Franca volta a superar o Bauru e fica a uma vitória da semifinal

23/04/2019

O Franca está muito próximo de garantir a classificação às semifinais do Novo Basquete Brasil. Depois de derrotar o Bauru Basket fora de casa, o time francano voltou a vencer o clássico paulista, agora no Ginásio Pedrocão, por 83 a 77, fazendo 2 a 0 na série quartas de final.

 

Assim como no primeiro confronto, os comandados de Helinho tiveram mais consistência ao longo da partida, condição que vem desequilibrando o confronto, marcado, até aqui, por muito equilíbrio e rivalidade, algo que já era esperado.

 

Desde os primeiros minutos, os clubes mostraram que possuem um vasto repertório ofensivo, pontuando com vários atletas em todos os setores de quadra, em cinco minutos de muita intensidade e produção ofensiva, com o placar batendo na casa dos quinze pontos.

 

Aos poucos, começou a aparecer as diferenças entre as equipes. Com mais opções no banco de reservas, Helinho mexeu na estrutura da equipe sem perder a qualidade técnica, desnorteando o trabalho bauruense, que não soube fazer a leitura correta de como trabalhar a posse de bola.

 

Dessa maneira, Franca assumiu o controle do jogo através dos contragolpes em velocidade que terminaram em cestas fáceis, oriundas de infiltrações, e também da pontaria calibrada de David Jackson e Jimmy.

 

Elinho não teve o mesmo volume ofensivo, mas foi determinante na saída em transição (Newton Nogueira)

 

No começo da segunda etapa, o Dragão ajustou o posicionamento defensivo, protegendo melhor o garrafão das investidas do adversário e colocando fogo na partida com a sequência vassaladora de arremessos longos.

 

No entanto, assim como no primeiro embate das quartas de final, os visitantes desperdiçaram inúmeras chances de assumir as rédeas da partida ao não aproveitar o seu momento dentro da partida, desperdiçando inúmeros contragolpes em superioridade numérica. 

 

Não bastasse as tomadas de decisões equivocadas, Bauru também cometeu diversas faltas desnecessárias na defesa, colocando o adversário diversas vezes na linha do lance livre, com destaque para a falta antidesportiva de Renato nos segundos finais do terceiro período e as consecutivas infrações de todo o quinteto no início do último quarto, quando a equipe rapidamente estourou o limite de faltas coletivas.

 

A sequência abalou completamente o time dentro de quadra, comprometendo os ajustes defensivos feitos por Demétrius no intervalo. Por meio da assessoria de imprensa do clube, o treinador, mais uma vez, creditou a derrota à oscilação dos seus atletas.

 

"Playoff é momento e não podemos deixar passar as oportunidades que o jogo nos dá por erros bobos. Estamos lutando contra a falta de consistência durante a partida. Acabamos tendo muitos momentos bons, mas muitos momentos de irregularidade também e isso contra uma equipe como Franca, acaba pesando."

 

Como não tinha nada a ver com isso, Franca não teve a menor dificuldade para se recuperar do momento negativo que passou na terceira parcial, confirmando a vitória através da contribuição de David Jackson, Lucas Dias e da precisão de Hettsheimeir na linha do lance livre.

 

Através da assessoria da equipe, Lucas Dias minimizou a atuação individual, valorizando o trabalho defensivo do time, que conseguiu segurar a reação bauruense para se aproximar da classificação à próxima fase.

 

"Todo mundo que entrou em quadra deixou o seu melhor e contribuiu muito. Além disso, acho que a defesa foi o nosso grande diferencial na partida. Marcamos com muita intensidade e diminuímos o ímpeto ofensivo de Bauru. Temos que manter esse ritmo para o próximo jogo."

 

O terceiro jogo da série está marcado para essa quarta-feira, novamente no Ginásio do Pedrocão, às 20:10. Em caso de nova vitória francana, a série está liquidada. Porém, se o Bauru superar os donos de casa, forçará a realização da quarta partida, que ainda não tem data definida.

 

O JOGO

 

Os primeiros minutos do clássico entre Franca e Bauru foi de altíssimo nível. Com boa movimentação de bola, os adversários exploraram o vigor físico de Cipolini e de Lucas Mariano, que levaram ampla vantagem sobre seus marcadores, dominando a área pintada, em uma intensa troca de cesta e de liderança.

 

Aos poucos, o equilíbrio foi dando lugar a superioridade francana. Melhor posicionado, conseguiu interceptar passes no miolo do garrafão, tendo a oportunidade de atuar na transição. Com superioridade numérica, os donos da casa aproveitaram os espaços no perímetro, fechando o primeiro quarto em 25 a 18 após arremessos de Jimmy e Elinho.

 

A vantagem dos mandantes ficou ainda maior no começo do segundo período, quando os bancários vieram à quadra. Contando com nomes de peso no banco de reservas, como Didi e Hettsheimeir, Franca destoou, pontuando com facilidade nas jogadas internas e colocando a diferença na casa dos dígitos duplos.

 

Sem outra alternativa, Demétrius promoveu o retorno dos titulares. Mas nem eles deram conta do recado. Por mais que Alex, Fúlvio e Gustavo tenham desafogado o ataque bauruense, o time não teve a menor competência defensiva, tomando cestas de todas as maneiras, inclusive de passes provenientes da quadra defensiva, com Lucas Dias aparecendo livres em diversas oportunidades, 50 a 38.

 

Lucas Mariano terminou a partida com um duplo-duplo, 19 pontos e 12 rebotes, mas poderia e deveria ser mais acionado dentro do garrafão, onde vinha dominando as ações (Newton Nogueira) 

 

O Bauru Basket bem que tentou colocar fogo na partida. Depois de um primeiro tempo fraco, voltou com mais agressividade defensiva, ficando mais de cinco minutos sem sofrer uma cesta. A segurança defensiva permitiu que os visitantes saíssem em superioridade numérica, reduzindo a desvantagem para apenas dois pontos após arremessos precisos de Lucas Mariano, Enzo e Jefferson na linha do três pontos.

 

Mas assim como no primeiro confronto entre os rivais, o Dragão não soube explorar o momento positivo, desperdiçando inúmeras oportunidades de passar a frente devido à insistência nos arremessos longos. Ainda assim, por conta do forte sistema defensivo, conseguiu se manter próximo no marcador até o minuto final da parcial, quando o time cedeu quatro lances livres de graça ao oponente, 65 a 57.

 

Qualquer possibilidade de recuperação bauruense foi aniquilada no começo do último quarto. Com dificuldades para conter o trabalho de um contra um, os visitantes estouraram o limite de faltas coletivas ainda nos primeiros minutos, dando condição do arquirrival, sem maiores dificuldades, recolocar a diferença acima dos dez pontos.

 

Dali em diante, o Dragão se perdeu psicologicamente e o Franca não teve a menor dificuldade para abrir quinze pontos de frente através dos lances livres certeiros de Hettsheimer. Quando recolocou a cabeça no lugar, já era tarde demais, 83 a 77.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags