Em duelo decidido nos segundos finais, Rio Claro derrota o Bauru

03/08/2019

Era apenas a primeira partida de Rio Claro e Bauru na temporada, mas os rivais fizeram um jogo pra lá de disputado, que só foi decidido nos segundos finais, quando os donos da casa tiveram mais personalidade, consumando o triunfo por 68 a 64, para alegria do torcedor que compareceu ao Ginásio Felipe Karan.

 

Como o placar já indica, os sistemas defensivos prevaleceram no embate. Com muita disposição, as defesas compensaram a falta de ritmo e de entrosamento, naturais no início de trabalho. Tamanho comprometimento fez com que os ataques tivessem ainda mais dificuldades na construção de jogo.

 

E foi justamente por essa vertente que o Leão construiu o resultado. Depois de um início de jogo ruim, em que ficou encaixotado na marcação bauruense, os donos da casa intensificaram a marcação sobre o adversário, que acumulou diversos desperdícios de posse de bola.

 

Com a bola em mãos, os donos da casa aproveitaram a velocidade de Jefferson Campos e de Vinicius Pastor, que vieram muito bem do banco de reservas, para cruzar a quadra e pontuar com facilidade. Quando não conseguia encaixar a saída em velocidade, contou com a mão precisa de Enzo Ruiz.

 

Em seu primeiro reencontro com seu antigo clube, o ala argentino fez valer a famosa "Lei do Ex". Com três bolas certeiras do perímetro e frieza para converter lances livres importantes na reta final da partida, o camisa 30 castigou o Dragão.

 

Em sua estreia pela equipe de Rio Claro, Enzo anotou 20 pontos e foi o cestinha da partida (Victor Lira/Bauru Basket) 

 

Ao final da partida, em entrevista para a Federação Paulista, Enzo foi econômico nas palavras e preferiu dedicar o triunfo ao time atual do que comentar sobre a atuação individual contra sua equipe anterior.

 

"Foi uma grande vitória. É meu ex-time mas agora sou jogador do Rio Claro e tenho que honrar essa camiseta."

 

A fala sucinta de Enzo contrasta com a avaliação feita pelo técnico do Bauru Basket, Demétrius Ferracciú. Por meio da assessoria de imprensa do clube, Dema evidentemente lamentou o resultado mas celebrou o espírito de luta da equipe.

 

 "Fizemos algumas escolher erradas no fim e perdemos o controle do jogo. Mas nossa equipe lutou, todo mundo que entrou se doou ao máximo e é assim que vamos encontrando nossa forma."

 

Sem poder contar com Wiggins, que ainda não chegou ao Brasil, e com Gabriel Jaú, que segue se recuperando de uma lesão no joelho direito, Dema teve de controlar os minutos de seus principais jogadores ao longo da partida tomando cuidado para que o time não perdesse força.

 

De maneira geral, a equipe suportou bem às trocas promovidas pelo técnico, mantendo-se sempre na cola do adversário. No entanto, quando tudo parecia transcorrer conforme o planejado, com o triunfo encaminhado, houve uma grande queda de rendimento que custou o triunfo.

 

Na próxima rodada, será a vez do Bauru atuar dentro de casa. No domingo, às 18 horas, o time recebe o São João da Boa Vista em busca de sua primeira vitória na competição. Na segunda é a vez do Rio Claro voltar as quadras e desafiar o Paulistano, em São Paulo.

 

O JOGO

 

O Bauru começou a partida impondo um forte ritmo defensivo. Com trocas bem ajustadas, os visitantes conseguiram conter as infiltrações do adversário, forçando-o a arriscar bolas de três pontos. Atento na marcação, Crescenzi garantiu inúmeros rebotes defensivos que auxiliaram na saída em transição, com Faggiano organizando o jogo e Renato aparecendo na conclusão das jogadas.

 

Aos poucos, o Rio Claro foi encaixando a marcação em cima do ala-pivô bauruense e, com isso, minando o volume ofensivo do rival. Com a melhora defensiva, os donos da casa ganharam confiança para trabalhar do outro lado da quadra. Liderado por Pedro Teruel e por Enzo Ruiz, o Leão foi descontando a diferença até chegar a virada, em arremesso preciso do ex-jogador do Bauru Basket, 15 a 14.

 

No início do segundo período, os clubes voltaram com uma formação alternativa e os suplentes dos mandantes prevaleceram perante aos meninos da base que compõem o elenco adulto do Dragão. Com muita intensidade defensiva, estancaram a produção da garotada, capturando rebotes defensivos importantes para o time atuar no contragolpe.

 

Com bom controle de bola e cortes rápidos, os bancários do Rio Claro conseguiram romper a defesa bauruense, emplacando uma bandeja atrás da outra. Na tentativa de conter a volúpia do rival, que muitas vezes estava em superioridade numérica, os visitantes pararam o jogo com muitas faltas, colocando o adversário na linha do lance livre. Apesar de desperdiçar algumas cobranças, o Leão foi para o intervalo vencendo por 31 a 28.

 

Debutando com a camisa do Dragão, Faggiano computou 18 pontos e distribuiu 3 assistências (Victor Lira/Bauru Basket).

 

O equilíbrio seguiu presente na segunda etapa. Com Faggiano de volta à cancha, o Bauru Basket teve mais controle da posse de bola e conseguiu machucar a defesa adversária através das jogadas de pick-and-roll entre o armador argentino e o pivô Gabriel Mendes. A dupla, por sinal, ainda capturou dois rebotes ofensivos e, em uma dessas sobras, os visitantes chegaram ao empate.

 

O empate, no entanto, não durou muito temo. Assim que Faggiano deixou a quadra, o Dragão voltou a cometer desperdícios ofensivos, oferecendo três contragolpes consecutivos para o Rio Claro, que aproveitou muito bem as oportunidades com Lucious, Pastor e Jefferson Campos. Imediatamente, Demétrius recolocou o camisa 3 em quadra e foi através das mãos dele que os visitantes igualaram novamente o placar, 48 a 48.

 

A crescente bauruense ficou evidenciada no começo do último período. Com boa leitura de jogo, Faggiano e Crescenzi exploraram a vantagem de estatura e vigor físico de Renato perante a marcação de Márcio Dornelles para trabalhar próximo à cesta. Em uma sequência de bolas de segurança e lances livres certeiros do Cavalo, Bauru retomou a liderança, abrindo sete pontos de diferença.

 

A vantagem deveria dar tranquilidade aos visitantes mas não foi isso que aconteceu. Empurrado pela sua fanática torcida, que compareceu em bom número ao Ginásio Felipe Karan, o Rio Claro sufocou o Dragão, levando-o a tomar decisões equivocadas no ataque. Com a bola em mãos, o Leão teve personalidade para armar suas tramas, consumando a virada em lances decisivos de Enzo Ruiz e Lucious, 68 a 64.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags