De virada, Franca desbanca o Flamengo e fatura a Copa Super 8

11/01/2020

O trauma foi superado. Depois de perder as duas últimas decisões nacionais para o time do Flamengo, a equipe do Franca Basquete desbancou o rubro-negro, em plena Arena Carioca, pelo placar de 77 a 73, e conquistou o título inédito da Copa Super 8.

 

Franca aniquilou o fantasma que tinha em relação ao oponente e fez a festa na Arena Carioca 1 (Bruno Lorenzo/NBB)

 

Para se sagrar campeão do Super 8 e colocar um ponto final na hierarquia dos cariocas, os paulistas tiveram de ter muita força mental. Isso porque, após um início de partida promissor, os visitantes encontraram muitas dificuldades e passaram grande parte do confronto em desvantagem no marcador.

 

A dificuldade encontrada no decorrer do jogo foi decorrente da participação discreta dos armadores na construção ofensiva da equipe. Monitorado de perto pelos adversários, Parodi e Elinho não conseguiram envolver os seus companheiros, deixando o ataque francano completamente dependente de lampejos individuais de Lucas Dias e Rafael Hettsheimeir.

 

Enquanto o jovem ala-pivô se destacou pela precisão milimétrica nas bolas de três pontos, tendo convertido as quatro que tentou, o camisa 30 concentrou o volume ofensivo dentro do garrafão, onde tirou proveito do seu vigor físico e da sua qualidade técnica para desequilibrar o confronto na etapa complementar.

 

Não à toa, o pivô francano faturou o prêmio de MVP da final, desbancando Léo Demétrio, que veio muito bem do banco de reservas, se tornando a válvula de escape da equipe rubro-negra ao anotar quinze dos seus dezessete pontos somente em arremessos da zona morta, onde encontrou liberdade.

 

Quando o ala-pivô teve marcação mais ajustada, o Mais Querido não encontrou alternativas para manter o ímpeto ofensivo e viu a diferença construída nos períodos anteriores ir embora em um piscar de olhos, para desespero do torcedor rubro-negro, que compareceu em bom número na Arena Carioca 1.

 

À medida que a torcida local foi deixando o palco da partida, a equipe do Franca Basquete recebeu as medalhas e o troféu da Copa Super 8, título que eleva a confiança do clube para a sequência da temporada e dá o direito do time paulista participar da próxima edição da Champions League de Basquete das Américas.

 

O JOGO

 

O Franca Basquete dominou completamente os primeiros minutos da partida. Disposto a eliminar o trauma de perdas de títulos para o rubro-negro nas últimas finais, os paulistas iniciaram o confronto imprimindo forte marcação em cima de Franco Balbi. Com o argentino vigiado de perto pelos defensores francanos, os visitantes contiveram o ímpeto ofensivo do adversário.

 

A segurança defensiva permitiu que os comandados de Helinho atuassem na transição, onde tiveram consciência para selecionar os arremessos, explorando a pontaria afiada de Lucas Dias e as infiltrações de Jimmy e Hettsheimeir. Somente nos minutos finais do primeiro período, que os donos da casa conseguiram ter alguma efetividade, diminuindo o prejuízo parcial em arremessos de Balbi e Olivinha, 19 a 13.

 

O cenário da partida mudou completamente no segundo quarto. Com personalidade, Marquinhos exerceu a liderança que possui dentro do clube, liderando o Mais Querido a uma reação avassaladora. Com bom controle de bola e agressividade em direção à cesta, o ala da Seleção Brasileira rasgou a defesa francana, convertendo arremessos de média distância e deixando os companheiros completamente livres.

 

Dentre os mais beneficiados pela visão de jogo apurada do camisa 11,  Léo Demétrio foi quem teve maior protagonismo, anotando duas bolas de três pontos da zona morta, que ajudaram os mandantes a assumirem a liderança e também o controle das ações, indo para os vestiários com oito pontos de vantagem no marcador, 44 a 36.

 

No começo do segundo tempo, as equipes tiveram uma queda significativa no rendimento. Por mais que a movimentação ofensiva tenha sido bem feita, envolvendo as defesas adversárias, os atletas acabaram pecando na conclusão das jogadas, fazendo com que o marcador não se alterasse muito nos primeiros minutos da parcial.

 

Diante das dificuldades encontradas, os times recorreram às jogadas de segurança para voltar a pontuar e partirem em busca dos seus objetivos. No entanto, o período permaneceu equilibrado, já que a cada arremesso certeiro de Léo Demétrio, Rafael Hettsheimeir respondia prontamente, pontuando através do belo trabalho de pernas que realizou dentro da área pintada, 63 a 56.

 

Com 28 pontos anotados e 08 rebotes capturados, Hett recebeu o prêmio de MVP da decisão do campeonato (Bruno Lorenzo/NBB) 

 

Apesar do Flamengo ter vantagem no marcador, foi o Franca quem apresentou mais tranquilidade ao longo do último período. Com dois armadores dividindo a articulação da equipe, David Jackson teve mais liberdade no ataque, tendo papel importante na hora de acionar Hettsheimeir em jogadas de pick-and-roll.

 

Dominante dentro do garrafão, o pivô francano conduziu sua equipe a virada, a pouco menos de três minutos para o final de jogo. Nos instantes finais, os donos da casa tiveram algumas oportunidades de retomar a liderança, mas Deryk e Marquinhos desperdiçaram os arremessos e o oponente não teve a menor dificuldade para sacramentar a vitória e conquistar o título, 77 a 73.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo