Franca supera início ruim, passa por cima do Bauru e mantém a liderança

02/02/2019

O Franca tomou um susto no começo da partida, mas não teve a menor dificuldade para bater o Bauru Basket. Atuando ao lado do seu torcedor, superou o arquirrival por 88 a 71, resultado que mantém a equipe francana na liderança do Novo Basquete Brasil.

 

A diferença no marcador reflete a disparidade entre as equipes até aqui. Montados para disputar todos os títulos na temporada, encontram-se em estágios completamente diferentes. Pressionado pelos resultados discretos no último ano, Helinho conseguiu, enfim,  dar padrão de jogo ao time.

 

Pregando pela intensidade defensiva e pela incessante troca de passes no ataque, Franca já faturou o Campeonato Paulista, a Liga Sulamericana e ainda alimenta a possibilidade real de abocanhar mais dois títulos, já que é um dos favoritos à conquista do NBB e também da Liga das Américas.

 

O Dragão, por sua vez, segue a direção oposta. Depois de alguns anos sofrendo com a situação financeira, foi agressivo no mercado e montou o elenco à dedo. No entanto, o início avassalador no estadual, foi a última imagem positiva deixada pela equipe.

 

Sofrendo com as inúmeras lesões e com a baixa produtividade de nomes importantes, não conseguiu, até agora, construir um sistema de jogo e atuar como equipe, vivendo, apenas, de lampejos individuais que não compensam as fragilidade defensivas e coletivas da equipe.

 

Todos esses elementos ficaram evidenciados no clássico desse sábado. Com personalidade, Franca mostrou para Bauru como se deve atuar. Marcando de maneira agressiva e trabalhando com segurança no ataque, extraiu o melhor de cada peça naturalmente, dominando a partida inteira.

 

Elinho, sozinho, distribuiu sete assistências, metade do que todo o elenco bauruense produziu (Victor Lira/Bauru Basket)

 

O triunfo maiúsculo sobre o arquirrival eleva, ainda mais, a moral francana para um compromisso importantíssimo. Na terça-feira, a equipe mede forças contra o Flamengo, em um duelo direto pela liderança da competição.

 

O calendário, que outrora foi amargo, agora é amigo do Bauru Basket. A equipe só volta às quadras no próximo dia 14, quando enfrentará o Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte. Espera-se que nesse período de doze dias, o Dragão mostre evolução, necessária para a equipe almejar voos maiores.

 

O JOGO

 

Surpreendentemente, o Bauru Basket começou o duelo melhor. Com muita intensidade, segurou o ataque francano e converteu as oportunidades que teve na linha dos três pontos, com Enzo e Alex, para abrir oito a zero. Mas, aos poucos, o time foi perdendo intensidade e o Franca mostrou que não é líder do campeonato por acaso. Marcando de maneira mais agressiva e brigando por cada rebote, teve mais volume de jogo, fundamental para a equipe assumir o controle da partida através das infiltrações de Jimmy e dos arremessos de Lucas Dias na zona morta, 22 a 18.

 

A vantagem francana ficou ainda maior no começo do segundo período. Diante de um Dragão desorganizado no ataque e disperso na defesa, os donos da casa não tiveram a menor dificuldade para segurar o rival e castigá-lo, seja nos contragolpes puxados por Alexey ou por meio dos rebotes ofensivos capturados por Cipolini e David Jackson, colocando a diferença na casa dos dígitos duplos. Em determinado momento da parcial, os visitantes, liderados por Alex, chegaram a reagir, encostando no placar. Mas, no minuto final do primeiro tempo, os visitantes voltaram a errar e a equipe francana desgarrou novamente no marcador, indo para os vestiários vencendo por 43 a 31.

 

 

Atrás no marcador, o Bauru Basket voltou com uma formação diferente para o segundo tempo. Com uma trinca de armadores, os visitantes cuidaram melhor da posse de bola, colocando Jefferson em boas condições para pontuar. Sentindo o momento adverso, Helinho igualou a configuração e, a partir dali, a equipe da casa não deu chances ao rival. Em melhor momento na carreira, Elinho e Lucas Dias levaram a melhor sobre Fúlvio e Jefferson. Na reta final do período, os adversários rodaram a equipe e, como de costume, a segunda unidade bauruense deixou a desejar. Com liberdade, André Góes converteu dois arremessos de fora, encaminhando o triunfo francano, 69 a 49.

 

O último período foi meramente burocrático. Completamente perdido em quadra, Bauru até melhorou a produção ofensiva, diminuindo a diferença em infiltrações de Alex e Basílio, mas àquela altura já era tarde demais. No controle das ações, Franca se deu ao luxo de preservas seus principais atletas nos minutos finais e alguns nomes, como Gui Abreu e Big, que pouco entram em quadra, administraram a vantagem, confirmando a vitória com tranquilidade, 88 a 71.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags