Flamengo passa por cima do Corinthians e segue na perseguição aos líderes

12/01/2019

O Flamengo venceu mais uma partida no Novo Basquete Brasil. Diante do Corinthians, no Clássico das Multidões, o rubro-negro não tomou conhecimento do adversário, derrotando-o por 91 a 68, mesmo com o Ginásio Wlamir Marques, na capital paulista, recebendo bom público nesse sábado (12).

 

O triunfo do Mais Querido passou, mais uma vez, pela visão de jogo apurada de Franco Balbi. Principal organizador de jogo do time carioca, o argentino tomou conta da partida desde os primeiros minutos, quando o duelo ainda estava equilibrado. 

 

Preciso nas infiltrações, mortal nas bolas longas e cirúrgico nos passes para seus companheiros, em especial Marquinhos, Balbi foi abrindo caminho para o Flamengo tomar contar das ações ainda no primeiro tempo, quando os visitantes abriram quinze pontos de frente, jogando toda a pressão para o rival, que atuava dentro de casa.

 

Marquinhos foi o cestinha da partida com 22 pontos (Beto Miller) 

 

Trabalhando com tranquilidade e de maneira coletiva, rubro-negro não teve a menor dificuldade para administrar o resultado, chegando, assim, a terceira vitória consecutiva. A sequência de resultados positivos faz com que os comandados de Gustavinhos sigam na perseguição ao líder Franca e ao vice-líder Pinheiros, adversário da próxima segunda-feira, em mais um duelo que será disputado em São Paulo.

 

Se o jogo do Mengão transcorreu normalmente, o mesmo não se pode dizer do Corinthians. O time, que tinha tido sua melhor exibição no campeonato diante do Minas, na última terça-feira, esteve longe de repetir o que fez diante dos minastenistas.

 

Sem dar o mesmo tempo de quadra aos jovens, até em função do tamanho do confronto dessa sábado, Savignani viu seus principais pontuadores ficaram encaixotados na boa marcação adversária, que mantinha a intensidade devido à profundidade do seu elenco.

 

Fato é que com o revés, o Timão caiu duas posições na tabela de classificação, ficando no nono lugar, fora do grupo que decidiria uma vaga às quartas de final diante do seu torcedor, principal objetivo do time nessa temporada.

 

O JOGO

 

O Clássico das Multidões começou muito equilibrado. Assimilando muito bem a função de líderes de suas equipes, Parodi e Balbi ditaram, cada um a sua maneira, o ritmo de jogo nos primeiros minutos. Enquanto o armador alvinegro trabalhava mais coletivamente, o rubro-negro encontrava espaços na defesa adversária para infiltrar e puxar a pontuação do Flamengo. No entanto, os dois cometeram muitas faltas e precisaram deixar a quadra rapidamente. Após a saída da dupla, os visitantes se impuseram. Com forte marcação em cima de Fuller, o Mais Querido neutralizou o volume adversário, explorando os contragolpes e os arremessos de Marquinhos para abrir vantagem, 22 a 16.

 

Os rivais voltaram para o segundo período com boa consciência coletiva. Movimentando a bola com categoria, Parodi conseguiu criar arremessos para si e também envolver Teichmann, que veio bem do banco de reservas. Apesar disso, os mandantes não conseguiram reduzir a diferença no marcador, muito pelo contrário. Com muito recurso técnico, o rubro-negro explorou as fragilidades do Timão, que também perdeu a cabeça com a arbitragem e cometeu duas faltas técnicas, cedendo pontos de graça aos comandados de Gustavinho, que foram para os vestiários vencendo por quinze pontos de diferença, 49 a 34.

 

As orientações de Bruno Savignani durante o intervalo surtiu efeito imediato. Com muito mais intensidade, conseguiu encaixar boa sequência defensiva que lhe deu a possibilidade de sair em velocidade, com Parodi distribuindo e Fuller aparecendo como principal pontuador à média distância, para baixar a desvantagem para apenas oito pontos. O problema é que o Corinthians tornou-se refém do seu próprio veneno. No desespero de buscar o resultado, acelerou demais o ritmo de jogo, o que lhe fez desperdiçar inúmeros ataques. Na tranquilidade de Balbi e no suporte de Deryk, o Mengão voltou a abrir frente, encaminhando a vitória ainda no terceiro quarto, 69 a 52.

 

Se o Corinthians ainda sonhava com uma virada, ela desapareceu nos primeiros minutos do último período. Repetindo os erros das parciais anteriores, viu os visitantes colocarem a diferença acima dos trinta pontos, em uma corrida inicial de dezoito a três, com direito a enterrada de Nesbitt e festival de bolas de três pontos de Balbi e Marquinhos. Após a sequência avassaladora do rubro-negro, Gustavinho, já de olho no confronto contra o vice-líder Pinheiros, na segunda-feira, poupou seus principais jogadores. No final, o Corinthians conseguiu amenizar um pouco a imagem ruim que tinha deixado ao longo de toda partida, com destaque para a defesa quadra toda e contribuição de Humberto, agressivo em direção à cesta, 91 a 68.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags