Botafogo vence o Corinthians e conquista a Liga Sulamericana

14/12/2019

O Botafogo conquistou mais um título para a sua galeria riquíssima de troféus. Nessa sexta-feira, o time comandado pelo técnico Léo Figueiró voltou a superar o Corinthians no Ginásio Wlamir Marques, vencendo o terceiro e decisivo duelo da final da Liga Sulamericana, pelo placar de 74 a 70.

 

Jogadores botafoguenses comemoraram muito a conquista da Liga Sulamericana (Reprodução/Consubasquet)

 

O título veio para coroar um trabalho exemplar da diretoria e da comissão técnica botafoguense. Há pouco mais de dois anos, o time retomou as atividades profissionais sonhando apenas com a possibilidade de conquistar o acesso para o Novo Basquete Brasil, principal competição do país.

 

Atenta aos inúmeros exemplos negativos de clubes que não tiveram responsabilidade na utilização do orçamento para a montagem dos elencos, chegando ao ponto de encerrarem as atividades, o Botafogo trabalhou com paciência, dando um passo de cada vez.

O equilíbrio financeiro permitiu que o clube, a cada ano que se passou, fosse mais agressivo no mercado, qualificando a equipe para poder alçar voos maiores em todas as competições que veio a disputar, sejam elas a nível estadual, nacional ou até mesmo internacional.

 

Prova disso é que o clube garantiu a sua participação nessa edição da Liga Sulamericana graças ao desempenho histórico do time na última temporada. Com muita aplicação tática e um ataque extremamente colaborativo, os pupilos de Léo Figueiró desbancaram clubes que possuíam um favoritismo maior, encerrando a sua participação no último NBB na quarta colocação.

Dessa vez não foi diferente. Desde o início da Liga Sulamericana, a equipe carioca apresentou muitas dificuldades, oscilando de rendimento ao longo das partidas, o que, por muito pouco, não gerou uma eliminação precoce na primeira fase da competição.

À medida que os novos jogadores foram assimilando a maneira de atuar, o Glorioso foi ganhando forma e apresentando uma consistência maior, como ficou evidente na classificação heroica conquistada diante do Ciclista Olímpico, na Argentina.

Contra o Corinthians, o time não se comportou muito bem no primeiro combate, mas não se deu por vencido e foi buscar o título fora de casa, silenciando a nação corinthiana com duas apresentações dominantes, dignas de uma equipe campeã.

Assim como no confronto da última quinta-feira, o Fogão imprimiu uma defesa extremamente agressiva na área pintada, minando o volume ofensivo do adversário e criando condições de sair no contragolpe, onde o clube trabalhou com inteligência para assumir o controle de jogo logo nos primeiros minutos.

O domínio botafoguense perdurou praticamente todo o duelo. Somente nos minutos finais de partida que o clube teve dificuldades para se desvencilhar da marcação adversária e viu a diferença construída nos períodos anteriores desaparecer no marcador.

Ainda assim, os atletas tiveram personalidade para conter a reação dos donos da casa e retomar o controle de jogo, sacramentando o triunfo na linha do lance livre, em arremessos precisos de Jamaal, Cauê Borges, Diogo e Du Sommer.

 

Com vinte pontos e cinco assistências, Cauê Borges faturou o prêmio de MVP da decisão (Reprodução/LNB)

 

Além de conquistar um título inédito para a galeria de troféus do clube, o Botafogo também garantiu a sua participação na próxima edição da Champions League de Basquete da Américas, principal competição do continente sulamericano de clubes.

 

O JOGO

 

O primeiro quarto foi completamente dominado pelo time do Botafogo. Promovendo diversas modificações em seu quinteto titular, o técnico Léo Figueiró pegou, mais uma vez, o Corinthians de surpresa. Dentre as novidades propostas pelo comandante botafoguense, Du Sommer foi o principal nome da equipe nos primeiros minutos de partida.

 

Com boa noção de posicionamento, o pivô distribuiu tocos e garantiu rebotes defensivos, protegendo muito bem o garrafão alvinegro e possibilitando que os cariocas saíssem no contragolpe. No ataque, o camisa 17 dividiu o volume ofensivo com Cauê Borges, fazendo com que os visitantes abrissem uma vantagem de nove pontos ao final do período, 21 a 12.

 

O Corinthians voltou para o segundo quarto com outra postura. Consciente da necessidade de melhorar a sua marcação para poder reequilibrar o duelo, os donos da casa aplicaram dobras defensivas em cima dos armadores adversários, dificultando a troca de passes e contendo o ímpeto ofensivo do Glorioso nos primeiros cinco minutos da parcial.

 

A melhora defensiva permitiu que o clube tivesse mais tranquilidade no ataque, diminuindo a desvantagem para apenas cinco pontos após grande sequência protagonizada por Douglas Santos. No entanto, o Timão não soube aproveitar o bom momento, permitindo que o rival voltasse a colocar a diferença na casa dos dígitos duplos através de contragolpes puxados por Cauê Borges e rebotes ofensivos capturados por Lucas Mariano, 41 a 25.

 

Entrada de Du Sommer foi preponderante para o domínio botafoguense no primeiro tempo (Reprodução/Consubasquet)

 

Na volta do intervalo, os donos da casa apresentaram um equilíbrio maior nos dois lados da quadra. Além de imprimir uma defesa mais agressiva, o alvinegro paulista mais teve paciência para trabalhar a posse de bola no ataque, explorando a pontaria afiada de Fuller e a velocidade de raciocínio de Teichmann para cortar a diferença para nove pontos.

Aos poucos, o Botafogo foi encontrando uma maneira de confrontar a defesa paulista. Com qualidade técnica apurada e entrosamento afiado, Coelho e Lucas Mariano deram uma aula de pick-and-roll, infiltrando com muita facilidade para desafogar o ataque botafoguense e recolocar a diferença na casa dos dígitos duplos, 58 a 44.

 

Em desvantagem no marcador, o Corinthians veio para o último período para o tudo ou nada. Sem outra alternativa, o Timão imprimiu uma defesa extremamente agressiva sobre os armadores do adversário, conseguindo manter o ataque botafoguense zerado por mais de cinco minutos.

 

Nesse período, os donos da casa contaram com o crescimento de produção de Ricardo Fischer e Wesley Castro para buscar o empate, incendiando o Ginásio Wlamir Marques. No entanto, nos minutos finais do confronto, o Glorioso teve mais tranquilidade para trocar passes, receber faltas e consumar o triunfo na linha do lance livre, com arremessos precisos de Jamaal, Diego e Du Sommer, 74 a 70.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags