Larry brilha e Bauru Basket vence a terceira partida consecutiva

04/09/2019

Uma atuação de outro mundo, digna do apelido de Alienígena que ganhou ainda nos tempos que os jogos do Bauru Basket eram disputados no acanhado Ginásio da Luso, garantiu uma vitória importantíssima para o Dragão seguir vivo na briga por uma vaga direta às quartas de final do Campeonato Paulista.

 

Diante do São José dos Campos, o time bauruense não foi, nem de longe, sombra da equipe que havia dominado o Corinthians. Visivelmente disperso, não teve compactação defensiva para conter o volume de jogo do oponente e poder atuar na transição, onde tem se mostrado letal.

 

Sem o contragolpe à disposição, Faggiano ficou sobrecarregado e a engrenagem bauruense não funcionou. Por mais que Demétrius tenha mudado a configuração da equipe, colocando em quadra até três armadores ao mesmo tempo, o time não dava sinais de reação e a derrota parecia inevitável.

 

Só que o Dragão tem jogadores capazes de modificar o panorama da partida e um deles estava em um dia mágico. Exercendo a liderança que lhe foi atribuída desde que retornou ao time, Larry Taylor colocou a bola de baixo do braço, chamando a responsabilidade.

 

Com bom controle da posse de bola e dribles secos, o armador rompeu a defesa joseense, desafogando o ataque do time local. À medida que o oponente intensificou a marcação em cima do camisa 4, Nick Wiggins apareceu como grande coadjuvante.

 

Com muita frieza, Wiggins matou uma bola de três pontos, a quatro segundos do final de jogo (Victor Lira/Bauru Basket)

 

Em uma reta final de partida iluminada dos estrangeiros, o Dragão conquistou uma virada sofrida, de muita mais transpiração do que propriamente inspiração, como reconhece Larry Taylor, ídolo da equipe.

 

“As vezes as coisas não vão acontecer da maneira que gostaríamos, mas mostramos o nosso coração, a nossa raça e vontade para ganhar o jogo. Lutamos até o último segundo e o Wiggins fez uma cesta de três que nos deu uma vitória importante.”

A euforia dos donos da casa contrastou com a incredulidade do time visitante. Com muita personalidade e organização, a Águia conseguiu anular os principais jogadores do time bauruense e fazer uma partida perfeita do ponto de vista tático.

 

Na frente, Figueredo orquestrou o ataque joseense com muita qualidade. Sabendo o momento certo de imprimir velocidade ou cadenciar o ritmo de jogo, o armador distribuiu deixou seus companheiros em ótimas condições de pontuar, rasgando a defesa do Dragão.

 

Com um vasto repertório ofensivo, o São José mostrou uma grande evolução em relação às últimas partidas. O crescimento da equipe dá uma nova perspectiva para o clube na sequência da competição, já que dentro de uma semana, começam os playoffs.

 

Figueredo mostrou toda sua qualidade ao anotar 18 pontos e distribuir 09 assistências, se aproximando de um duplo-duplo (Victor Lira/Bauru Basket)

 

Por conta disso, o atleta preferiu exaltar a atuação da equipe do que lamentar o resultado negativo, que acaba com as chances da Águia avançar direto às quartas de final.

 

"Foi um lindo jogo, em que os dois times jogaram muito bem, com um ritmo forte, rápido e equilibrado, que poderia ser vencido por qualquer uma das duas equipes. Sabíamos que a vitória era importante em termos de classificação, mas fizemos um grande trabalho e saímos contentes pela atuação."

 

Na última rodada da primeira fase, o São José recebe a equipe do São João da Boa Vista. Diante da lanterna da competição a Águia terá a oportunidade de melhorar seu posicionamento para, quem sabe, ter o mando de quadra nas oitavas de final do torneio.

 

Já o Bauru muda a chavinha. Antes do confronto direto contra o Paulistano, na próxima segunda-feira, o Dragão vai disputar o Torneio Interligas, onde terá pela frente o Basquete Cearense e os argentinos do Boca Júniors e o La Union.

 

O JOGO

 

Bauru Basket e São José travaram um duelo equilibrado do começo ao final da partida. Com a defesa bem posicionada, a Águia conseguiu conter o volume ofensivo dos donos da casa, ganhando confiança para atacar. Escorando a produção ofensiva em cima dos estrangeiros, o time visitante liderou o marcador nos primeiros minutos.

 

Sem espaço na área pintada, Renato espaçou a quadra, liderando a reação bauruense com dois arremessos praticamente consecutivos da linha de três pontos. A sequência do camisa 15 desafogou o ataque do Dragão. Com bom controle de bola, Faggiano colocou Gabriel Mendes em ótimas condições para dar a vitória parcial ao clube da Cidade Sem Limites, 21 a 19.

 

No começo do segundo período, os times voltaram com formações alternativas e o banco de reservas do São José respondeu melhor. Com um quinteto extremamente atlético e de maior estatura, o time visitante retomou o domino da tábua. Em duas jogadas muito parecidas, Sergião entrou no garrafão em progressão e emplacou duas enterradas que deram a liderança do placar ao clube do Vale do Paraíba.

Imediatamente, Demétrius recolocou os titulares em quadra. Apesar do time retomar rapidamente a dianteira, o Dragão não conseguiu ter tranquilidade para fugir da marcação agressiva da equipe de São José dos Campos, pontuando apenas na linha do lance livre. Ao menos, Crescenzi e Lucas Brito tiveram frieza para converter os arremessos, dando uma pequena vantagem aos donos da casa ao final do primeiro tempo, 36 a 30.

 

Com 22 pontos, sendo 13 deles no último quarto, Larry foi o grande nome da partida (Victor Lira/Bauru Basket)


No entanto, a vantagem bauruense foi aniquilada na volta do intervalo. Aliando a compactação defensiva com criatividade e um vasto arsenal ofensivo, a Águia dominou completamente o terceiro quarto. Com direito a infiltrações de Sergião e Duda e arremessos cirúrgicos de Rafael e Figueredo, o time visitante aplicou uma corrida de 15 a 08, virando a partida.

 

Completamente estático e sem inspiração ofensiva, o Bauru só conseguiu reagir graças ao brilho individual de Larry Taylor. Com controle de bola e dribles rápidos, o Alienígena anotou três infiltrações consecutivas, rompendo a defesa joseense e recolocando os donos da casa na dianteira do marcador, 53 a 51.

 

Mas, mais uma vez, o time bauruense voltou mal do tempo técnico. Com falha de comunicação entre os atletas, os donos da casa deixaram uma avenida no miolo de garrafão. Com qualidade de sobra, os gringos de São José dos Campos infiltraram com facilidade, convertendo uma bandeja atrás da outra, o que levou o time a retomar a liderança e se aproximar da vitória.

Só que do outro lado da quadra havia um adversário qualificado e sedento pelo triunfo. Com o quinteto considerado ideal para a sequência da temporada, o Dragão passou um cadeado no garrafão e pouco a pouco foi descontado a diferença, em um show particular de Larry e Wiggins, 76 a 75.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados