Bauru sofre mas vence São José na prorrogação

31/08/2018

O Bauru Basket ampliou a série positiva no Campeonato Paulista. Depois de derrotar o Osasco, Franca e América, o Dragão fez mais uma vítima. Jogando fora de casa, superou o São José pelo placar de 84 a 79, chegando a quarta vitória consecutiva no estadual.

 

O triunfo, no entanto, poderia e deveria vir com mais tranquilidade. Não que o adversário não pudesse oferecer dificuldades para o time de Demétrius, mas ao abrir grande vantagem no primeiro quarto, vencido por 29 a 14, a equipe da Cidade Sem Limites diminuiu e quase pagou caro por isso.

 

Sem a mesma intensidade nos dois lados da quadra, viu os donos da casa gostarem do jogo. Sem o mesmo recurso técnico, contou com o apoio da torcida para montar uma recuperação improvável, porém merecida, tamanha entrega da equipe.

 

O roteiro é muito parecido com o primeiro confronto entre as equipes, no começo do mês, no Ginásio Panela de Pressão. Invicto até então, Bauru assumiu o controle da partida muito cedo, dando a impressão de que levaria o jogo com tranquilidade. Mas a partir do intervalo ficou encaixotado na marcação joseense, precisando da prorrogação para vencer.

 

Lucas Mariano e Jefferson anotaram 23 e 22 pontos respectivamente, sendo fundamentais para a vitória bauruense (Arthur Marega Filho/São José)

 

Por meio da assessoria, Demétrius enalteceu a vitória mas reconheceu o time esteve abaixo das expectativas e que precisará retomar o padrão para os próximos compromissos, especialmente diante do Mogi das Cruzes, no sábado.

 

"Fizemos um bom primeiro quarto, mas depois deixamos o São José gostar do jogo e nossa marcação não funcionou muito. Nossas parciais foram abaixo do que fazemos, mas o time lutou na prorrogação e conseguimos essa importante vitória. Agora é corrigir algumas coisas para o duelo contra Mogi."

 

Como já dito, Bauru e Mogi farão compromisso importantíssimo no sábado. Na vice-liderança da competição, o clube do Alto Tietê contará com o apoio de sua torcida para tentar desbancar o Dragão em busca da primeira colocação, que só virá em caso de triunfo por mais de vinte e quatro pontos de diferença.

 

Já o São José terá um duelo um pouco mais palpável, mas não menos importante, na próxima rodada. No domingo, a equipe recebe o Osasco para voltar a vencer na competição e não se distanciar da briga por uma vaga aos playoffs.

 

O JOGO

 

Diferentemente das últimas partidas fora de casa, o Bauru Basket começou o duelo com muita intensidade. Defendendo de maneira agressiva, estancou a produção do São José, aproveitando a força do seu elenco para ir tomando conta do jogo. Com Jefferson e Lucas Mariano dominando o garrafão e Enzo aparecendo como desafogo no perímetro, logo colocou a diferença acima dos dez pontos.

 

Com dificuldades para desenvolver seu jogo, os donos da casa, ao menos, conseguiram travar um pouco o duelo, tirando a velocidade bauruense. Assim, evitou que os visitantes continuassem a sair no contragolpe, 29 a 14

 

O Bauru até conseguiu aumentar a vantagem no primeiro minuto do segundo quarto. Com duas roubadas de bola seguidas de infiltrações de Lucas Mariano deu impressão de que ampliaria o domínio, mas não foi isso que aconteceu. Defendendo de maneira mais agressiva na área pintada, o São José conseguiu conter o volume de jogo do Dragão e sair em velocidade, aproveitando os espaços deixados pela defesa bauruense para equilibrar o período.

 

Demétrius até tentou reorganizar a equipe, colocando Larry e Caue na armação, mas a estratégia não funcionou. Caindo na armadilha dos donos da casa, Bauru teve liberdade no perímetro mas o aproveitamento deixou, e muito a desejar. Com apenas um arremesso certeiro em onze tentados, viu a Águia ir reduzindo a diferença com Schneider participativo, 41 a 30.

 

Águia explorou o contragolpe, muitas vezes puxado por Schneider, para montar a recuperação (Arthur Marega Filho/São José) 

 

Diferentemente do quarto anterior, Bauru voltou mais concentrado para o terceiro período. Distribuindo melhor o volume de jogo entre setores de quadra e atletas, os visitantes pontuaram com constância nos primeiros minutos. No entanto, a cada boa trama bauruense, Schneider tirava um coelho da cartola, convertendo arremessos de média e longa distância, reduzindo, assim, a desvantagem joseense para apenas cinco pontos.

 

No decorrer da parcial, a qualidade da partida caiu drasticamente. Abusando das jogadas individuais, sobretudo nos garrafões congestionados, os adversários acumularam erros ofensivos, demonstrando muito nervosismo. Como estava à frente no marcador, os visitantes foram para os dez minutos finais vencendo por 51 a 46.

 

Não demorou muito para o São José chegar ao empate. Com mais atitude dentro de quadra, controlou o ataque bauruense com facilidade. Na contraofensiva, contou com os arremessos precisos de Pastor e Sadhi na linha dos três pontos, além de lance livre de Pedro, para empatar o duelo ainda nos primeiros minutos do último quarto, deixando o duelo emocionante.

 

Mais tranquila, a Águia assumiu o comando das ações com participação fundamental de Pedro e Douglas Nunes. Com dificuldade para trabalhar coletivamente, o Dragão abusou dos lances livres desperdiçados e dos arremessos precipitados, conseguindo levar a partida para prorrogação com cesta de Lucas Mariano, 68 a 68.

 

PRORROGAÇÃO

 

O Bauru Basket voltou melhor na prorrogação. Explorando a presença de dois pivôs, Larry fez aquilo que dele se espera. Em jogadas de pick-and-roll, deixou Lucas Mariano e Jefferson em ótimas condições dentro do garrafão para os visitantes saírem na frente. Esperto, São José aproveitou a recomposição lenta do adversário para repor a bola em velocidade e buscar a igualdade com Pedro.

 

Há pouco menos de dois minutos para o final do jogo, o placar apontava igualdade. Foi então que o Dragão sustentou duas defesas, com rebotes preciosos de Gustavo e Larry, liquidando a partida no contragolpe e na linha do lance livre, 84 a 79.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags