Na prorrogação, Quimsa derrota o Bauru e coloca brasileiros na corda bamba

17/10/2018

O Bauru Basket entrou em quadra pressionado e deixou a quadra com a corda no pescoço. Em mais uma apresentação irregular, a equipe foi derrotada para o Quimsa, por 86 a 80, e ficou em situação delicada na Liga Sulamericana.

 

Diferentemente das partidas anteriores, em que começou os duelos de maneira dispersa, o Dragão iniciou o confronto extremamente concentrado. Agressivo na defesa, dominou o primeiro quarto por completo, permitindo apenas oito pontos ao adversário e concretizando as oportunidades que tinha na transição.

 

Mas, no decorrer do jogo, a intensidade defensiva foi caindo, assim como a confiança dos atletas. Assim, o Dragão foi perdendo o controle das ações e dependendo cada vez mais do brilho individual de Lucas Mariano para se manter vivo na partida, enquanto o adversário tinha mais distribuição no volume de jogo.

 

Lucas deixou a quadra com 31 pontos e 12 rebotes, mas nem o desempenho avassalador do pivô evitou mais um revés bauruense (Victor Lira/Bauru Basket)

 

Liderado por De Los Santos, mas com boa participação de Mainoldi, Brussino, Schattman e Torim, o Quimsa confirmou, com justiça, a vitória na prorrogação, quando demonstrou mais tranquilidade para tomar as decisões ofensivas.

 

Com o triunfo sobre a equipe brasileira, o Quimsa se coloca em ótima condições no Grupo C. Uma vitória amanhã sobre os anfitriões, Fastbreak, praticamente garante os argentinos no quadrangular semifinal da competição.

 

Por outro lado, o Bauru fica em situação delicadíssima. Vindo de sete derrotas em oito jogos, sendo três consecutivas, precisa vencer os dois próximos confrontos, contra o Minas e o Fastbreak, para seguir sonhando com uma das vagas.

 

O JOGO

 

Vindo de uma sequência negativa, Bauru Basket começou a partida com outra postura. Agressivo na defesa, obrigou o Quimsa a atuar no improviso, quase sempre longe da cesta, onde o aproveitamento foi nulo (0/5 no perímetro). Assim, conseguiu abaixar o volume ofensivo do rival e aproveitar a velocidade de Larry nos contragolpes para assumir o controle do jogo em bolas de segurança de Jefferson e Lucas Mariano.

 

Nem mesmo o tempo técnico pedido por Miguel Santander alterou o panorama da partida. Mantendo a solidez defensiva, o Dragão seguiu impondo muitas dificuldades para os argentinos, conseguindo, inclusive, roubadas de bola, com Enzo e Cauê. Aproveitando as oportunidades geradas a partir da transição, com Lucas Mariano e Enzo, e também de falta técnica cometida por Fells, o time brasileiro fechou o período vencendo por 18 a 8.

 

No entanto, a partir do segundo quarto, o duelo passou a mudar de figura. Com dificuldade para trabalhar a posse de bola, Bauru cometeu inúmeras faltas ofensivas, estancando o volume de jogo da equipe e pendurando o time em faltas coletivas. Sem poder agredir o adversário com uma defesa mais justa, viu a diferença que chegou a doze pontos ir embora em um piscar de olhos. Bem municiado por De Los Santos, o Quimsa emplacou cinco bolas consecutivas de três pontos, assumindo a liderança da partida.

 

Mas, apesar da reviravolta, o Dragão se recompôs rapidamente. Com a volta de alguns titulares, o posicionamento defensivo da equipe melhorou consideravelmente. Alem de anular a movimentação do adversário no perímetro, também controlou o trabalho interno do rival com boa proteção de Lucas Mariano. O pivô, aliás, ainda apareceu de maneira decisiva na contra-ofensiva para recolocar o Bauru na dianteira do marcador, 37 a 31.

 

Larry distribuiu sete assistências, mas perdeu duelo individual com De Los Santos, responsável por onze passes certeiros (Victor Lira/Bauru Basket)

 

A equipe brasileira voltou ligada para o segundo tempo e voltou a abrir dez pontos de vantagem ainda nos minutos iniciais, com boa aparição de Larry Taylor. O armador foi responsável pelos cinco primeiros pontos, além de servir Enzo Ruiz no perímetro. Mas não demorou muito para os argentinos reagirem. Se aproveitando do vigor físico, Torin e Fells dominaram os rebotes ofensivos, equilibrando a parcial.

 

Depois de algumas trocas de cestas e de lideranças, o Dragão explorou melhor o trabalho de um contra um de seus pivôs, abrindo sete pontos de vantagem na linha do lance livre. No entanto, na última ação do período, Brussino converteu bola de fora e ainda sofreu falta de Fúlvio, diminuindo a desvantagem do Quimsa para apenas três pontos no lance de bonificação, 55 a 52.

 

No comando da partida durante praticamente todo o duelo, Bauru começou o último período mal organizado e viu o adversário abrir seis pontos de vantagem em uma corrida de nove a zero, que contou com grande participação de De Los Santos e Aguerre. Pressionado, o time brasileiro apostou na configuração com dois armadores para trabalhar melhor a posse de bola. Ainda que não apresentasse a organização ideal, Larry e Fúlvio conseguiram encontrar Lucas Mariano e Jefferson na área pintada, virando a partida na linha do lance livre.

 

Imediatamente, o Quimsa emplacou dois arremessos de fora, com Mainoldi e Brussino, recuperando a dianteira e certa vantagem no marcador. Depois de mais de dois minutos de muitas precipitações ofensivas, de lado a lado, o Dragão foi buscar o empate. Muito mais na disposição do que na técnica, levou a partida para a prorrogação em duas infiltrações, de Larry e Lucas Mariano, 70 a 70.

 

No começo da prorrogação, Lucas Mariano e De Los Santos seguiram ditando o ritmo das equipes. Pontuando dentro e fora do garrafão, protagonizaram um duelo de tirar o fôlego. Mas, o equilíbrio inicial ficou de lado e o Quimsa liquidou a partida rapidamente. Com mais organização, selecionou melhor os arremessos, pontuando sempre em bolas de segurança, na área pintada, com Mainoldi puxando a pontuação dos argentinos, que venceram a partida por 86 a 80.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados