Presente de grego: Bauru vence Mogi e desgarra na liderança

02/09/2018

O Bauru Basket deu um presente daqueles para o Mogi das Cruzes. No aniversário da cidade do Alto Tietê, superou os mandantes dentro do Ginásio Hugo Ramos, por 69 a 61, para tristeza da torcida local.

 

Larry deixou a quadra com 19 pontos e 8 rebotes (Antônio Penedo)

 

O triunfo torna-se ainda mais importante pela equipe bauruense ter vencido o jogo do primeiro turno, abrindo três partidas de vantagem sobre o rival já que leva vantagem no confronto direto, primeiro critério de desempate.

 

Jefferson, um dos pilares da equipe na temporada, reforçou a importância do triunfo mesmo com as dificuldades encontradas diante de um rival qualificado e que vinha em ótimo momento.

 

 “Vencer de Mogi sempre nos deixa mais confiantes. Era um confronto direto pelo primeiro lugar do campeonato. Então, essa viagem foi de extrema importância para nós e estamos felizes em poder voltar para casa com duas vitórias” 

 

No duelo de hoje, o Dragão construí o resultado com propriedade. Consistente, assumiu o controle da partida desde os primeiros minutos, com boa distribuição no volume de jogo. Apesar da queda de rendimento no terceiro período, conseguiu se reestabelecer nos instantes finais e sacramentar a vitória."

 

A crescente na reta final passou muito pelas mãos de Larry Taylor. De volta ao Hugão pela primeira vez após deixar a equipe mogiana, o alienígena foi decisivo nos minutos finais, distribuindo o volume de jogo e também convertendo arremessos de três pontos.

 

Pelo lado do Mogi das Cruzes, JP Batista se destacou, dominando o garrafão. Mas nem os 25 pontos do pivô evitou a derrota dos mandantes, que caíram para a terceira colocação com a vitória franca na sobre a Liga Sorocabana.

 

O JOGO

 

Como esperado, o clássico entre Bauru e Mogi começou equilibrado. Na ânsia de assumirem o protagonismo, os jogadores de ambos os times abusaram das jogadas individuais, o que facilitou o trabalho defensivo nos primeiros minutos. Mas, aos poucos, as equipes foram se soltando e o confronto melhorou tecnicamente. 

 

A começar pelos visitantes. Com grande participação de Jefferson William, preciso nos arremessos de média e longa distância, o líder da competição começou a ditar, ainda que de maneira discreta, o ritmo do jogo. A resposta dos mandantes, no entanto, foi imediata. Trabalhando de maneira coletiva, converteu bolas de três pontos com Shamell e Gruber, equilibrando a parcial, 16 a 13.

 

O Dragão voltou melhor para o segundo quarto. Com marcação agressiva, que contou com dois tocos de Cauê, sendo um deles pra cima de JP Batista, anulou a movimentação mogiana. Com a bola em mãos teve tranquilidade para trabalhar o tradicional pick-and-roll, com Larry servindo a dupla de pivôs (Jefferson e Lucas), abrindo sete pontos de vantagem ainda nos primeiros minutos do período.

 

Após o tempo técnico pedido por Guerrinha, Mogi se recompôs. Depois de arremesso preciso de Cafferata, ainda anotou pontos importantes dentro do garrafão, com JP e Gruber, empatando a partida após falta antidesportiva de Marcão. Mas, na reta final do primeiro tempo, os visitantes se recuperaram. Com boa movimentação de bola de Larry e oportunismo de Renato, autor de seis pontos consecutivos, Bauru voltou a abrir vantagem, 36 a 28.

 

O começo do segundo tempo foi bastante movimentado. Com um quinteto alto, Mogi passou a dominar a área pintada, sobretudo no ataque, com destaque para JP e Gruber, próximos entre si. Em um primeiro momento, Bauru conseguiu equilibrar as ações através dos arremessos longos de Enzo e Gustavo, mas o aproveitamento caiu e os mandantes conseguiram a virada em duas jogadas individuais de Shamell.

 

Dali até o final do período pouca coisa aconteceu. Mantendo a agressividade, os donos da casa tiveram diversas oportunidades, até em função do apagão bauruense, para desgarrar. Mas, mesmo com liberdade no perímetro, não conseguiu converter os arremessos, dando condições do rival beliscar o empate após bola de fora de Gustavo, 46 a 46.

 

O início do último quarto foi bastante nervoso. Com pouca movimentação e visão de jogo, os rivais não criaram grande tramas nos primeiros minutos, salvo uma ou outra jogada individual, principalmente dos pivôs das equipes. Ainda assim, foi possível ver algumas trocas de liderança no marcador.

 

O equilíbrio no entanto, deu lugar ao domínio bauruense nos minutos finais da partida. Liderado por Larry Taylor, incisivo na articulação e mortal no perímetro, o Dragão se impôs, abrindo seis pontos de vantagem após infiltração de Enzo Ruiz. Lutando contra o tempo para se recuperar dentro da partida, o Mogi tentou acelerar o ritmo de jogo e colocar os visitantes na linha do lance livre, mas o Bauru foi preciso, consumando a vitória com tranquilidade, 69 a 61.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados