Corinthians supera Bauru, que encerra primeiro turno na vice-lanterna do NBB

15/12/2018

O ano não poderia terminar de maneira pior para o Bauru Basket. Jogando na capital paulista, voltou a apresentar fragilidades, sobretudo defensivas, e acabou derrotado para o Corinthians, por 87 a 83, encerrando o primeiro turno do Novo Basquete Brasil em décimo terceiro, na vice-lanterna do campeonato, a frente, apenas, do caçula Brasília.

 

Antes mesmo da bola subir, o Dragão já não tinha muitos motivos para comemorar. Além de não ter mais chances de se classificar ao Super 8 por conta das vitórias de Basquete Cearense e São José, os visitantes ainda perderam Alex, que sentiu incômodo na coxa e se juntou à Larry, Gustavo e Jaú, que ainda não estreou na temporada.

 

Sem o Brabo, Bauru não teve a mesma postura apresentada contra o Paulistano, em uma atuação que lembrou muito o péssimo início de competição, quando a falta de confiança era nítida. Hoje não foi muito diferente, especialmente a partir do segundo quarto, momento que o time apagou, demonstrando apatia, bem aproveitada pelo Timão, que abriu vantagem importante no marcador.

 

Outro ponto interessante no embate entre os paulistas foi o desempenho dos armadores. Com as mesmas características de jogo, Parodi e Fúlvio protagonizaram um belo espetáculo dentro de quadra. Distribuindo assistências, foram doze do uruguaio e oito do brasileiro, e pontuando, foram os principais nomes da partida.

 

Desempenho da dupla impulsionou o rendimento dos adversários (Victor Lira/Bauru Basket)

 

Com o triunfo no confronto direto, o Corinthians põe fim à uma série de duas derrotas consecutivas, para São José e Mogi das Cruzes, saltando do décimo segundo lugar para a nona posição, encerrando o primeiro turno próximo do G8, grupo que levará vantagem do mando de quadra nas oitavas de final da competição.

 

Já o Dragão, como dito anteriormente, encerra a primeira metade do torneio amargando a vice-lanterna da competição, fruto da sobrecarga física e instabilidade emocional e defensiva da equipe, que se reflete também fora das quadras, com troca de gestor da equipe, saída de patrocinadores

 

O JOGO

 

O começo de partida entre Corinthians e Bauru Basket foi de muito equilíbrio. Com mais velocidade na troca de passes e distribuição no volume de jogo, os visitantes lideraram o marcador, mas algumas precipitações ofensivas, somada ao protagonismo de Fuller, impediram que o time do interior, durante alguns minutos, abrisse vantagem. Somente na reta final da parcial, que o Dragão conseguiu desgarrar, através das bolas de segurança de Marcão e lances livres de Jefferson, 21 a 16.

 

Mas não demorou muito para os donos da casa se recuperarem. Intensificando a marcação sobre os atletas da segunda unidade bauruense, formada por jovens, o Timão estancou o volume do adversário, conseguindo retomar a liderança nos arremessos próximos à cesta, com Abner e Teichmann. Nem mesmo o retorno dos titulares recolocou Bauru nos trilhos. Extremamente disperso, não viu a cor da bola, sofrendo cortes fáceis que acarretaram em inúmeras infiltrações do Timão, que foi para os vestiários vencendo por 39 a 34.

 

Recuperação bauruense só foi possível graças à entrada de Marcão, impecável nos arremessos de quadra (Victor Lira/Bauru Basket) 

 

O Dragão até chegou a beliscar o empate no começo da etapa complementar, em contragolpes puxados por Samuel, mas a fragilidade defensiva dos visitantes, personificadas na figura de Lucas Mariano, que sequer contestava os arremessos, fez com que o alvinegro colocasse a diferença na casa dos dígitos duplos, após grande sequência de Parodi. Após a entrada de Cauê, os visitantes melhoraram ofensivamente, mas a passividade do outro lado da quadra impediu uma reação por parte da equipe bauruense, 67 a 55.

 

Bauru demorou, mas conseguiu reagir. Depois de um início de último quarto bastante equilibrado, o time do interior enfim ajustou o sistema defensivo. Após a entrada de Marcão no lugar de Lucas Mariano, excluído com cinco faltas, os visitantes protegeram melhor o garrafão, tirando as cestas fáceis do adversário, que ficou fragilizado com a saída de Parodi, pendurado. A solidez defensiva permitiu que o Dragão tivesse tranquilidade para trabalhar na contra-ofensiva, onde Fúlvio e Marcão protagonizaram as ações, conseguindo buscar o empate. Nos minutos finais, os times, acima do limite de faltas coletivas, trocaram lances livres, mas foi em arremesso preciso de Fuller, que o Corinthians confirmou a vitória, por 87 a 83.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags