Em noite histórica de Betinho, Pinheiros derrota o Mogi

26/01/2020

Quem compareceu no Ginásio Henrique Villaboim, para acompanhar a partida entre Pinheiros e Mogi das Cruzes, no dia do aniversário da cidade de São Paulo, presenciou o melhor jogo da temporada do Novo Basquete Brasil.

 

Mesmo com elencos mais enxutos do que os principais favoritos à conquista da competição, os adversários demonstraram toda a sua força, apresentando um vasto repertório ofensivo e mantendo a intensidade durante todo o confronto, que acabou decidido apenas na prorrogação, com o triunfo dos donos da casa, por 110 a 106.

 

Durante grande parte do confronto, o time pinheirense teve um ligeiro domínio das ações. Isso porque a equipe da casa contou com a noite iluminada de Betinho para impor o seu ritmo de jogo, machucando a defesa mogiana, que nada pôde fazer para conter o volume ofensivo do ala-armador.

 

Com bom controle de bola e dribles rápidos para se desvencilhar da marcação do oponente, o camisa 26 criou o seu próprio arremesso, tanto para bolas de três pontos (7/10), quanto em infiltrações que lhe renderam jogadas de bonificação, em lances de cesta e falta.

 

Dos 46 pontos anotados por Betinho, 24 foram na reta final de partida (Reprodução/NBB)

 

A volúpia ofensiva fez com que o jogador entrasse para a história do Novo Basquete Brasil, ao igualar os números de Riddick, se tornando o terceiro jogador com mais pontos em uma única partida, ficando atrás apenas de Marcelinho Machado (63) e Many Quezada (50).

 

Mas não foi apenas Betinho quem brilhou. Os mandantes contaram ainda com mais uma atuação segura do armador Bennett, do garoto Buffat e do ala-pivô Marcus Toledo, corroborando a importância do seu quinteto titular para a campanha positiva que a equipe vem fazendo no campeonato.

 

Todos esses elementos deveriam garantir uma vitória tranquila para os comandados de César Guidetti, não fosse uma atuação extremamente eficaz do Mogi das Cruzes. Em mais um jogo em que teve disciplina tática e comprometimento total, os visitantes endureceram a parada, para delírio dos fãs do esporte.

 

Depois de um começo ruim, em que o time ficou refém da individualidade de Danilo Fuzaro, a Jaguatirica foi ganhando corpo, graças à uma composição com dois armadores (Fúlvio e Lucas), que passaram a cuidar melhor da bola, potencializando a participação de André Góes e de Alexandre Paranhos na conclusão das jogadas.

 

Esses aspectos permitiram que o clube assumisse a liderança e tivesse a oportunidade de sacramentar a vitória, mas os jogadores pecaram na linha do lance livre e viram o Pinheiros se recuperar, confirmando a vitória após um final de jogo eletrizante.

 

Com a vitória conquistada no embate paulista, o time pinheirense manteve a quinta colocação na tabela de classificação, com doze vitórias em dezoito rodadas, se aproximando do próprio Mogi das Cruzes, que ocupa a quarta colocação, com onze triunfos em dezesseis partidas realizadas.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados