Com grande jogo coletivo, Franca domina o São José e se reabilita após eliminação na LDA

O Franca mostrou estar recuperado da eliminação na Liga das Américas, no último domingo, em pleno Pedrocão. Na primeira partida após a queda na competição internacional, o time paulista foi até o Vale do Paraíba e venceu o São José, por 98 a 80, em confronto válido pela antepenúltima rodada do Novo Basquete Brasil.


Diante da Águia, os visitantes não encontraram muitas dificuldades. Mesmo sem imprimir um forte ritmo defensivo, marca da equipe na conquista ao longo da temporada, o time se impôs dentro de quadra, ditando o ritmo das ações.


A chave para isso passou por dois fatores importantes. O primeiro deles foi o equilíbrio mental para absorver a eliminação e se concentrar no que vem pela frente. Com a cabeça no lugar, Franca teve paciência para trabalhar a posse de bola, selecionando os melhores arremessos, de acordo com as qualidades individuais de cada jogador.


Com boa distribuição entre os setores de quadra e os jogadores do elenco, dificultou a marcação joseense, que ficou em situação parecida com a de se cobrir com um cobertor curto, já que se redobrasse às atenções em cima de determinado oponente, abria espaço para que outro aparecesse.


Diferentemente dos mandantes, que ficaram reféns do volume de Douglas Nunes, seis atletas francanos atingiram dígitos duplos (Arthur Marega Filho/São José Basketball)

Dessa maneira, os comandados de Helinho foram abrindo frente e confirmaram a vitória sem maiores sustos, chegando ao vigésimo triunfo em vinte e três partidas, se mantendo na liderança da competição.


A Águia, por sua vez, conheceu a décima quinta derrota no campeonato, caindo da oitava colocação para o décimo lugar, deixando o grupo que terá o mando de quadra nas oitavas de final.


O JOGO

Os primeiros minutos de partida entre São José e Franca ficaram marcados pela baixa intensidade defensiva das equipes, que não ofereciam muita resistência aos sistemas ofensivos. Com liberdade, Sahdi e Elinho mostraram sua qualidade, colocando seus companheiros em boas condições para finalizar as jogadas. No decorrer da parcial, os técnicos promoveram algumas trocas e a segunda unidade francana se mostrou mais eficiente, com Didi aumentando o poder de fogo dos visitantes no perímetro, onde o líder emplacou sete bolas certeiras, fundamentais para o clube abrir pequena vantagem ao final do primeiro quarto, 26 a 21.


Logo no começo do segundo período, Franca conseguiu aumentar a diferença no marcador. Explorando muito bem os bloqueios feitos por Cipolini, André Góes e Didi se desvencilharam de seus marcadores e levaram ampla vantagem sobre Coimbra, abrindo dez pontos de frente. Depois do tempo técnico pedido por Jaú, a Águia acertou o posicionamento defensivo, contendo as jogadas de pick-and-roll do adversário e garantindo os rebotes defensivos. No entanto, as tomadas de decisões equivocadas na construção ofensiva propiciaram que os visitantes retomassem a posse de bola, pegando a defesa joseense desprotegida, um prato cheio para David Jackson, 48 a 38.


Franca finalizou o primeiro tempo com 61% de aproveitamento na linha dos três pontos (Arthur Marega Filho/São José Basketball)

Mesmo com uma vantagem confortável no marcador, a equipe francana voltou para o segundo tempo com a mesma postura agressiva. Mas, diferentemente da etapa inicial, a equipe visitante escorou a produção ofensiva nas bolas de segurança. Com leitura de jogo apurada, Elinho distribuiu o volume de jogo, explorando a imposição física de Cipolini e as infiltrações de Didi e Jimmy. A boa seleção de arremessos alavancou ainda mais o aproveitamento da equipe francana, que converteu onze dos doze arremessos de quadra (88%), praticamente resolvendo o duelo ainda no terceiro quarto, 78 a 56.


No começo do último período, o São José se beneficiou do rodízio promovido por Helinho para diminuir a diferença no marcador. Diante de atletas mais jovens, os mandantes encaixaram boa sequência defensiva que lhe permitiu sair em velocidade, espaçar a quadra e pontuar no perímetro, em arremessos precisos de Pedro e Márcio Dornelles. Por mais que a chance da equipe joseense buscar a virada fosse pequena, o comandante francano tratou de recolocar os titulares em quadra. Com experiência de sobra, administraram a vantagem construída nas parciais anteriores, confirmando a vitória por 98 a 80.


Postagens Recentes
Arquivo
Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados