Brasil não terá vida fácil na Copa do Mundo da China

17/03/2019

Na manha desse sábado (16), durante evento realizado na cidade de Shenzhen, foram sorteados os grupos da Copa do Mundo de Basquete, que acontecerá na China, entre os dias 31 de agosto e 15 de setembro de 2019.

 

Embora previamente ficasse determinado que o Brasil não poderia cair na chave dos Estados Unidos e da Argentina, principais potências do basquete americano, o sorte não foi, nem de longe, dos melhores para a Seleção Brasileira.

 

Os comandados de Aleksandar Petrovic ficaram no Grupo F, que tem a Grécia como cabeça de chave, além de Montenegro e Nova Zelândia, que vieram dos potes 3 e 4, preenchendo um dos grupos mais equilibrados da primeira fase.

 

Além da encrenca que terá logo na primeira fase, caminho da seleção até as quartas não será nada fácil (Divulgação/ FIBA)

 

É bem verdade que os países ainda não sabem com quais atletas poderão contar, já que alguns clubes, especialmente da NBA, jogam duro para liberarem suas principais estrelas para as seleções nacionais, exigindo pagamento de seguros com valores cada vez mais altos.

 

Mesmo com a apreensão das equipes, alguns atletas já manifestaram o interesse em participar do Mundial, como o ala-pivô Giannis Antetokounmpo. Com apenas 24 anos, reúne qualidade técnica e explosão física suficientes para lhe colocarem como um dos favoritos à conquista do título de MVP da NBA. Caso consiga a liberação junto ao Milwaukee Bucks, fortalecerá a já qualificada seleção grega, oitava colocada no ranking da FIBA.

 

Ainda que não apareça tão bem posicionada no ranking, ocupa apenas o 28º lugar, Montenegro pode oferecer perigo à seleção brasileira, já que é oriunda da escola ioguslava e conta com atletas de muito vigor físico e velocidade, combinação comum à países europeus.

 

Um pouco mais abaixo no ranking da FIBA (38º), aparece a Nova Zelândia. Sem tanta concorrência dentro do seu continente, espera que a experiência do plantel, fruto das consecutivas participações em competições internacionais possa ajudar o time a fazer boas partidas.

 

Leandrinho e companhia terão de mostrar evolução para fazer frente aos adversários (FIBA) 

 

O desafio torna-se ainda maior para a Seleção Brasileira em virtude do novo formato de disputa. Isso porque apenas os dois primeiros colocados de cada chave passam de fase, formando um novo grupo de quatro participantes, em que os dois melhores avançam, entrando nas quartas de final.

 

Assim como nas Eliminatórias, os resultados da primeira fase serão carregados para a segunda etapa, ou seja, uma campanha consistente dentro do grupo inicial será fundamental para as pretensões das equipes, especialmente às do Grupo F, já que os classificados dessa chave enfrentarão os clubes que avançarem do Grupo E, que, dentre outros países, conta com a presença dos Estados Unidos.

 

Vele lembrar que a Copa do Mundo dá vaga direta às Olimpíadas à sete seleções (dois melhores europeus, dois melhores americanos, melhor asiático, melhor africano e melhor da Oceania). 

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags