Franca vence o Corinthians e conquista o bicampeonato paulista

18/10/2019

Pode soltar a voz, torcedor francano! Depois de doze anos, o Ginásio do Pedrocão voltou a ser palco de uma conquista da equipe do Franca Basquete. Depois de perder dois títulos dentro de casa para o Flamengo na temporada passada, o time comandado por Helinho Garcia superou os traumas recentes e se sagrou campeão paulista de 2019.

 

Com o bicampeonato consecutivo, Franca chega a treze títulos estaduais, ficando apenas um atrás do Corinthians, maior vencedor do torneio (Reprodução/Internet)

 

É bem verdade que o cenário da partida desse quinta-feira era bem diferente do que vivenciado diante do rubronegro carioca. Com a vitória conquistada fora de casa, no primeiro combate entre as equipes, a equipe francana entrou em quadra em uma situação mais confortável, já que, em caso de revés, ainda haveria um terceiro duelo.

 

Mas nem por isso, o time do interior paulista encontrou facilidade. Precisando da vitória para manter vivo o sonho de conquistar o campeonato estadual, o alvinegro iniciou melhor a partida. Com bom controle de bola e trocas de passes rápidas, os visitantes conseguiram envolver a defesa francana, anotando uma enterrada atrás da outra.

 

Aos poucos, os donos da casa foram melhorando o posicionamento defensivo, sobretudo na área pintada, que vinha sendo dominada pelo adversário. Ainda que, em um primeiro momento, não tenha conseguido imprimir o jogo de transição, contou com infiltrações precisas de Jimmy e de David Jackson para equilibrar as ações.

 

As investidas dos alas foram apenas um cartão de visitas entregue ao rival. Na volta do intervalo, o Franca fez valer a superioridade técnica e física, pressionando os armadores adversários e imprimindo alta velocidade na saída para o contragolpe, realizados sempre com maior número de atletas francanos.

 

Com consciência tática e experiência de sobra, os donos da casa espaçaram a quadra, de modo que Parodi e Elinho tivessem diversas opções na hora de articular as jogadas. Inteligentes, os armadores atraíram a atenção do oponente para a área pintada, criando espaços para que os seus companheiros tivessem liberdade no perímetro.

 

Bem posicionados, David Jackson, Schattmann, Lucas Dias e Rafael Hettsheimeir converteram um arremesso atrás do outro, protagonizando uma enxurrada de bolas de três pontos que permitiram ao time abrir mais de vinte pontos de vantagem, praticamente selando a vitória no terceiro quarto.

 

Hettsheimeir recebeu das mãos de Hélio Rubens o prêmio de MVP da final (Reprodução/Internet)

 

No último período, o Timão ainda tentou reagir, mas os mandantes tiveram a tranquilidade necessária para cadenciar o ritmo de jogo e administrar o resultado construído na parcial anterior, para delírio da torcida francana. Assim que o cronômetro da partida zerou, milhares de torcedores invadiram à quadra para saudar os seus ídolos.

 

Curiosamente, um dos personagens mais aclamados pela torcida foi o técnico Helinho. Um dos atletas que mais vezes defendeu as cores e que conquistou títulos com a camisa de Franca, sofreu grande pressão por parte da torcida com o início ruim de trabalho em 2018 e por muito pouco não acabou demitido.

 

Aos poucos, Helinho foi amadurecimento, assimilando novos conceitos no plano de jogo da equipe e, na medida que os resultados foram aparecendo, recuperando a confiança do torcedor, que reconheceu a evolução e o comprometimento do comandante à frente do seu clube de coração.

 

Mas essa não foi a única peça pregada pelo destino. Isso porque, nesse sábado as equipes voltam a se encontrar, dessa vez no Ginásio Wlamir Marques, em duelo válido pela segunda rodada do Novo Basquete Brasil.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags