Com mais equilíbrio, Franca vence Bauru no primeiro jogo das quartas

17/04/2019

O Franca deu um grande passo rumo às semifinais do Novo Basquete Brasil. Mesmo atuando fora de casa, no Ginásio Panela de Pressão, o time francano venceu o clássico nacional contra o Bauru Basket, por 94 a 82, abrindo 1 a 0 na série das quartas de final.

 

Apesar do placar final apontar uma diferença acima dos dez pontos, ele não reflete a história da partida, marcada pelo equilíbrio ao longo dos quarenta minutos, marca registrada de derbys, especialmente quando os rivais tem inúmeros jogadores qualificados dentro do plantel.

 

E esse foi justamente um dos componentes do triunfo dos visitantes. Com opções mais interessantes e regulares no banco de reservas, conseguiu distribuir melhor o volume ofensivo, mantendo a intensidade do início ao final da partida, tendo sempre jogadores frescos em quadra.

 

O desempenho da segunda unidade francana foi amplamente superior ao do Dragão. Vindo do banco de reservas, Alexey, Didi e, principalmente, Hettsheimeir, computaram 35 pontos, contra apenas 13 dos donos da casa.

 

Mesmo que tenha levado a pior no duelo individual com Larry, Alexey encontrou espaços na defesa bauruense e converteu quatro bandejas (Victor Lira/Bauru Basket)

 

Outro elemento decisivo na vitória dos atuais campeões paulistas foi a melhor seleção de arremessos da equipe. Explorando a especialidade de cada atleta em determinado fundamento, os visitantes tiveram um ataque equilibrado e eficiente, algo que faltou ao Bauru Basket, especialmente em momentos que a equipe teve a oportunidade de retomar o controle do jogo, como lembra Demétrius.

 

"Nós tivemos várias possibilidades de passar a frente, e foram várias, mas não tivemos boas decisões e quando você não tem isso em um jogo de playoff, diante de uma equipe consistente fica muito difícil."

 

Além do comandante, Larry Taylor também reconheceu a inteligência francana na hora de definir suas jogadas, explorando também, as falhas de defesa do time da casa, que, em algumas oportunidade, bateu cabeça, deixando o adversário na boa para anotar bolas de segurança

 

"Nós tivemos algumas falhas na defesa e o ataque de Franca funcionou muito bem, tendo um aproveitamento muito alto e não à toa foram líderes do campeonato. Mas vamos ter alguns dias para treinar e vamos buscar uma vitória no segundo jogo."

 

Muitas dessas decisões passaram pelas mãos de Elinho. Depois de um primeiro tempo discreto, o armador entrou no clima da partida, se tornando fundamental para o triunfo dos visitantes.

 

Experiente, fez valer a bagagem acumulada ao longo de sua carreira, para encontrar o equilíbrio correto entre servir seus companheiros e arriscar bolas de três pontos. Ainda que não concorde, também teve a malandragem necessária para exercer um jogo mental sobre o oponente.

 

"A malandragem ficou do lado deles, que é um time mais experiente, está acostumado a jogar essa fase da competição. Nosso time é bem mais novo, mas nossa intensidade foi um trunfo. Ainda que tenhamos sofrido 82 pontos, o que importa é a vitória, independentemente do desempenho."

 

Ainda de acordo com o atleta, a vitória fora de casa é vital para as pretensões da equipe, já que o triunfo consolida a vantagem francana, evitando uma eventual mudança no panorama da série.

 

"Um passo importantíssimo porque esse sistema, de começar jogando fora, é complicado. A nossa primeira colocação não vale em nada nesse sistema, porque se a gente vem aqui e perde a vantagem é toda deles. Tenho certeza que o Pedrocão vai estar lotado então é tentar fechar em casa com um 3 a 0.

 

Como bem lembrado pelo camisa 5 francana, as duas próximas partidas serão disputadas no Ginásio Pedrocão, em Franca. Liderando a série por 1 a 0, os pupilos de Helinho terão a oportunidade de carimbar o passaporte às semifinais ao lado do seu torcedor, enquanto ao Bauru só a vitória interessa, já que duas derrotas significam o final de temporada ao time.

 

 

O JOGO

 

O Bauru Basket dominou as ações no início da partida. Com maior ritmo de jogo por conta da participação nas oitavas de final, os mandantes trataram de acelerar os ataques, utilizando os pivôs mais distantes da cesta. Além das bolas de fora convertidas, Jefferson e Lucão criaram espaços para Alex infiltrar, machucando a defesa adversária.

 

Mas o domínio bauruense foi, aos poucos, dando lugar ao equilíbrio. Com dificuldade para trabalhar de maneira coletiva, Franca buscou a reação através das jogadas individuais de David Jackson e Lucas Dias. Agressivos em direção à cesta, consumaram a virada em enterrada do ala-pivô, no estouro do cronômetro, 25 a 24.

 

O começo do segundo período reservou um confronto particular entre Rafael Hettsheimeir e Larry Taylor. Com ampla mobilidade e pontaria afiada nos arremessos de média e longa distância, Hett levou ampla vantagem sobre Marcão, seu marcador, castigando seu ex-clube e dando o controle do jogo aos francanos.

 

A resposta bauruense começou com o alienígena. Explorando os bloqueios feitos por Lucas Mariano, Larry deitou e rolou nas jogadas de pick-and-roll, chegando a deixar Alexey no chão. Nos minutos finais do primeiro tempo, Lucão e Jefferson pontuaram através de rebotes ofensivos e os donos da casa encostaram no marcador, 47 a 44.

 

No duelo de cinco contra cinco, Bauru dominou a área pintada, tendo 70% de aproveitamento, fundamental mal aproveitado na etapa complementar (Victor Lira/Bauru Basket)

 

O intervalo não esfriou o ritmo da partida, mas impactou profundamente na produção ofensiva das equipes. Diante da boa marcação bauruense em cima de David Jackson, Franca pouco produziu. Mas o Dragão não soube aproveitar a solidez defensiva e o jogo de transição. Com muitos erros de passe e arremessos precipitados de Alex, desperdiçou inúmeras chances de retomar a dianteira.

 

O castigo veio logo a seguir e da maneira mais dolorosa que se poderia imaginar. Em pouco menos de dois minutos, os visitantes emplacaram três arremessos do perímetro, sendo dois de Elinho, que não tenho bom aproveitamento no fundamento, e com Hettsheimeir. Embora Enzo e Fúlvio tenham descontado na mesma moeda, o rival foi para o último período vencendo por 73 a 65.

 

No início do último período, o Dragão neutralizou as ações ofensivas dos visitantes, limitando-o a apenas dois pontos ao longo dos primeiros quatro minutos. A segurança defensiva permitiu que o clube cortasse para apenas a desvantagem para apenas uma posse de bola, após lances livres certeiros de Jefferson.

 

Mas a reação bauruense parou por aí. Disperso e mau posicionado, cedeu muitas cestas fáceis e rebotes ofensivos ao adversário. Com maior volume de jogo, Franca pontuou em bolas de segurança e na linha do lance livre, confirmando a vitória com tranquilidade, por 94 a 82.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados