De maneira convincente, Corinthians vence a primeira e derruba invencibilidade do Bauru

15/08/2018

O Corinthians contou com uma atuação de gala para contrariar todas as expectativas e vencer o duelo contra o líder, e até então invicto, Bauru Basket. Jogando ao lado do seu torcedor, o Timão conquistou a primeira vitória na competição ao superar o Dragão pelo placar de 99 a 82.

 

Intenso desde os primeiros minutos, o Corinthians sufocou o adversário, neutralizando seus pontos fortes. Com uma defesa alta e bem posicionada, os mandantes anularam o forte trabalho interno do Bauru, que tinha na sua dupla de pivôs, formada por Jefferson e Lucas Mariano, sua principal arma nas primeiras rodadas.

 

Além da solidez defensiva, o Timão apresentou boa organização. Selecionando bem seus arremessos, os mandantes tiveram aproveitamento altíssimo nas bolas de três pontos, fundamento que se tornou a chave para o triunfo alvinegro, sobretudo no primeiro tempo, quando o time do Parque São Jorge construiu sua vantagem no marcador.

 

Fuller foi um dos pilares alvinegros ao anotar vinte e um pontos (Victor Lira/Bauru Basket) 

 

O grande responsável pela distribuição alvinegra foi o armador Ricardo Fischer, que já atuou pelo Dragão. Contra seu ex-clube, o jogador viveu noite mágica, relembrando os bons momentos que viveu no início de sua carreira, quando se tornou um dos principais jogadores da posição, chegando a seleção brasileira e recebendo sondagens de diversos clubes.

 

Após o final do jogo, Fischer comentou sobre a vitória da equipe, que não teve um começo de temporada positivo e precisava, mais do que nunca, dessa vitória.

 

"Eu falei pro time no vestiário. Precisávamos estar focado os quarenta minutos. Hoje o grupo estava confiante, prevaleceu dentro de quadra e estamos começando a mostrar a nossa cara no campeonato."

 

Do outro lado, por meio da assessoria de imprensa do Bauru, Demétrius reconheceu que sua equipe não manteve a intensidade das primeiras rodadas, atuando abaixo das expectativas, sobretudo na defesa, batida com facilidade pelo adversário.

 

"Marcamos mal desde o início do jogo e ficamos muito abaixo daquilo que a gente vinha apresentando. O Corinthians foi bem durante toda a partida, conseguiu impor seu ritmo e ter um bom aproveitamento. Cabe a nós, agora, ter o discernimento de saber quais erros cometemos e acertar isso para o jogo contra o Paulistano."

 

Os adversários voltam à quadra já na quinta-feira. Buscando dar continuidade à crescente e emplacar a segunda vitória, o Corinthians recebe o América. Ainda na liderança mas atento a aproximação dos rivais, o Bauru tem o confronto direto contra o Paulistano, fora de casa.

 

O JOGO

 

Precisando da vitória à todo custo, o Corinthians iniciou a partida de maneira muito vibrante. Protegendo muito bem seu garrafão, conseguiu anular uma das principais armas do Bauru e sair no contragolpe. Distribuindo bem o volume ofensivo entre seus dois alas, Fuller e Maurício Aguiar, abriu 11 a 2.

 

Com dificuldade para confrontar a defesa alvinegra, pelo bom posicionamento do marcação adversária e pela pouca movimentação de bola, o Dragão só conseguiu pontuar na linha do lance livre, enquanto o jogo dos mandantes transcorria com naturalidade, com Fischer organizando o ataque e contando com bons coadjuvantes, como Humberto. Por conta de toda essa superioridade, a parcial de 24 a 15 ficou barato.

 

Bauru voltou para o segundo período cometendo os mesmo erros. Desligado, não conseguia evitar os cortes, cometendo muitas faltas que colocaram o adversário diversas vezes na linha do lance livre, além de pendurar seus principais atletas com três faltas. Aproveitando as infrações e o espaço deixado pelos visitantes para o contragolpe, Fuller colocou a vantagem alvinegra próxima dos vinte pontos.

 

Somente na reta final do primeiro tempo que o Dragão melhorou. Mais atento na defesa, emplacou duas defesas que lhe deram segurança ofensiva. Rodando mais a bola no ataque, contou com boa leitura de jogo de Marcão e Enzo Ruiz, para reduzir um pouquinho o prejuízo na ida para os vestiários, 46 a 29.

 

Jefferson apareceu bem no ataque na segunda etapa mas rendimento defensivo de toda equipe deixou a desejar (Victor Lira/Bauru Basket)

 

Na volta para a etapa complementar, o ataque bauruense começou a funcionar. Com Cauê articulando as jogadas, Jefferson atuando próximo à cesta e Samuel aparecendo como coadjuvante, os visitantes melhoraram consideravelmente a produção ofensiva. Mas, à princípio, não conseguia desempenhar uma defesa segura, condição que impedia a aproximação no marcador.

 

Com desempenho avassalador nas bolas de três pontos, especialmente de Ricardo Fischer, que converteu três em sequência, o Corinthians conseguiu conter a crescente do rival, fechando o terceiro quarto com uma vantagem menor, porém considerável, levando em consideração que a partida se encaminhava para o último período.

 

Mas logo nos primeiros minutos da última parcial, o Dragão colocou fogo de vez no confronto. Com um começo animador, cortou a diferença para apenas seis pontos, em infiltração de Larry Taylor e arremesso curto de Marcão na cabeça do garrafão.

 

Quando parecia que os visitantes iriam embalar de vez, o Timão reagiu. Em menos de quarenta segundos, Bauru cometeu falta técnica e cochilou em dois ataques dos donos da casa, que, em um passe de mágica, abriram quatorze pontos, jogando um balde de água fria nos bauruenses. Dali até o final da partida, o Corinthians controlou o ritmo do jogo, fechando o jogo na tranquilidade de Fischer e Fuller, 99 a 82.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados