Paulistano suporta reação do Osasco, vence fora de casa e coloca pressão no Bauru

05/09/2018

O Paulistano deu sequência ao momento positivo. Depois de superar o São José, América e Corinthians, o atual campeão paulista e brasileiro superou o Osasco, fora de casa, pelo placar de 85 a 78, chegando a quarta vitória consecutiva na competição.

 

Mas, como o placar já entrega, o clube da capital paulista não teve vida fácil. Diante de um adversário sedento por recuperação e que possui bons valores, o Paulistano apresentou dificuldades, sobretudo para atuar dentro do seu plano de jogo.

 

Sem conseguir desempenhar uma defesa agressiva, não teve oportunidade de sair na transição, marca característica da equipe. Sem espaço, sofreu ainda com a noite discreta de alguns pilares da equipe, o que gerou inúmeros erros ofensivos e estancou a produção do time no primeiro tempo.

 

Os visitantes só conseguiram se impor depois do intervalo, quando a equipe apertou a marcação e saiu em velocidade, com Yago ditando o ritmo e os pivôs assumindo a pontuação da equipe. Assim, num piscar de olhos, o Paulistano deslanchou e parecia levar o duelo com tranquilidade, até a Coruja crescer de produção e colocar a vitória em xeque. 

 

 Leo Meindl anotou 14 pontos e foi uma das referências ofensivas do CAP (Reprodução)

 

Ao final da partida, em entrevista para a Federação paulista, Régis Marrelli, técnico da equipe, falou com muita naturalidade sobre o rendimento dos seus atletas, enaltecendo, acima de tudo, a vitória conquistada fora de casa.

 

"Alguns jogadores nossos estiveram abaixo, jogadores importantes que não pontuaram, sofreram com o acúmulo de faltas. O Osasco também jogou muito bem, foi aplicado. Mas o mais importante foi a vitória."

 

Quem também comentou sobre o duelo foi o auxiliar técnico Castilho, que substituiu Ênio Vecchi no comando do Osasco nessa noite. Apesar do revés, valorizou o desempenho do time, que luta para se manter vivo na competição.

 

"Nós trabalhamos de maneira intensa, dura, para que possa jogar de igual para o campeão brasileiro, tendo a oportunidade de vencer. Independentemente de qualquer adversidade, fizemos um grande jogo e isso é muito importante para o nosso projeto."

 

Com o triunfo dessa noite, o Paulistano joga pressão sobre o Bauru Basket, já que chegou ao mesmo número de vitórias que o Dragão e leva vantagem no confronto direto. Antes de voltar às quadra para enfrentar o Mogi, na quinta, torce para um tropeço do Bauru, para assumir a liderança do estadual.

 

O JOGO

 

O duelo entre Osasco e Paulistano começou a mil por hora. Com velocidade na movimentação de bola e boa seleção de arremesso, os adversários foram muito produtivos no ataque, especialmente Thiaguinho e Hubner, que travaram um duelo particular nos primeiros minutos da partida.

 

Preciso nas bolas de três pontos, os visitantes permaneceram boa parte do primeiro quarto à frente no marcador, mas seguido de perto pelos donos da casa que, de infiltração em infiltração, manteve-se na cola do adversário, até conseguir passar à frente, em duas aparições de Castellon no perímetro, 27 a 26.

 

Se no primeiro quarto o trabalho ofensivo prevaleceu, no segundo a história foi completamente diferente. É bem verdade que nas primeiras investidas do período, os adversários tiveram êxito, mantendo a constante troca de lideranças no placar. Mas, aos poucos, as defesas foram encaixando e o jogo ficou mais truncado.

 

Pressionando a linha de passe, os sistemas defensivos tirar os adversários de sua zona de conforto, minando o volume de jogo. Com pouca criatividade para driblar a marcação, os rivais só conseguiram pontuar em jogadas isoladas, o que deixou o marcador inalterado durante boa parte da parcial, que terminou com vitória da Coruja, por 39 a 36.

 

Além de organizar a equipe, Thiaguinho converteu 15 pontos e foi cestinha do duelo (Reprodução) 

 

Na volta para o segundo tempo, o Paulistano conseguiu defender de maneira mais agressiva, ganhando quadra para sair em velocidade, com Yago desmontando a defesa adversária e Hubner aparecendo para o jogo. Assim, em um passe de mágica, abriu dez pontos de vantagem, assumindo o controle da partida.

 

O Osasco até chegou a reagir na metade da parcial. Parando de precipitar arremessos longos, conseguiu sucesso nas jogadas individuais de Thiaguinho, Lelê e Robinho dentro do garrafão. Mas não demorou para os visitantes se restabelecerem. Aproveitando os espaços deixados pela defesa por zona, Yago e Vitão pontuaram, fazendo com que a equipe voltasse a desgarrar, 64 a 55.

 

A diferença no marcador não acomodou o Paulistano, pelo contrário. Mantendo a agressividade defensiva, dificultou a movimentação da Coruja, chegando a abrir quatorze pontos após tiro certeiro de Leo Meindl e falta antidesportiva em cima de Dikembe. Sem se deixar abater, os donos da casa equilibraram a parcial após a entrada de Tom, que reforçou o garrafão da equipe antes ocupado apenas por César.

 

Esse cenário permaneceu durante alguns minutos, o que, pela proximidade do final da partida, favoreceu ao clube da capital. Nos últimos dois minutos, o Osasco melhorou, sobretudo no perímetro, com Kleiton se tornando a principal arma ofensiva. Mas a reação se tornou tardia, já que Hubner e Antônio aproveitaram as oportunidades na linha do lance livre, confirmando a vitória dos visitantes por 85 a 78.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados