Corinthians surpreende Bauru e segue sonhando com a classificação

20/09/2018

O Corinthians segue vivo no Campeonato Paulista. Jogando fora de casa, o Timão surpreendeu o Bauru Basket, ao derrotá-lo por 77 a 70, em uma partida muito equilibrada, que permite ao clube da capital seguir sonhando com uma improvável, porém possível, classificação às quartas de final do estadual.

 

O triunfo alvinegro passa pela bela partida que os pilares da equipe fizeram. Experiente, Fischer, Fuller e Giovannoni comandaram o time dentro de quadra, demonstrando muita garra em cada jogada. Juntos, anotaram cinquenta e um pontos, quantidade que corresponde à 66% dos tentos anotada pelo Corinthians no duelo.

 

No seu retorno ao Panela, Fischer fez grande partida, somando 15 pontos e 7 assistências (Victor Lira/Bauru Basket)

 

Mas não foram apenas os medalhões que corresponderam. Com uma defesa móvel, os visitantes conseguiram neutralizar os principais jogadores do Dragão, baixando a produção ofensiva da equipe local, dona de um melhores ataques da competição, com média superior a 82 pontos por confronto.

 

Ao final da partida, Giovannoni contextualizou sobre o início de temporada do Timão, ressaltando a importância do resultado para a sequência do trabalho e também sobre a remota possibilidade de classificação alvinegra, que só será possível caso São José perca as duas partidas e o clube da capital derrote o Osasco, no sábado.

 

"Mas que o sonho de classificação no Paulista, é a moral que nos dá. Não fizemos um bom campeonato até agora, temos de reconhecer isso, mas, um jogo como o de hoje, mostra o potencial que a equipe tem. Tivemos muito percalços que atrapalharam um pouquinho nosso trabalho. A classificação está difícil mas ainda temos possibilidades."

 

Indo na contramão de muitos torcedores e companheiros, Giovannoni disse que prefere não acompanhar o duelo da Águia amanhã.

 

"Esse é o tipo de jogo que, eu particularmente, não vou assistir. Não adianta, a gente fica nervoso, ansioso e é uma situação que a gente não tem controle. Vou ficar em casa e se tivermos possibilidades de classificar no sábado, é isso que vamos fazer."

 

A vitória alvinegra só não foi recebida de maneira tão negativa pelo Dragão, porque com a vitória do Paulistano sobre o Pinheiros (que foi acompanhada por toda comissão técnica ainda dentro da quadra) garantiu a equipe nas semifinais do Paulista. Apesar do passaporte conquistado, Bauru ainda luta pela primeira posição, em confronto direto contra o Paulistano, na sexta, como bem lembrou Demétrius.

 

"Hoje nosso jogo não foi tão bom, mas o mérito da vitória é todo do Corinthians, que fez uma marcação forte e dificultou as coisas para os nossos jogadores. Apesar da derrota conseguimos a vaga para as semifinais, mas agora é preciso pensar, analisar e conversar para podermos vencer o Paulistano e nos garantir em primeiro lugar na tabela."

 

Contratado no começo de agosto, Fúlvio fez sua estreia diante do Corinthians (Victor Lira/Bauru Basket)

 

A noite também marcou a estreia de Fúlvio que, para surpresa de muitos, atuou junto com Larry Taylor, levando a bola, enquanto o Alienígena tinha mais liberdade para exercer a função de um escolta. Ao final do duelo, Fúlvio comentou sobre a configuração e seus novos companheiros.

"É uma característica do basquete moderno, atuar com dois armadores. O Larry tem um vigor físico fantástico e com a minha entrada, dando mais qualidade em passes, acho que vai dar um belo entrosamento. Fico muito feliz de poder atuar, não só ao lado do Larry, mas de tantos jogadores gabaritados."

 

O JOGO

 

O Bauru Basket começou a partida a mil por hora. Defendendo de maneira agressiva, os donos da casa tiraram a movimentação de bola do Corinthians, estancando a produção do adversário. No contragolpe teve paciência para esperar o momento certo de atacar, com Gustavo ajudando na distribuição e Jefferson puxando a pontuação. Tamanha superioridade ficou refletida no marcador, com uma corrida de doze a zero.

 

O Timão acordou após o tempo técnico pedido por Bruno Savignani. Trabalhando a posse de bola com mais velocidade, os visitantes conseguiram desajustar a marcação bauruense, criando espaços para Giovannoni converter arremessos de média e longa distância e Fuller emplacar infiltrações. Apesar da recuperação do adversário, o Dragão fechou o período à frente, após tramas envolvendo Cauê e Gui Santos, 27 a 20.

 

O jogo mudou de lado completamente no segundo quarto. Em pouco menos de dois minutos, o Corinthians conseguiu encostar de vez no marcador, em arremesso de Nicolas, livre no perímetro, e em bandeja de Fuller. Mas, demorou para os alvinegros consumarem a virada. Seguro na defesa, os visitantes não conseguiam finalizar os ataques, deixando o duelo amarrado, com o placar parcial apontando 4 a 2 para os visitantes depois de mais de cinco minutos de peleja.

 

Na tentativa de melhorar a organização da equipe, Dema chamou Fúlvio para quadra, deixando-o ao lado de Larry Taylor, algo que o torcedor bauruense sonhou por muitos anos, quando era comum ver ambos se enfrentando pelos mais diversos campeonatos. A dupla melhorou ligeiramente a produção do Dragão, mas quem roubou a cena mesmo foi Fischer. Explorando muito bem os bloqueios de Abner, o armador converteu dois arremessos da cabeça do garrafão, antes de virar o jogo em bola de três pontos, 36 a 35.

 

O equilíbrio e consequente trocas de liderança tão esperadas só começaram a acontecer na etapa complementar. Jogando um basquete clássico, de muita paciência e uso constante das jogadas de pick-and-roll, Bauru e Corinthians protagonizaram um belo terceiro quarto, onde, desde o início do período, os lideres técnicos dos clubes chamaram a responsabilidade, com destaque para Larry e Giovannoni.

 

Giovannoni levou a melhor no duelo acirrado dentro do garrafão, anotando duplo-duplo, 17 pontos e 13 rebotes (Victor Lira/Bauru Basket)

 

A importância da partida e a proximidade no marcador elevaram a temperatura do confronto. Depois de alguns avisos da arbitragem, Fischer reclamou novamente e foi punido com falta técnica. Logo na sequência Caue parou contragolpe alvinegro e foi penalizado com antidesportiva. O saldo das infrações favoreceu o Timão, que chegou a abrir quatro pontos de frente. No entanto, o Dragão reagiu e diminuiu a desvantagem para apenas um ponto, em arremesso de fora de Lucas Mariano, 56 a 55.

 

Mas não demorou para o clube do Parque São Jorge voltar a ter uma gordura. Atento na defesa, neutralizou a produção dos mandantes, tendo a transição à seu favor. Com boa leitura de jogo, Fischer e Humberto encontraram Teichmann e Giovannoni em ótimas condições dentro do garrafão bauruense, colocando a diferença em oito pontos.

 

Com seus principais pontuadores bem monitorados pelo rival, Bauru encontrou nas infiltrações de seus armadores, Larry e Fúlvio, uma válvula de escape. De bandeja em bandeja, de lance livre em lance livre, o Dragão foi cortando a desvantagem, chegando a ficar a apenas três pontos do empate. Foi então que Fuller, da zona morta, e Fischer, em jogada individual, liquidaram a partida, 77 a 70.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags