Bauru vence Joinville e segue vivo na briga pela sexta colocação

24/03/2019

A manhã desse domingo (24) foi de afirmação para o Bauru Basket. Atuando ao lado do seu torcedor, que compareceu em bom número ao Ginásio Panela de Pressão, o Dragão derrotou o Joinville, por 84 a 76, chegando a terceira vitória consecutiva. A sequência positiva faz com que a equipe siga com chances de terminar a primeira fase na sexta colocação.

 

O triunfo bauruense, mais uma vez, foi construído através do sistema defensivo, remodelado nas duas semanas cheias que a equipe teve de treinamento por conta dos jogos da Seleção Brasileira. Assim como já havia acontecido diante de São José e Paulistano, o time da Cidade Sem Limites sufocou o adversário, recuperando nove posses de bola e gerando dezenove erros ofensivos do oponente.

 

A segurança defensiva permitiu que os donos da casa tivessem maior volume de jogo e, muitas vezes, o contragolpe a disposição. Ainda que em algumas oportunidades não tenha feito a leitura correta da jogada, especialmente no primeiro quarto, Bauru foi se impôs e foi tomando conta da partida, mantendo-se à frente do marcador praticamente o confronto todo.

 

Com exceção de Emanuel, que atuou por menos de um minuto, todos os jogadores do Dragão pontuaram (Victor Lira/Bauru Basket)

 

Depois de implementar um sistema defensivo seguro, Demétrius tem a missão de fazer pequenos ajustes ofensivos para que o clube desenvolva todo o poderio ofensivo que possui e chegue bem nos playoffs, independentemente da posição final na fase de classificação.

 

"Nós estamos no caminho certo, principalmente na parte defensiva. Nos últimos três jogos provocamos que os adversários tivessem uma média de vinte erros, e isso é mérito de uma defesa bem agressiva. Agora falta a outra parte, transformar essa defesa agressiva em pontos."

 

Se os paulistas visam o crescimento à curto e médio prazo, os catarinenses não tem esse direito. Na lanterna da competição desde o início do segundo turno, terá que se recompor após essa derrota, driblar as baixas no elenco - de Starks e Vezarinho - para encarar o Franca, terça-feira, em duelo que vale a permanência na elite nacional para os sulistas.

 

"Fizemos um grande jogo contra uma ótima equipe, que está praticamente completa. Mas nada está perdido. Ainda temos o jogo contra o Franca e sabemos que eles, provavelmente, vão poupar alguns jogadores para vir inteiro para os playoffs. O Joinville é um time muito unido e sempre vamos jogar pelo outro, independentemente das circunstâncias."

 

O JOGO

 

O Bauru Basket começou a partida imprimindo um forte ritmo defensivo, com direito à dobras em cima do homem da bola e recomposição bem ajustada. A agressividade e organização defensiva permitiram que o time ficasse mais de três minutos sem sofrer nenhum ponto sequer do adversário, assumindo o controle da partida através das bolas de três pontos de Lucas e Gustavo.

 

Mas, aos poucos, o cenário do confronto foi se alterando. Apesar de manter a intensidade, os mandantes forçaram muitos arremessos do perímetro e viram o Joinville assumir a liderança da partida, após duas infiltrações de Dieguinho. Depois de inúmeras tentativas desperdiçadas, o Dragão converteu mais duas bolas de fora, com Jefferson, empatando o jogo, 16 a 16.

 

O equilíbrio do primeiro quarto deu lugar a soberania dos paulistas ao longo de todo o segundo período. Mesmo com uma formação alternativa, fruto da rotação necessária para dar descanso aos titulares, o Bauru prevaleceu. A mudança no panorama do confronto se deu pela leitura correta que os donos da casa fizeram na contra-ofensiva e pelo desempenho avassalador de Enzo Ruiz.

 

Diferentemente da parcial anterior, o Dragão distribuiu melhor o volume de jogo entre os setores de quadra, com o camisa 30 sendo letal tanto no perímetro quanto nas infiltrações. Os dezesseis pontos do ala argentino foram cruciais para os donos da casa colocarem a diferença na casa dos dígitos duplos ao final do primeiro tempo, 45 a 33.

 

Com 25 pontos, Vezaro foi o cestinha do confronto, mas seguido de perto por Enzo e Jefferson, com 21 tentos cada (Victor Lira/Bauru Basket)

 

O início da etapa complementar foi bastante agitado. Trabalhando de maneira coletiva, com muita velocidade na troca de passes, os adversários levaram ampla vantagem sobre os sistemas defensivos, com direito a troca incessante de cestas, impulsionadas pelo desempenho de Jefferson, para os mandantes, e Cook, para os visitantes.

 

Aí entrou em cena o papel dos treinadores, a começar por Daniel Lazier, do Joinville. Em desvantagem no marcador, parou o jogo e corrigiu o posicionamento defensivo, com ênfase na briga pelos rebotes defensivos. A medida funcionou e o clube catarinense foi diminuindo a desvantagem no placar, obrigando Demétrius a parar o jogo. Após o tempo técnico do comandante, Bauru sofreu menos com as jogadas de transição do oponente e voltou a pontuar, indo para os dez minutos finais vencendo por 65 a 57.

 

No começo do último quarto, um misto de sentimentos tomou conta do embate. Vivendo bom momento pessoal, Lucas Mariano aproveitou bem os espaços na área pintada e emplacou duas enterradas consecutivas, colocando a diferença novamente acima dos dez pontos, vantagem que causou preocupação em Vezaro, que chegou a pedir à seu treinador para pedir tempo.

 

Daniel Lazier não atendeu ao pedido do atleta mas também nem foi preciso, porque o jogador catarinense anotou oito pontos consecutivos, reequilibrando a partida. A proximidade do final do jogo e o equilíbrio no marcador desestabilizaram os adversários, que passaram a atacar de forma desordenada, abusando da individualidade. Por fim, prevaleceu a vantagem bauruense e a mão calibrada de Jefferson na linha do lance livre, 84 a 76.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo