De virada, São Paulo vence o Bauru Basket e retorna ao G4

09/12/2019

O São Paulo está de volta ao G4 do Novo Basquete Brasil. Nesse domingo, o tricolor paulista superou o Bauru Basket, em pleno Panela de Pressão, pelo placar de 73 a 70. Com o resultado positivo, o Soberano igualou a campanha de Mogi das Cruzes e do Corinthians, ficando à frente do alvinegro pelos critérios de desempate.

 

Mas os visitantes precisaram suar para recuperar a quarta colocação do campeonato. Isso porque o time da capital paulista foi dominado pelos donos da casa no primeiro tempo de partida.

 

Com uma defesa agressiva e colaborativa, o Dragão conseguiu neutralizar a troca de passes do oponente e contestar os arremessos de fora dos principais pontuadores da equipe, que não tiveram liberdade alguma para concluir as jogadas.

 

A melhora do clube da Cidade Sem Limites não ficou restrita apenas a parte defensiva. Apostando em uma formação com dois armadores, os mandantes tiveram bom controle de bola e foram mais felizes na tomada de decisão.

 

Dentre as principais jogadas articuladas da equipe, é preciso destacar as tramas envolvendo Brito e Faggiano, bem como os arremessos precisos de Kevin Crescenzi, que voltou a ter uma boa apresentação após um período negativo com a camisa bauruense.

 

Em meio a tantos pontos positivos, Bauru só não saiu de quadra vencedor porque o time caiu de rendimento na segunda etapa, evidenciando a sobrecarga que os titulares têm acumulado em razão dos inúmeros desfalques somados nas últimas rodadas.

 

Alheio a essa situação, o Soberano imprimiu um ritmo defensivo mais forte, protegendo o garrafão das investidas do adversário e recuperando a confiança para trabalhar a posse de bola no ataque, onde o trio formado por Shamell, Georginho e Leo Meindl brilharam.

 

Usando e abusando do recurso técnico que possuem, a trinca levou ampla vantagem sobre os seus marcadores, levando-os para debaixo da cesta, onde tiveram um bom aproveitamento, desafogando o ataque do tricolor.

 

Mesmo com números inferiores ao de suas médias, Georginho converteu 13 pontos (Victor Lira/Bauru Basket) 


Ao final do confronto, o ala Shamell destacou a importância do triunfo, mas pediu mais concentração ao time para que as dificuldades vivenciadas nessa noite não se repitam nas próximas rodadas.

"Nós relaxamos no início da partida e você sabe como é, quando você não respeita o adversário, o jogo se torna difícil. Mas fico feliz pela nossa briga, pela nossa luta, para sair de quadra com a vitória. Agora é descansar porque temos um grande jogo contra Franca, na terça."

 

Apesar do revés, os donos da casa deixaram a quadra divididos por mais uma derrota sofrida no minuto final do jogo com a perspectiva de dias melhores, como ficou evidente na declaração do técnico Demétrius Ferracciú.
 

"Todo mundo saiu de quadra arrasado porque era um jogo que estava em nossa mão e nós perdemos por detalhes. Claro que no calor da emoção nós ficamos tristes mas a equipe evoluiu muito e isso vai nos dando forças para colhermos bons frutos no futuro."

 

A avaliação do comandante está condicionada também pela possibilidade de poder contar com o retorno de Wiggins e as estreias do armador Cobb e do ala-pivô Drapper diante do Pato, no dia 17 de dezembro.

 

O JOGO

 

O Bauru dominou completamente o primeiro quarto. Com uma defesa agressiva e colaborativa, os donos da casa conseguiram conter a troca de passes do adversário, fazendo com que o rival arremessasse de qualquer maneira para não cometer a violação dos 24 segundos de posse de bola.

 

A solidez defensiva permitiu que o Dragão saísse em velocidade. Com Brito auxiliando na função de realizar a transição ofensiva, Faggiano teve mais liberdade para concluir as jogadas, convertendo dois tiros do perímetro. Além do argentino, Gabriel Jaú também mostrou pontaria calibrada, anotando cinco pontos na área pintada, 25 a 16.

 

O São Paulo voltou melhor para o segundo período. Com dificuldade para articular as jogadas, o tricolor paulista recorreu à individualidade de Jones e de Leo Meindl para desafogar o ataque da equipe e reduzir a vantagem do time bauruense, enquanto o clube do interior descansava os seus principais jogadores.

 

Após o pedido de tempo técnico, Demétrius Ferracciú recolocou os titulares em quadra e o time respondeu rapidamente, protegendo melhor o garrafão e retomando a organização ofensiva. Com bom controle de bola e tomando as decisões corretas, Brito e Crescenzi anotaram onze pontos consecutivos, fundamentais para garantir a manutenção da liderança, 41 a 32.

 

Após cometer a sua quarta falta pessoal, Crescenzi precisou deixar a quadra e fez falta para o Dragão (Victor Lira/Bauru Basket) 

 

O Bauru Basket começou o segundo tempo muito bem. Com a defesa bem postada e soberania nos rebotes defensivos, os donos da casa conseguiram estancar a produção ofensiva do rival e sair no contragolpe, onde explorou muito bem a velocidade de Brito e a mão certeira de Faggiano e Crescenzi para abrir quatorze pontos de frente.

 

Mas a partir desse momento, só deu São Paulo. Impulsionado pelo crescimento de produção do ala Shamell, os visitantes foram diminuindo, pouco a pouco, a diferença construída pelo adversário nas parciais anteriores, terminando o terceiro período com apenas cinco pontos de desvantagem, 55 a 50.

 

No começo do último período, o Dragão teve a oportunidade de esfriar a reação tricolor e recolocar a diferença novamente na casa dos dígitos duplos, mas os mandantes não tiveram tranquilidade para trabalhar próximo à cesta, onde Kurtz levou ampla vantagem sobre Jaú e Renato.

 

A dificuldade em pontuar permitiu que o oponente ganhasse confiança para trabalhar a posse de bola no ataque. Consciente da superioridade física e de estatura de todos os seus atletas, os visitantes trataram de direcionar as ações para dentro do garrafão, onde só foi parado com falta. Com bom aproveitamento na linha do lance livre, o tricolor sacramentou a vitória por 73 a 70.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo