Corinthians vence o Brasília e força realização do terceiro jogo

05/04/2019

Vocês já devem ter ouvido falar que as partidas são resolvidas nos detalhes. Pois bem. Essa sentença nunca fez tanto sentido quanto na vitória do Corinthians sobre o Brasília, por 92 a 86, no segundo confronto das oitavas de final do Novo Basquete Brasil.

 

No embate dessa quinta-feira, os clubes fizeram mais uma partida extremamente equilibrada, com muitas reviravoltas e indefinição até os minutos finais, quando a tensão tomou conta do Ginásio Wlamir Marques, no Parque São Jorge.

 

Precisando da vitória à todo custo para evitar a eliminação precoce, o Timão, assim como os candangos, imprimiu um forte ritmo defensivo nos primeiros minutos de jogo. No entanto, Fuller e Graham mostraram que não são os dois principais cestinhas do campeonato à toa.

 

Ambos terminaram a partida com 26 pontos, porém, Fuller acabou aparecendo de maneira decisiva na reta final (Reprodução/LNB)

 

Com inteligência para fugir dos seus marcadores de origem, emplacaram bolas de três pontos, pontuaram através de infiltrações e tudo mais que tinham direito, se sobressaindo em relação aos demais defensores, para delírio de quem gosta de basquete e indignação dos comandantes rivais.

 

Aos poucos, os donos da casa foram desgarrando no marcador. Mas sempre que os paulistas abriam um pequena vantagem, a equipe do Distrito Federal respondia prontamente, principalmente no início dos períodos, em que os treinadores promoviam alterações e os bancários visitantes demonstravam mais qualidade.

 

Prova disso foi o desempenho de Gui Santos. Contratado junto ao Bauru Basket, no meio da temporada regular, o ala-armador tem ganhado espaço na rotação brasiliense por conta de sua agressividade nos dois lados da quadra.

 

O desempenho do camisa 3 impulsionou o poderio do Brasília. Depois de passar todo o primeiro tempo atrás no marcador, os comandados de André Germano assumiram, ainda que de maneira discreta, as rédeas da partida, jogando toda a pressão para o adversário.

 

No decorrer do terceiro quarto, o alvinegro chegou a reagir, em grande sequência de Humberto. Mas, tanto Humberto quanto Douglas Santos cometeram a quarta falta e foram sacados de quadra por Bruno Savignani, deixando o cenário ainda mais nebuloso para os donos da casa.

 

Àquela altura, os candangos estavam extremamente tranquilos, defendendo de maneira agressiva e trabalhando de maneira orquestrada no ataque, chegando a abrir cinco pontos de frente a três minutos do final da partida. Mas, como em um piscar de olhos, tudo mudou.

 

A começar pelo crescimento de produção da dupla formada por Parodi e Fuller. Ainda que o gringo tenha feito um grande primeiro quarto, ambos estavam aquém do que podem oferecer ao clube, mas tiveram personalidade para aparecer no momento decisivo.

 

Apesar de ter sofrido com as infiltrações de Graham, Timão dominou a área pintada, anulando os pivôs adversários (Reprodução/LNB)

 

A explosão da dupla incendiou o torcedor corinthiano. Mesmo em pequeno número, conseguiram transformar o ginásio em um caldeirão, impulsionando a equipe e incomodando o adversário, que já não contava com Nezinho, excluído após a arbitragem assinalar equivocadamente uma falta do armador, que foi cometida por Graterol.

 

Sem seu principal organizar, Brasília perdeu a dinâmica ofensiva e ficou refém das jogadas individuais de Graham e Gui Santos, insuficientes para a equipe reagir a reação dos mandantes, cirúrgico nos minutos finais.

 

Com a vitória, o Timão ganha sobrevida na competição, forçando a realização do terceiro e decisivo confronto, agendado para sábado, novamente no Ginásio Wlamir Marques, às 19:30.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados