Em duelo extremamente equilibrado, Franca vence Bauru nos segundos finais

27/10/2018

Toda a expectativa criada em cima do clássico entre Bauru e Franca foi devidamente correspondida. Ainda que ofensivamente as equipes não tenham produzido tanto quanto podem, não faltaram elementos positivos no duelo disputado nesse sábado.

 

Desde o início do confronto ficou bem claro que a intensidade seria altíssima e que caberia a cada clube administrá-la da melhor maneira possível, tanto por questões físicas, quanto emocionais. As variáveis, decorrentes da qualidade do adversário e de oscilações naturais, deixaram o confronto recheado de variáveis.

 

Em um estágio mais avançado de preparação e com mais peças do elenco à disposição, Franca ditou o ritmo do jogo, além de mostrar um pouco mais de consistência e força mental para driblar os períodos em que o Dragão esteve melhor, sobretudo no minuto final, quando os mandantes estavam muito próximos da vitória.

 

A recuperação na última volta do ponteiro foi bastante comemorada por Helinho, já que com o triunfo diante do rival, o time consegue se manter na parte de cima da tabela de classificação.

 

"Uma vitória importantíssima, em um jogo difícil, com muitas variantes dentro da partida. Acho que dominamos trinta minutos do jogo, mas o jogo estava indefinido e isso gera angústia. Mas o importante que buscamos a vitória e demos um salto na tabela de classificação."

 

Diferentemente das últimas partidas, em que tiveram excelente aproveitamento no perímetro, rivais concentraram o volume ofensivo dentro do garrafão (Victor Lira/Bauru Basket) 

 

Em uma exibição segura, de muita organização e entrega, Bauru sentiu e muito a falta de líderes naturais do elenco, como Jefferson, que não fez boa partida, para confirmar uma vitória que seria muito importante para a recuperação da equipe no campeonato.

 

Fundamental para o esquema de Demétrius, Enzo creditou a derrota aos erros ofensivos da equipe nos últimos minutos.

 

"Em jogos como esse, temos que estar mais concentrados, principalmente na última posse de bola. Podemos não ter dias bons ofensivamente, mas a defesa precisa ainda de ajustes, para que a equipe almeje coisas importantes."

 

Os adversários voltam à quadra somente na próxima quarta e diante de adversários que ainda não venceram na competição. Fechando o G4 da competição, o Franca visita o lanterna Basquete Cearense, às 20:00. Na sequência, às 20:45, o Dragão enfrenta o Brasília, na capital federal.

 

O JOGO

 

O clássico paulista entre Bauru e Franca começou extremamente equilibrado. Com boa troca de passes, os visitantes quebraram o posicionamento defensivo bauruense, criando espaços no perímetro, onde a equipe foi precisa. Com três bolas de fora, de Elinho, David Jackson e Cipolini, os visitantes assumiram o controle da partida ainda nos primeiros minutos. Apesar do Franca estar à frente no marcador, o Dragão mantinha-se muito perto do rival, levando vantagem nas infiltrações de Gustavo e Enzo Ruiz.

 

Para conter o volume francano no perímetro e buscar a virada, o Dragão apostou em dobras defensivas. A medida, de fato, dificultou a produção ofensiva do rival na linha dos três pontos, mas desprotegeu o garrafão bauruense. Aproveitando bem os espaços deixados pelos donos da casa, Lucas Dias converteu três arremessos de média distância, garantindo vantagem aos visitantes ao final do primeiro quarto, 27 a 20.

 

Com as trocas promovidas pelos técnicos e as inúmeras decisões equivocadas dos suplentes das duas equipes, o começo do segundo período foi de baixíssimo nível. Foram mais de três minutos sem que nenhum time convertesse um arremesso sequer, até Fúlvio dar fim ao jejum de cestas e Enzo emplacar duas bolas consecutivas da zona morta, empatando a partida a menos de três minutos para o final do primeiro tempo.

 

Vivendo melhor momento dentro da partida, Bauru assumiu a liderança da partida pela primeira vez, aproveitando o vigor físico de Lucas Mariano na área pintada. No entanto, Franca mostrou mais agressividade do que vinha apresentando nos minutos anteriores, indo para os vestiários com um ponto de vantagem após os lances livres convertidos por Didi, no estouro do cronômetro, 36 a 35.

 

Com grande repertório ofensivo, Enzo anotou 22 pontos e foi o cestinha da partida (Victor Lira/Bauru Basket)

 

No começo do segundo tempo, os adversários seguiram tomando decisões equivocadas na seleção das jogadas. Sem movimentar muito a posse de bola, precipitaram muitos arremessos de três pontos. Quando começaram a direcionar as ações para dentro do garrafão, o desempenho cresceu consideravelmente, principalmente do Dragão, que pontuou com quatro dos cinco atletas em quadra.

 

A resposta francana veio rapidamente. Intensificando a marcação na área pintada, estancou o volume ofensivo dos donos da casa, aproveitando a velocidade de Jimmy e Didi na transição para retomar a dianteira e o controle do jogo. Na reta final do período, Fúlvio entrou e melhorou a produção ofensiva do Bauru, mas a equipe falhou em duas trocas defensivas e Lucas Dias impediu a aproximação dos mandantes, 56 a 49.

 

Os mandantes voltaram mais equilibrados para o último quarto. Mais veloz nas trocas defensivas, dificultou e muito a vida do Franca. A segurança defensiva deu tranquilidade para o time trabalhar no outro lado da quadra. Envolvendo todas as peças na construção ofensiva, encontrou espaços nas costas da defesa francana para pontuar em bolas de segurança e também no perímetro, onde Enzo só foi parado com falta. Na cobrança, converteu os lances livres, decretando o empate e colocando emoção na partida.

 

Com dificuldade para envolver os companheiros devido ao bom posicionamento defensivo, os rivais apostaram nas jogadas de pick-and-roll. Através dela, os alas conseguiram concretizar as ações ofensivas, protagonizando intensa trocas de liderança. Na reta final, o Dragão sustentou duas defesas e teve a oportunidade de liquidar a partida, mas a equipe cometeu erros infantis na construção ofensiva e viu o Franca buscar a virada nos segundos finais, em enterrada de Cipolini e lances livres de David Jackson, 70 a 69.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo