Pinheiros sustenta pressão alvinegra, chega a oitava vitória consecutiva e coloca pressão no Franca

17/01/2019

O Pinheiros mostrou, mais uma vez, que não está na vice-liderança do Novo Basquete Brasil por acaso. Mesmo atuando fora de casa, a equipe paulista superou o Corinthians, por 80 a 78, e chegou à oitava vitória consecutiva. De quebra, coloca pressão no Franca, que precisa vencer o Vasco da Gama, amanhã, no Rio de Janeiro, para sustentar a primeira colocação.

 

Mas, diferentemente de outros duelos, em que a superioridade pinheirense ficou clara, dessa vez, o time encontrou um pouco mais de dificuldade. Defensivamente, o time foi bem. Apesar de não conseguir diminuir o impacto de Fuller, autor de sua maior pontuação na história do NBB, com 32 pontos, 50% dos arremessos de quadra e 100% dos lances livres convertidos, a equipe pinheirense anulou outras peças do adversário, deixando o gringo ainda mais sobrecarregado.

 

O problema é que o time não conseguiu garantir os rebotes defensivos e sair em velocidade, perdendo uma de suas principais armas, a transição. Assim, atacou, praticamente todo jogo, no cinco contra cinco, exigindo mais versatilidade e dinâmica de sua dupla de armadores, que não estava em grande noite.

 

Apesar disso, assumiu o controle do jogo ainda no segundo quarto e poderia ter sacramentado o triunfo com mais facilidade, não fossem os erros na linha do lance livre. O aproveitamento baixo no fundamento manteve o adversário, mesmo todo remendado por conta do acúmulo de faltas de seus principais jogadores, vivo na partida até os segundos finais, quando mostrou frieza para sacramentar a vitória.

 

Autor dos lances livres que garantiram o triunfo, Betinho foi um dos três atletas do Pinheiros a pontuar na casa dos dígitos duplos (Reprodução/NBB)

 

Enquanto aguarda pelo próximo compromisso, que será somente na outra quarta-feira, diante do Paulistano, no Clássico dos Jardins, concentrará toda sua energia nos treinamentos e também no desenrolar da competição, já que uma derrota francana nesse período lhe colocará na primeira colocação.

 

O JOGO

 

O primeiro quarto da partida entre Corinthians e Pinheiros foi de muito equilíbrio. Com boa movimentação de bola, o Timão buscou as bolas de segurança e se deu melhor nos primeiros minutos. Agressivo em direção à cesta, Fuller só foi parado com falta e, na linha do lance livre, deu à liderança aos mandantes. A resposta pinheirense veio com a boa proteção defensiva, representada na figura de Toledo, que capturou seis rebotes, sendo quatro defensivos, fundamentais para o time reagir e buscar a virada. Só que os desperdícios na linha do lance livre custaram caro e o alvinegro, em dois arremessos longos de Fuller, retomou a dianteira, 20 a 17.

 

A igualdade do primeiro quarto deu lugar a superioridade do Pinheiros no segundo período. Ainda que o Corinthians tenha mantido a liderança por alguns minutos, o time visitante seguiu defendendo forte e de maneira limpa, causando desconforto na equipe alvinegra. Sem conseguir pontuar e vendo o rival encostar através dos arremessos precisos de Betinho na linha dos três pontos, os donos da casa cometeram inúmeras faltas, pendurando Giovannoni e Teichmann, e dando pontos de graça ao oponente, que não só passou à frente, como chegou a abrir oito pontos de vantagem após bandeja de Ware. A diferença, no entanto, caiu para apenas uma posse de bola graças a uma cesta memorável de Fuller (veja abaixo), no estouro do cronômetro, 39 a 36.

 

 

O panorama da partida não mudou na etapa complementar. Apesar de possuir uma organização maior do que o adversário, tanto na defesa, bem protegida, quanto no ataque, colaborativo, o Pinheiros sustentava a liderança do marcador, mas não conseguia abrir uma vantagem considerável. Deixando muitos pontos na linha do lance livre, viu os donos da casa, até então dependente de Fuller, manter-se vivo na partida em um período que o time contou com boa aparição de Abner. Ganhando oportunidade por conta do acúmulo de faltas pessoais do trio de pivôs mais utilizados da equipe, mostrou muita disposição para proteger o garrafão alvinegro e ainda contabilizou seis pontos na reta final do terceiro quarto, 58 a 56.

 

O crescimento de produção do Timão ficou evidenciado no começo do último período, quando a equipe passou à frente no marcador após bola de segurança de Fuller. Mas não demorou muito para o Pinheiros se reencontrar e retomar as rédeas da partida. Com boa distribuição de jogo de Dawkins e precisão de Isaac, que converteu dois arremessos do perímetro, os visitantes abriram oito pontos de vantagem. Sem muito tempo a lamentar, Savignani pediu tempo e voltou com força máxima, trazendo de volta à quadra, Parodi, Teichmann e Giovannoni. O retorno dos titulares surtiu efeito imediato e nas infiltrações do armador uruguaio, o Corinthians chegou ao empate, a dois minutos do final do jogo. Depois de muitas trocas de cestas, os visitantes sacramentaram o resultado após bola precisa de Renato e lances livres de Betinho, 80 a 78.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags