Na estreia do Torneio de Lyon, Brasil desbanca a Argentina

15/08/2019

A Seleção Brasileira estreou no Torneio de Lyon com a mão direita. No primeiro confronto do quadrangular preparatório para a Copa do Mundo da China, o Brasil superou a Argentina, pelo placar de 89 a 82.

 

O resultado positivo ganha ainda mais importância pelo que pode representar para a Seleção Brasileira. Mais do que vencer seu grande arquirrival, o Brasil derrotou uma seleção mais qualificada e experiente, que acabou de faturar os Jogos Panamericanos e que alimenta o sonho de uma medalha no mundial.

 

Esse "feito" só foi possível graças à evolução da Seleção Brasileira. Com mais tempo para treinar e podendo contar com jogadores que atuam na NBA e no basquete europeu, Petrovic conseguiu corrigir diversos problemas do sistema de jogo da equipe.

 

O maior deles, sem sombra de dúvidas, diz respeito ao padrão de jogo. Durante as eliminatórias sulamericanas, o Brasil era um equipe extremamente previsível, refém das jogadas de pick-and-roll entre Yago e Varejão.

 

Contra os hermanos, Huertas deu outra dinâmica à seleção. Com muita qualidade no controle de bola e visão de jogo apurada, o armador trabalhou bastante em parceria com Varejão, mas também conseguiu envolver outros companheiros, como por exemplo Vitor Benite, cestinha da Seleção Brasileira com 15 pontos.

 

Atrás, Huertas foi um dos responsáveis por melhorar o sistema defensivo da equipe. Com mais vigor físico e melhor posicionamento dentro de quadra, ofereceu mais resistência ao oponente, obrigando-o a sair de sua zona de conforto, ao conter as infiltrações dos alas da Seleção Argentina.

 

Rivais travaram um jogo disputado e de grande qualidade técnica (Reprodução/CABB) 

 

Quem também correspondeu muito bem na marcação foi Bruno Caboclo. Depois de apresentar certa dificuldade no começo da partida, em função também da qualidade ímpar de Scola, o ala do Memphis se encontrou dentro de quadra e foi fundamental na marcação em cima do ídolo argentino na segunda etapa.

 

Apesar das melhorias significativas nos dois lados da quadra, o Brasil teve dificuldades no jogo de transição. Em partida apagada de Alex Garcia e Didi, dois dos principais jogadores de explosão da equipe, a seleção não conseguiu encaixar muitos contragolpes.

 

Além disso, também sofreu com a saída em velocidade do adversário, sobretudo no terceiro período, quando a Argentina apostou em uma formação com dois armadores (Campazzo e Laprovittola), dando liberdade para Deck percorrer a quadra sem a posse de bola e aparecer apenas nos momentos de definição de jogadas.

 

Por conta disso, a partida permaneceu equilibrada até os minutos finais, quando a Seleção Brasileira teve mais tranquilidade para fechar o jogo. Enquanto a Argentina desperdiçava um lance livre atrás do outro, o Brasil contou com a precisão de Benite para sacramentar o triunfo diante do arquirrival.

 

Pensando na evolução mas também na possibilidade de faturar o Torneio de Lyon, a Seleção Brasileira encara a Seleção Francesa, donos da casa, nessa sexta-feira, às 15:30.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags