Bauru empata a série e decisão fica para o terceiro confronto

23/09/2019

O Bauru Basket segue vivo no Campeonato Paulista. Atuando ao lado do seu torcedor, no Ginásio Panela de Pressão, o Dragão derrotou o São Paulo, por 71 a 68, e empatou a serie de quartas de final em 1 a 1.

 

Como o placar já indica, o duelo foi extremamente parelho e decidido apenas nos segundos finais, com direito à muita emoção e polêmica, uma vez que a arbitragem teve uma atuação pavorosa, cometendo erros que prejudicaram os dois times.

 

Para se ter uma ideia do descontentamento dos visitantes com o trio de arbitragem, Cláudio Mortari precisou ser contido pelos seguranças ao final da partida e os atletas deixaram a quadra sem dar entrevistas, indo diretamente para os vestiários.

 

Mas voltando a falar do confronto em si, prevaleceu o bom trabalho defensivo do time bauruense. Diferentemente do primeiro duelo, disputado na última quinta-feira, os donos da casa se posicionaram melhor na defesa, oferecendo mais resistência ao ataque tricolor, que ficou abaixo de sua média de pontos.

 

A solidez defensiva foi fundamental para compensar a exibição discreta do ataque do Dragão. Sem poder contar com Renato desde o início do duelo, em virtude de um incômodo na coxa direita, e com a lesão inesperada de Larry Taylor no início do segundo quarto, os mandantes perderam dois jogadores importantes no sistema de jogo de Demétrius.

 

Em compensação, o comandante contou com a grande atuação individual do aniversariante Lucas Brito. Com personalidade, o garoto entrou no lugar do Alienígena e foi eficiente nos dois lados da quadra, mudando a história do confronto.

 

No momento de maior dificuldade da equipe, armador apareceu como elemento surpresa (Victor Lira/Bauru Basket)

 

Na defesa, o camisa 6 neutralizou a troca de passes dos armadores do tricolor paulista, conseguindo emplacar roubadas de bola e sair no contragolpe. Além disso, também auxiliou Faggiano a sair da marcação pressão que o rival aplicou no último período. Ao final do duelo, o jogador comentou sobre a noite mágica que viveu.

 

"Hoje foi um dia muito especial para mim. Eu estava trabalhando forte com a equipe durante a semana. Hoje eu tive a oportunidade de entrar e, no dia do meu aniversário, pude fazer meu papel muito bem. Gracas a Deus conseguimos sair com a vitória."

 

A atuação do jovem foi valorizada por Demétrius, que também comentou sobre a possibilidade de perder Larry Taylor por um período grande, já que os primeiros sinais preocupam o departamento médico da equipe.

 

"Ele é um menino de muita personalidade. Mesmo sem ter tido muito minutos de quadra nos últimos jogos, ele seguiu treinando firme porque sabia que quando tivesse uma chance estaria pronto. O Larry vai fazer um exame ainda hoje mas já está praticamente descartada a sua participação amanhã."

 

Com o triunfo conquistado nesse domingo, o time da Cidade Sem Limites empata a serie e força a realização do terceiro e decisivo confronto, marcado já para essa segunda-feira, novamente no Ginásio Panela de Pressão.

 

Quem vencer a partida de amanhã avança às semifinais do campeonato, onde terá pela frente o vencedor da série entre Franca e São José, que também encontra-se empatado em 1 a 1.


O JOGO

 

O São Paulo começou melhor a partida. Com a defesa bem postada o time visitante anulou os principais jogadores do adversário. Na frente, explorou a velocidade de Georginho e Holloway para emplacar infiltrações do lado direito, assumindo o controle das ações nos primeiros minutos do jogo.

 

Com dificuldade para trabalhar no cinco contra cinco, Bauru conseguiu reequilibrar a partida graças a melhora do sistema defensivo. Intensificando a marcação em cima de Jefferson, os donos da casa interceptarem passes e saíram no contragolpe, assumindo a liderança após arremessos de Wiggins e Crescenzi, 19 a 15.

 

No início do segundo tempo, os técnicos promoveram diversas trocas nas equipes. Ganhando cada vez mais tempo de quadra na rotação bauruense, Pará mostrou boa noção de posicionamento e agressividade para capturar rebotes ofensivos e pontuar em bolas de segunda chance.

 

O Dragão só não conseguiu deslanchar no marcador porque o próprio jogador desperdiçou três lances livres consecutivos. Além disso, Jefferson e Jones encaçaparam bolas de três para o Soberano. Nos instantes finais do primeiro tempo, Lucas Brito e Wiggins dividiram o volume ofensivo com o ala-armador, dando uma pequena gordura para os donos da casa, 41 a 33.

 

Com 24 pontos e 13 rebotes, Wiggins anotou seu primeiro duplo-duplo com a camisa bauruense (Victor Lira/Bauru Basket)

 

Mas toda a vantagem bauruense foi aniquilada no começo da etapa complementar. Com lentidão nos dois lados de quadra, os mandantes foram dominados pelo São Paulo, que soube explorar as saídas em velocidade de Georginho e os arremessos de média e longa distância de Renan Lenz para encostar no placar.

 

Preocupado com a possibilidade do duelo ser definido apenas nos segundos finais, Demétrius optou por não pedir tempo técnico, guardando os três que tem direito para o último quarto. Sem as orientações do comandante, o Dragão seguiu perdido dentro de quadra e só não tomou a virada porque Gabriel Mendes protegeu bem a área pintada, 52 a 50.

 

Diante do momento adverso da equipe, Dema se viu obrigado a colocar Renato, mesmo longe das condições físicas ideais, no jogo. Ainda que ele não tenha tido o volume ofensivo que costuma apresentar, foi fundamental no sistema defensivo, preenchendo o garrafão.

 

Com a defesa bem ajustada, o Bauru ganhou confiança para organizar as jogadas de ataque. Cuidando bem da posse de bola, Faggiano deixou Wiggins em ótimas condições no perímetro. Com frieza, o ala canadense converteu dois arremessos de três fundamentais para os donos da casa sacramentarem a vitória, 71 a 68.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados