Cearense se sobressai no último quarto e vence o Paulistano

06/04/2019

O Basquete Cearense fez valer o mando de quadra e saiu na frente na disputa de oitavas de final do Novo Basquete Brasil. Atuando em Fortaleza, no Ginásio Paulo Sarasate, o Carcará fez um jogo duro e foi premiado com a vitória sobre o Paulistano, por 75 a 68.

 

Além do apoio do seu torcedor, a equipe nordestina contou uma atuação defensiva extremamente agressiva, tirando dois pontos importantes do plano de jogo do adversário, mais qualificado.

 

Consciente da superioridade do rival, os donos da casa fizeram um jogo muito inteligente e de muita entrega. Além de cuidar bem da posse de bola, procurando ataques bem equilibrados, o Basquete Cearense teve a ciência de se recompor de maneira rápida, tirando a transição dos paulistas.

 

A preocupação, no entanto, não se restringiu às saídas em velocidade. Com bom posicionamento defensivo e ajuda dos laterais, que fizeram muito bem as coberturas, o Carcará anulou os pivôs adversários, fundamentais na construção de jogo do oponente, que explora, como ninguém, o trabalho de pick-and-roll

 

A segurança defensiva deu a confiança necessária para os pupilos de Danyel Russo tomarem conta da partida, em uma atuação coletiva, em que a distribuição do volume de jogo e o direcionamento para as bolas de segurança foram determinantes para o resultado positivo.

 

Paulinho não conseguiu servir seus companheiros, mas terminou o confronto como cestinha, com 14 pontos (Reprodução/NBB)

 

O triunfo é de vital importância, pois foi a única partida que o clube tinha como mandante nessa fase da competição, já que o adversário, por ter melhor campanha, terá o direito de fazer o segundo e o terceiro jogo (se necessário) dentro de casa.

 

O JOGO

 

Desde os primeiros minutos, Basquete Cearense e Paulistano fizeram um confronto equilibrado. À princípio, os paulistas se impuseram no início da partida, especialmente por conta da boa visão de jogo de Yago e da versatilidade dos seus pivôs, incisivos na área pintada e com capacidade de espaçar a quadra.

 

Aos poucos, os donos da casa foram encaixando a marcação em cima do armador adversário, contendo o trabalho de pick-and-roll dos atuais campeões nacionais. Com a melhora defensiva, o Carcará teve confiança para contra-atacar, equilibrando o duelo através das infiltrações da sua dupla de armadores, 18 a 20.

 

O crescimento de produção do clube mandante ficou evidente no começo do segundo período. Mantendo a postura agressiva, seguiu tirando os espaços do oponente na área pintada, os conduzindo para o perímetro, onde, naturalmente, o aproveitamento foi menor do que dentro do garrafão.

 

E foi justamente na linha dos três pontos que os comandados de Danyel Russo assumiram o controle do jogo. A dificuldade encontrada na primeira parcial foi superada com maior velocidade na troca de passes, fundamentais para os donos da casa irem para os vestiários com vantagem no marcador, após arremessos de Brite e Felipe, 42 a 39.

 

Mas toda a recuperação do Basquete Cearense foi para o espaço no começo do segundo tempo. Tomando decisões equivocadas no ataque, ofereceu pouco perigo ao adversário, permitindo que ele pudessem atuar na transição. Com muita velocidade na saída para o contragolpe, Yago explorou os bloqueios feitos por Victão e encaçapou duas bolas de cabeça do garrafão, recolocando o Paulistano na liderança.

 

A sequência avassaladora do armador da Seleção Brasileira obrigou Danyel Russo a parar o jogo. Além das instruções táticas, o comandante promoveu a entrada de Cobb e Fiorotto, preponderantes para a retomada do ritmo de jogo dos donos da casa, com o camisa 21 sendo mais feliz na construção de jogo e o número 23 protegendo melhor o miolo defensivo, 56 a 56.

 

Diferentemente do período anterior, o Carcará voltou melhor para a última parcial. Lidando melhor com a tensão que passou a tomar conta da partida, conseguiu ser mais efetivo na construção de jogo, abrindo oito pontos de vantagem com grande contribuição do capitão Felipe, dominante na área pintada.

 

O Paulistano só esboçou uma reação nos dois minutos finais da partida. Para correr atrás do prejuízo, os vistantes aceleraram o ritmo de jogo, tentando atacar rapidamente e colocar o adversário na linha do lance livre. Com baixo volume ofensivo e diante do excelente aproveitamento de Cobb, a estratégia não surtiu efeito e o Carcará confirmou a vitória tranquilamente, 75 a 68.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags