Com propriedade, Flamengo vence o primeiro jogo da final do NBB

19/05/2019

Esqueça aquela previsão de equilíbrio que muitos, para não dizer todos os analistas da imprensa especializada e os torcedores das duas equipes, fizeram a respeito da decisão do Novo Basquete Brasil.

 

Na primeira partida da finalíssima, o Flamengo foi amplamente superior ao Franca, derrotando os paulistas por 82 a 68, para delírio da massa rubro-negra, que lotou o Ginásio do Maracanãzinho. Os 7033 torcedores representam o segundo maior público da temporada, atrás apenas do confronto entre Basquete Cearense e Mogi das Cruzes.

 

A diferença no marcador pode ser explicada por dois elementos bem significativos. A começar pelo desempenho dos armadores, motorzinhos das equipes ao longo da temporada. Cuidando melhor da posse de bola, Franco Balbi conseguiu envolver seus companheiros, colocando eles em ótimas condições para pontuar.

 

Um dos beneficiados pela visão de jogo apurada do jogador argentino foi o ala-pivô Olivinha. O experiente atleta do Mengão, que no início da semana celebrou a chegada de mais um filho, usou do artifício amplamente explorado por seu marcador, Lucas Dias, para castigá-lo.

 

Camisa 16 foi o cestinha da partida com 23 pontos e 08 rebotes (Marcelo Cortes/Flamengo) 

 

Espaçado bem a quadra, anotou três arremessos praticamente consecutivos da linha dos três pontos, transformando o cenário da partida. Após a sequência do atleta, o Mais Querido tomou conta das ações, abrindo vinte pontos de vantagem na reta final do primeiro tempo.

 

Em vantagem no placar, os donos da casa não baixaram a intensidade, trabalhando sempre dentro do sistema. Rodando a bola com velocidade em busca de um companheiro melhor posicionado, encontrou refúgio nas bolas de segurança, com Marquinhos e Varejão chamando a responsabilidade.

 

Para critério de comparação, os mandantes converteram dezenove arremessos próximos à cesta, contra apenas doze dos paulistas, mesmo com os visitantes tendo concentrado o volume para a área pintada.

 

Em meio a todo esse arsenal ofensivo do Fla, o Franca tentava se reencontrar. Por mais que Helinho tenha testado várias formações, nenhuma das alternativas respondeu à altura, sobretudo na defesa, que não trabalhou da maneira habitual. 

 

Alexey veio bem do banco, convertendo 15 tentos, mas não pôde evitar o revés francano (Marcelo Cortes/Flamengo)

 

Dessa maneira, os visitantes apenas foram trocando cestas com o adversário, vendo o duelo escapar pelas mãos em meio a regularidade do clube da Gavea, que usou e abusou da rotação, marca registrada do seu comandante, Gustavinho.

 

Agora a série "migra" para o Ginásio do Pedrocão, palco dos dois próximos confrontos da decisão por conta do time francano ter feito a melhor campanha da primeira fase da competição.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags