No primeiro confronto das semifinais, Flamengo supera o Botafogo

04/05/2019

O primeiro confronto entre gigantes do futebol carioca nos playoffs do Novo Basquete Brasil não poderia ser mais emocionante. Em um duelo decidido apenas no estouro do cronômetro, o Flamengo derrotou o Botafogo, por 79 a 77, na primeira partida da semifinal da competição.

 

O embate entre os arquirrivais reuniu todos os ingredientes que fazem parte do cenário que configuram os derbys. Foi um confronto bastante equilibrado, com direito a muitas provocações dos atletas – mas dentro de um limite sadio -  e repleto de emoções, fruto da soma desses dois elementos principais.

 

Marquinhos foi o responsável pela cesta decisiva, a quatro segundos do final da partida (Marcelo Cortes/Flamengo)

 

Além desses marcadores típicos de clássicos, a primeira partida das semifinais também contou com a presença, se é que assim podemos dizer, de expoentes de destaque das duas equipes, o que confirmou a grande expectativa gerada pelo choque entre alvinegros e rubro-negros.

 

Um dos grandes lobbys alimentados desde a confirmação do embate seria para ver o confronto particular entre os comandantes dos clubes, que fazem (mais) uma grande temporada, se consolidando como dois dos principais treinadores do basquete nacional.

 

Com muito controle emocional, Léo Figueiró e Gustavinho tiveram tranquilidade para armar bem as suas equipes, tirando o melhor de cada peça de suas engrenagens, mesmo com todo o trabalho desenvolvido pelo adversário, na tentativa de tirar o oponente de sua zona de conforto.

 

Os créditos para essa “reconstrução”, digamos assim, também se entendam aos próprios jogadores, especialmente os líderes técnicos dos semifinalistas. Depois de um primeiro tempo discreto, em que ficaram encaixotados na forte marcação adversária, encontraram uma maneira de se desvencilhar e agregar mais valor aos seus clubes.

 

Nesse meio tempo, outros nomes, que são importantes dentro do sistema, se encarregaram de “carregar o piano”, chamando a responsabilidade para si. Nesse sentido, podemos destacar a volúpia ofensivo de Arthur Bernardi e de Olivinha, eficientes nos arremessos de média e longa distância.

 

Na volta do intervalo, os coadjuvantes também ajudaram, mas foram os protagonistas quem tiveram o brilho dos holofotes. Em desvantagem no marcador, o Fogão contou com a visão de jogo apurada de Cauê e a velocidade de Jamaal para reduzir a diferença no placar.

 

Intensidade defensiva e cuidado com a posse de bola foram determinantes para que o clube de General Severiano travasse um jogo equilibrado (Marcelo Cortes/Flamengo)

 

Em meio a recuperação dos donos da casa, o Mais Querido contava com a qualidade individual de Balbi e Marquinhos para se manter no controle das ações, embora, àquela altura, o equilíbrio tivesse tomado conta da partida, transformando a reta final de jogo em um verdadeiro jogo de xadrez.

 

A proximidade no marcador e também do final do tempo regulamentar, fez com que a partida ganhasse contornos dramáticos, em que cada ação tornou-se decisiva para o resultado final do embate.

 

Com uma defesa agressiva e com muito cuidado na construção ofensiva, quando adotou a estratégia de atacar de maneira mais cadenciada, o Botafogo assumiu a liderança do marcador nos segundos finais da partida, após contribuição de Diego e arremesso preciso de Coelho.

 

Quando tudo se encaminhava para o triunfo do alvinegro, o destino surpreendeu à todos. Em uma reposição de bola rápida, Marquinhos encontrou um corredor no miolo do garrafão, converteu a cesta e o lance de bonificação, praticamente liquidando o duelo, a quatro segundos do final da partida.

 

Na última investida do Fogão, Coelho se enrolou com a posse de bola e diante de uma dobra defensiva, Balbi e Nesbitt estavam em cima do armador, acabou desperdiçando o arremesso que poderia mudar a história desse primeiro confronto das semifinais.

 

Com a vitória fora de casa, o Flamengo fica em uma posição ainda mais confortável dentro da série. Por ter feito melhor campanha na temporada regular, já tinha o mando de quadra à seu favor. Nesse contexto, o rubronegro tem duas partidas dentro de casa, na próxima quinta-feira e no outro sábado, para buscar a classificação à decisão do NBB.

 

Ao Botafogo, só a vitória interessa. Para isso, precisa repetir o padrão de exibição desse primeiro encontrando, tomando mais cuidado com as pequenas oscilações ao longo da partida, principalmente pela qualidade do adversário.

 

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags