Em duelo acalorado, Franca supera Bauru e se garante na decisão do Campeonato Paulista

07/10/2018

Todo clássico que se preze, reúne diversos ingredientes que apimentam o duelo, fazendo jus a toda a expectativa criada antes da partida. E não faltaram elementos que incendiassem o terceiro e decisivo confronto entre Bauru e Franca, pelas semifinais do Campeonato Paulista.

 

Em uma partida pra lá de quente, o time francano superou o arquirrival, pelo placar de 78 a 65, garantindo a classificação para a decisão do estadual fora de casa, quebrando, assim, o mando de quadra bauruense.

 

Diferentemente das duas primeiras partidas, os adversários fizeram um jogo mais parelho, situação que reflete o equilíbrio dos elencos, recheados de boas opções. Mas hoje, a segunda unidade das duas equipes não funcionaram e o volume de jogo ficou concentrado na mão de poucos jogadores, especialmente de dois gringos (Enzo Ruiz e David Jackson).

 

Com mais velocidade na movimentação ofensiva, Franca distribuiu um pouco melhor o volume de jogo, envolvendo também Cipolini e Jimmy, tomando conta da partida ainda nos primeiros minutos. Sem a mesma organização, Bauru mantinha-se vivo na partida graças ao brilho individual de Enzo.

 

Essa foi a tônica de toda a partida. Os visitantes ligeiramente mais organizados, condição que lhe deu mais consistência, enquanto os donos da casa se agarravam no espírito de luta para compensar a noite pouco inspirada. 

 

Mas, nos minutos finais, quando o time bauruense vivia seu melhor momento na partida, alguns erros da arbitragem facilitaram o triunfo francano, que poderia e deveria até vir sem os equívocos, dada a superioridade Franca na ao longo da série.

 

Por conta disso e da provocação de André Góes para a torcida local, os ânimos se exaltaram e, ao final da partida, nenhum atleta visitante atendeu a imprensa, seguindo diretamente para os vestiários, assim como os juízes e grande parte do elenco do Dragão.

 

Falta de critério e pulso da arbitragem foram determinantes para o duelo esquentar nos minutos finais (Victor Lira/Bauru Basket) 

 

Um dos poucos a conversas com os jornalistas foi o técnico Demétrius. Bem polido, comentou sobre a eliminação sem entrar em maiores polêmicas, reconhecendo o mérito do rival.

 

"Não fomos bem no contra-ataque, nos nossos rebotes e Franca soube se beneficiar disso. Infelizmente ficamos de fora dessa decisão, mas temos que ter a cabeça no lugar, focar nas próximas competições. Já temos a estreia do NBB no sábado e vamos consertar os erros que tivemos hoje e evoluir para os futuros jogos."

 

Enquanto Bauru terá a semana cheia para se preparar para o Novo Basquete Brasil, Franca iniciará a disputa pelo Campeonato Paulista, onde terá pela frente o Paulistano, no reencontro entre as equipes após a decisão do ano passado, vencida pelo clube da capital.

 

O JOGO

 

O Bauru Basket começou a partida trocando passes rápidos dentro do garrafão, abrindo quatro a zero após duas tramas que passaram pelas mãos de Jefferson e terminaram em bandejas de Renato e Gustavo. Mas, a partir de então, Franca melhorou a proteção dentro da área pintada e passou a tomar comandar as ações, com destaque para os contragolpes puxados por Elinho e o trabalho de pernas de Cipolini, dominante no garrafão.

 

Os mandantes chegaram a responder com uma sequência de roubos de bola que culminaram em arremessos de três pontos de Enzo e Larry, encostando no marcador. Mas alguns desperdícios de bola no ataque fizeram o time perder força, ao mesmo passo que David Jackson explorava os bloqueios realizados por Lucas Dias, para infiltrar com maestria e devolver a margem de segurança para a equipe francana, 25 a 15.

 

No começo do segundo período um elemento, que não deveria, começou a aparecer. Completamente perdida, a arbitragem anotou inúmeras faltas inexistentes, limitando o volume das equipes, que, rapidamente, estouraram o limite de faltas coletivas. Na metade da parcial, o placar apontava vantagem mínima para os visitantes, 05 a 04.

 

Quando deixou a arbitragem de lado, o Dragão despertou. Mais agressivo nas trocas defensivas, melhorou a proteção na área pintada, garantindo rebotes importantes para consegui imprimir velocidade na contraofensiva. Espaçando bem a quadra, contou com o brilho individual de Enzo Ruiz, além da colaboração importante de Gustavo e Samuel no perímetro, chegando a empatar o duelo. Apesar disso, Franca foi para o intervalo vencendo por 37 a 33.

 

Enzo se desdobrou em quadra e terminou como cestinha, com 26 pontos (Victor Lira/Bauru Basket) 

 

A falta de inspiração do primeiro tempo deu lugar a um segundo tempo fluído, com os adversários movimentando rapidamente a posse de bola e mostrando repertório ofensivo. Do lado bauruense, as principais jogadas passavam pelas mãos de Enzo Ruiz, enquanto do outro lado ficavam sob responsabilidade de Jimmy, em cinco minutos de muito equilíbrio, refletido no empate parcial de dez pontos.

 

Só que dali para frente só deu Franca. Apesar da baixa pontuação, os pivôs francanos conseguiram causar o desequilíbrio defensivo nos donos da casa, colocando David Jackson e Lucas Dias em situações de miss match. Enquanto o ala dominicano partiu para as infiltrações, o brasileiro teve boa visão para encontrar Jimmy sempre bem posicionado, fazendo com que o time fosse para o último quarto vencendo por 61 a 50.

 

A vantagem ficou ainda maior no começo do quarto período. Em pouco menos de dois minutos, Franca aumentou a diferença para quatorze pontos, colocando ainda mais pressão no Dragão e ficando mais próximo da classificação. Após o tempo técnico pedido por Dema, Bauru reagiu, sobretudo no aspecto defensivo.

 

Com Gustavo se atirando no chão para recuperar duas posses de bola, os donos da casa conseguiram cortar a desvantagem pela metade, colocando fogo na partida. Durante alguns minutos, os rivais trocaram cestas em um ritmo alucinante. Mas o que caminhava para ser um desfecho acirrado, de ajustes táticas, deu lugar a tensão.

 

Após arremesso do perímetro, André Góes provocou a torcida bauruense, causando uma confusão desnecessária, que paralisou o duelo por mais de cinco minutos e continuou na quadra, com chegada ríspida de Lucas Mariano em cima de DJ e mais reclamações com a arbitragem, que assim como o elenco francano, saiu rapidamente para os vestiários. No final das contas, Franca garantiu a classificação com o triunfo por 78 a 65.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados