com fluidez, fazendo com que os primeiros minutos fossem de baixa inspiração.

 

Somente a partir da metade da parcial, que os adversários esboçaram uma melhora. Com mais velocidade na articulação, o São José encostou no marcador com os arremessos de Panunzio e as bolas de segurança de Douglas Nunes. Mas, a cada aproximação do rival, o Dragão respondia. Atentos aos rebotes ofensivos, Jefferson e Lucas Mariano contabilizaram pontos na área pintada, tranquilizando a situação, 51 a 45.

 

Mas o alívio bauruense durou pouco. Apresentando as mesmas dificuldades do decorrer de todo jogo, viu a Águia responder instantaneamente. Com liberdade, Panunzio converteu mais dois tiros de três pontos, empatando o duelo ainda nos primeiros minutos do último quarto.

 

Com o tempo se esgotando e o empate permanecendo, o duelo começou a ganhar contornos dramáticos. Enquanto o Bauru tentava se impor, com Marcão e Lucas Mariano sendo bem acionados dentro do garrafão, o São José foi gostando da partida. Levando vantagem nas jogadas individuais, teve a chance de liquidar o jogo após falta antidesportiva cometida por Gustavo, mas parou na marcação bauruense e o duelo foi para a prorrogação, 67 a 67.

 

Se o equilíbrio foi a tônica do tempo regulamentar, na prorrogação só deu Bauru. Com uma defesa consistente, conseguiu explorar o contragolpe. Fazendo a leitura correta, espaçou bem a quadra, abrindo espaços para Jefferson e Lucas Mariano doutrinarem. Precisos nas bolas de segurança e nos arremessos de três pontos, liquidaram a partida à favor do Dragão, 81 a 69.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags