Bauru vence clássico contra Franca e dorme na liderança do campeonato

23/08/2018

O Campeonato Paulista tem um novo líder. Pelo menos até amanhã. Com a vitória no clássico dessa quarta-feira (22), contra o Franca, por 79 a 76, Bauru Basket reassume a liderança da competição após duas rodadas. A manutenção do posto, no entanto, só será possível se o Paulistano, que leva vantagem no confronto direto com o Dragão, perder amanhã para o Pinheiros.

 

O duelo teve todos os ingredientes que um clássico pede. Cheio de reviravoltas, contou com um primeiro tempo seguro dos mandantes, uma recuperação consistente dos visitantes e muitas polêmicas com a arbitragem (péssima mais uma vez), combinação que coloca o duelo como um dos mais emocionantes entre todas as partidas desse primeiro turno.

 

A diferença a favor do Bauru se deve, entre outros fatores, pelo segundo quarto avassalador da equipe. Imponente, sufocou o rival, castigando-o no contragolpe, com um arsenal poderosíssimo em todos os setores da quadra, equilibrado pela imposição de Lucas Mariano na área pintada e pela artilharia de Enzo Ruiz no perímetro.

 

Cada vez mais importante dentro do sistema de Demétrius, o argentino vivenciou seu primeiro clássico em quadras brasileiras. Ao final da partida, o ala deixou de lado o desempenho individual, dando ênfase no resultado positivo.

 

"Creio que o rendimento pessoal é relativo, eu tento ajudar a equipe, mas o mais importante é que Bauru ganhe. O que fizemos hoje foi ter personalidade, coração e paciência. Eu joguei clássicos na Argentina e é igual, como se vive aqui no Brasil, antes e durante do jogo."

 

Logo em seu primeiro clássico, Enzo foi protagonista, terminando como cestinha, com 20 pontos (Victor Lira/Bauru Basket) 

 

O triunfo fez com que o Dragão atingisse o objetivo traçado por Dema após as derrotas sofridas fora de casa, na excursão pela capital paulista. Para o comandante, a vitória sobre um concorrente direto e o fato de manter-se entre os primeiros é crucial para as pretensões da equipe.

 

"São metas e objetivos traçados. Uma das metas, que era ganhar os jogos em casa e terminar o turno com no máximo duas derrotas, foi cumprida. Ainda tem muito campeonato, mas permanecer entre os dois primeiros nos dá uma condição de decidir os playoffs em casa."

 

Alegria de um lado, tristeza do outro, ainda mais se tratando de clássico. Apesar da melhora significativa da equipe na etapa complementar, quando ajustou a defesa e atuou de forma coletiva no ataque, Franca pecou pela instabilidade em um confronto do mais alto nível. A queda de rendimento no segundo quarto acabou desequilibrando o embate.

 

A visão foi compartilhada por Cipolini. Vindo do banco, Cipolini entrou muito bem, se tornando uma das referências ofensivas da equipe na área pintada, onde se concentrou as principais tramas do embate. O pivô, no entanto, enalteceu a luta do time e minimizou o revés para o rival.

 

"Foi um grande jogo, um clássico do basquete nacional. Infelizmente eles abriram no final do primeiro tempo e corremos atrás dele o jogo todo. Buscamos o jogo, tivemos a bola para empatar, virar, mas faz parte do jogo. Mas bola para frente que sábado já começa o segundo tempo."

 

Na próxima rodada os adversários jogarão em casa. Na sexta, Bauru tenta dar sequência ao momento positivo diante do América de Rio Preto. No sábado, Franca recebe o Pinheiros em mais um confronto direto.

 

O JOGO

 

A partida começou no ritmo que um dos maiores clássicos do basquete paulista e brasileiro pede. Contando com força máxima, Bauru e Franca iniciaram o duelo com intensidade e boa leitura de jogo dos armadores. Assim, os ataques fluíram com naturalidade, causando um estrago imenso para os sistemas defensivos, que não conseguiam confrontar as armas dos adversários, que protagonizaram vários trocas de liderança no marcador.

 

A partir da metade da parcial, os técnicos, buscando a manutenção da intensidade, promoveram as já esperadas trocas nas equipes. Disposição e volume de jogo não faltaram, mas o rendimento não foi o mesmo. Mesmo encontrando liberdade no perímetro, os adversários não conseguiram converter os arremessos, deixando o placar inalterado por alguns minutos. Na cola dos mandantes durante grande parte do primeiro quarto, os visitantes buscaram o empate ao final do período, 19 a 19.

 

O equilíbrio ficou de lado no começo do segundo quarto. Apesar do Franca ter iniciado a parcial com um arremesso certeiro de Lucas Dias, foi o Bauru quem dominou o período. Com uma defesa agressiva, dominou os rebotes e ganhou quadra. No contragolpe contou com a mão calibradíssima de Enzo Ruiz, autor de doze pontos praticamente consecutivos em bolas de três pontos, para abrir dezesseis de vantagem.

 

Os visitantes até esboçaram uma reação na metade do período. Após a marcação de uma falta antidesportiva (muito questionável), a equipe francana chegou a encostar, diminuindo a desvantagem para nove pontos. Mas o Dragão não se abateu com a polêmica, explorou a força de seus pivôs (Jefferson e Lucas Mariano) no perímetro, indo para os vestiários com uma gordura no marcador, 46 a 35.

 

Lucas Mariano teve outra atuação sólida, anotando vinte tentos (Victor Lira/Bauru Basket) 

 

O Franca voltou melhor para a etapa complementar. Subindo a linha de marcação, tirou os espaços que o Bauru tinha no perímetro. No entanto, não conseguiu, em um primeiro momento, transformar a melhora em uma reação efetiva. Encontrando uma defesa por zona, não teve confiança para atacar de longe e foi castigado pelo brilho de Larry. Chamando a responsabilidade, pontuou e também assistiu, recolocando a vantagem acima dos dez pontos.

 

Era o que precisava para despertar a equipe francana. Apostando em um garrafão atlético, formado por Lucas Dias e Cipolini, Franca dominou os dois lados da tábua, assegurando rebotes defensivos e pontuando em lances de segunda oportunidade, usando e abusando das jogadas de pick-and-roll, 67 a 61.

 

A proximidade no marcador e do final do jogo, fez com que os adversários voltassem nervosos para o último quarto. Com mais velocidade do que tranquilidade, desperdiçaram lances fáceis, fazendo com que o marcador não fosse alterado nos primeiros dois minutos, cabendo a Lucas Mariano, em arremesso da zona morta, anotar os primeiros pontos do período.

 

Acelerando o ritmo de jogo, Alexey conseguiu envolver a defesa bauruense e colocar Lucas Dias em ótimas condições para liderar a reação francana. Reduzindo gradativamente a desvantagem, os visitantes entraram vivos na reta final da partida. No entanto, falhou nas duas oportunidades que teve de concretizar a virada, vendo o Dragão liquidar o duelo na linha do lance livre, com Larry, 79 a 76.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags