Brasil domina Argentina e jovens brilham nos torneios individuais do Jogo das Estrelas

09/02/2019

O primeiro dia do Jogo das Estrelas ficou marcado por muitos questionamentos, homenagens e pelo desempenho avassalador dos jovens. Durante todo o dia, muito se falou se deveria ou não ter sido realizado o Jogo das Estrelas nesse final de semana, em virtude da tragédia que aconteceu no Ninho do Urubu, no Rio de Janeiro.

 

Sensibilizados com a perda de companheiros de clube, os atletas e comissão técnica do Flamengo selecionados para o evento, deixaram a cidade de Franca por entenderem que não haveria clima algum para entrar em quadra, especialmente em um dia que deveria ser marcado, exclusivamente, para a festa do basquete nacional.

 

A Liga Nacional, até em função da grandiosidade do evento, de toda a logística e questão do calendário, confirmou a realização do Jogo das Estrelas mas prestou sua homenagem às vítimas antes do evento começar, com o tradicional um minuto de silêncio, além da camiseta do rubro-negro ser colocada minuciosamente em cima da bola oficial da partida.

 

Tragédia que vitimou uma dezena de crianças e funcionários do clube nessa madruga, gerou comoção nacional (FotoJump/LNB) 

 

Quando a bola subiu, o que se viu foi a vitória tranquila do combinado do Novo Basquete Brasil sobre a seleção da La Liga e uma doutrinação dos atletas mais jovens, cada vez mais exercendo o papel de protagonistas dentro de suas equipes. 

 

Com apenas 24 anos, Lucas Dias, titular absoluto de Franca, vice-líder do NBB, faturou o título do Desafio de Habilidades. Ainda mais novo que Lucas, Mogi, que tem apenas 23 anos, voltou a faturar o Torneio de Enterradas após ficar de fora da temporada passada por conta de uma grave lesão que o afastou das quadras por um longo período.

 

Prestes a completar 27 anos, faz aniversário na segunda-feira, Felipe Vezaro fez uma apresentação histórica e conquistou o Torneio de Três Pontos.

 

Alguns dos destaques mencionados acima durante suas apresentações (montagem feita a partir das imagens da FotoJump/LNB) 

 

Nesse sábado, a partir das 14:00, acontece o principal evento do Jogo das Estrelas, que coloca frente a frente, o Time Brasil e o Time Mundo. O duelo será transmitido pela Band, ESPN e Fox Sports. No intervalo da partida, a banda Atitude 67 se apresentará.

 

DESAFIO INTERLIGAS

 

A primeira atração da noite foi a grande novidade trazida pela Liga Nacional para o Jogo das Estrelas. No duelo entre as promessas do Novo Basquete Brasil e da La Liga (campeonato argentino), melhor para o combinado brasileiro.

 

Com uma defesa agressiva e explorando muito bem a agressividade dos armadores (Yago e Ruivo) e o vigor físico dos pivôs (Dikembe, Victão e Mamedes), o Brasil dominou as ações e conquistou uma vitória tranquila sobre os hermanos, vencendo o confronto por 91 a 78.

 

Apesar do caráter festivo, duelo foi extremamente disputado e seleção canarinha tirou proveito do aspecto físico para se impor e confirmar o favoritismo (FotoJump/LNB) 

 

Protegendo o miolo defensivo brasileiro e castigando o rival com rebotes ofensivos e enterradas, Dikembe foi nomeado o MVP do Desafio Interligas.

 

DESAFIO DE HABILIDADES

 

O campeão do Desafio de Habilidades sequer estava escalado. Por conta da tragédia que aconteceu no Ninho do Urubu nessa madrugada, todos os jogadores e comissão técnica do Flamengo deixaram a cidade de Franca por entender que não haveria clima para o evento.

 

Por conta disso, Lucas Dias acabou herdando a vaga de Olivinha, previamente selecionado. Com o apoio da torcida local, o ala-pivô francano desbancou Pilar e Wesley Castro, se garantindo na decisão para enfrentar um velho conhecido, o armador Yago.

 

Na finalíssima, Lucas Dias se aproveitou do desgaste físico do armador do Paulistano, que já havia disputado o Desafio Interligas, e faturou o troféu individual.

 

TORNEIO DE 3 PONTOS

 

O torneio mais disputado, sem sombra de dúvidas, foi o Torneio de Três Pontos. Em meio a nomes consagrados do basquete nacional e gringos que vem liderando suas equipes nessa temporada do Novo Basquete Brasil, Felipe Vezaro roubou a cena.

 

Ainda na primeira rodada, o ala-armador do Joinville chegou perto de bater o recorde de Marcelinho Machado (23) ao anotar 22 pontos e se classificar, com tranquilidade para a decisão. Na final, teve pela frente o ala-pivô Jefferson, que foi campeão em 2017 e finalista em outras duas oportunidades.

 

Apesar do currículo e do desempenho positivo do atleta do Bauru, a noite era mesmo de Vezaro. Repetindo o desempenho avassalador, desbancou o favorito e se sagrou o novo campeão do Torneio de Três Pontos.

 

TORNEIO DE ENTERRADAS

 

A expectativa em cima do Torneio de Enterradas era imensa. Não à toa, foi deixado por último. Mas, mais uma vez, os atletas deixaram a desejar. É bem verdade que os jogadores foram ousados e tentaram inovar, lançando mão de tudo que tinham direito: ajuda do companheiro, do mascote, tentando movimentos novos...

 

O problema é que grande parte das tentativas não funcionaram e alguns atletas avançaram de fase dando enterradas básicas, já que o oponente não tinha, sequer, pontuado. Por fim, levou quem teve criatividade, agressividade e demonstrou estar preparado para o torneio.

 

Sem maiores dificuldades, Mogi despachou Che Bob e Max, se classificando para a decisão, onde, de fato, teve disputa. Para superar Georginho, que fez parceira com Cipolini na jogada, o atleta do Botafogo mandou um 360 que lhe rendeu o bicampeonato com méritos.

 

 

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags