Paulistano dita o ritmo de jogo e vence o Bauru Basket

14/11/2019

O Paulistano conquistou um resultado importantíssimo para seguir brigando pelas primeiras colocações do Novo Basquete Brasil. Nessa quarta-feira, o time comandado por Régis Marrelli não se intimidou com o fato de atuar fora de casa e levou a melhor sobre o Bauru Basket, vencendo o Dragão pelo placar de 82 a 74.

 

Desde os primeiros minutos de jogo, ficou evidente a disparidade tática entre as equipes. Na defesa, o clube da capital paulista demonstrou boa noção de posicionamento para proteger o miolo do garrafão, anulando as infiltrações dos laterais e também o trabalho de pernas de Renato Carbonari e Gabriel Jaú.

 

A solidez defensiva permitiu que o Tigre fizesse o que sabe melhor, sair na transição. Com bom controle de bola e visão de jogo apurada, Solano não encontrou dificuldades para fugir da marcação bauruense e deixar os seus companheiros em ótimas condições de pontuar.

 

Impulsionado pelo desempenho de Solano, Paulistano distribuiu quinze assistências somente no primeiro tempo de partida (Victor Lira/Bauru Basket)

 

Se beneficiando dos passes precisos do ala-armador e do suporte que Yago Matheus deu na construção de jogo, o CAP converteu, nada mais nada menos, que nove bolas de três pontos no primeiro tempo da partida.

 

Enquanto o Paulistano atuava de maneira coletiva, trocando passes até encontrar um companheiro melhor posicionado, o Bauru Basket apresentava pouca lucidez ofensiva e dependia de lampejos individuais de alguns jogadores para evitar que o adversário abrisse uma vantagem ainda maior no marcador.

 

Na volta do intervalo, o time da Cidade Sem Limites voltou com outra postura. Com mais agressividade na marcação e velocidade na troca de passes, os donos da casa conseguiram diminuir o volume ofensivo do adversário e cavar a quarta falta de Solano no jogo.

 

Preservado pelo técnico Régis Marrelli, Solano viu o oponente explorar a sua ausência para virar a partida e assumir o controle das ações, em um quarto onde a equipe bauruense apresentou um equilíbrio maior nos dois lados da quadra, contendo o ímpeto do rival e castigando-o em contragolpes puxados por Faggiano e Samuel.

 

Argentino teve mais uma atuação positiva, convertendo quinze pontos, mas a falta de leitura dos seus companheiros custou outra derrota de virada (Victor Lira/Bauru Basket)

 

Em tese, a liderança deveria dar tranquilidade ao Dragão, mas não foi isso que aconteceu. Muito pelo contrário. Mesmo com uma vantagem próxima dos dez pontos, Bauru acelerou o ritmo de jogo, forçando - mais uma vez - uma grande quantidade de arremessos de três pontos sem sequer trocar passes no ataque.

 

Com isso, os mandantes estacionaram no marcador e deram condições do Paulistano renascer no confronto. Aproveitando os espaços concedidos pela defesa adversária, preocupada exclusivamente com Solano, Victão roubou a cena. Com onze pontos convertidos apenas no último quarto, o ala-pivô tornou-se o grande nome da virada alvirrubra.

 

A vitória conquistada fora de casa veio para premiar uma equipe que teve mais regularidade ao longo do embate e que possui um elenco homogêneo e que possui um poder maior de decisão do que o adversário, como já havia ficado claro nas últimas rodadas, quando o CAP conquistou triunfos fora de casa e o Dragão acumulou derrotas ao lado do seu torcedor.

 

Essa disparidade entre os rivais também pode ser vista na tabela de classificação. Com cinco vitórias em sete jogos, o Paulistano ocupa, agora, a quarta colocação do campeonato, enquanto o time bauruense está apenas na décima segunda posição, com duas vitórias conquistadas em sete partidas disputadas.

 

Embora ainda seja o início de campeonato, o início ruim do Bauru Basket comprometeu mais uma vez o planejamento para a temporada, já que, pelo segundo ano consecutivo, o clube não deve sequer participar da Copa Super 8. 

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo