Minas se sobressai no segundo tempo e vence o Bauru

07/03/2020

O Minas segue firme e forte na briga por uma vaga no G4 do Novo Basquete Brasil. Nesse sábado, a equipe comandada pelo técnico Léo Costa foi até o interior paulista e derrotou a equipe do Bauru Basket, por 94 a 84, em confronto válido pela vigésima quinta rodada do campeonato nacional.

 

Como esperado, o confronto entre os clubes foi de altíssimo nível técnico, que faz jus aos elencos, recheados de jogadores de muita qualidade e versatilidade, aspecto que propicia aos comandantes diversas variações táticas, que modificaram a história do jogo ao longo de toda a partida.

 

Assim que a bola subiu, ficou evidente a preocupação bauruense em tirar o volume de jogo de Leandrinho, que vem exercendo a armação mineira por conta da lesão óssea sofrida pelo armador Davi Rosseto, que ainda tem minutagem reduzida já que tem utilizado uma proteção na região do rosto.

Com uma formação mais atlética, o Dragão conseguiu preencher os espaços na área pintada e minimizar o impacto do atleta, seja através das assistências, quanto em relação às infiltrações, que rotineiramente, o camisa 19 costuma anotar.

 

Essa compactação permitiu que os donos da casa tivessem confiança para trabalhar a posse de bola na quadra de ataque, onde o time buscou as bolas de segurança através das jogadas individuais de Wiggins e da predominância de Draper e Gabriel Jaú no garrafão.

 

Apesar de todos os pontos positivos, os mandantes não conseguiram transformar a superioridade em uma vantagem consistente no marcador porque um velho conhecido do torcedor local teve a sua melhor apresentação com a camisa minastenista.

 

Ala da Seleção Brasileira anotou 31 pontos e desequilibrou o duelo (Victor Lira/Bauru Basket) 

 

Com personalidade e qualidade técnica de sobra, Alex Garcia chamou a responsabilidade e liderou a reação dos visitantes, desafogando o ataque oponente com muitos lances de três pontos, tanto através dos arremessos do perímetro, quanto em infiltrações seguidas de falta.

 

De ponto em ponto, o Brabo ascendeu o clube mineiro, que passou a defender melhor na segunda etapa, onde ficou evidente a superioridade física dos visitantes, uma vez que tem mais opções no banco de reservas e conseguiu manter a intensidade no decorrer dos quarenta minutos.

 

Dessa maneira, o Minas Tênis Clube anulou a participação de Wiggins na etapa complementar e Bauru não encontrou alternativas para retomar o volume de jogo, sendo facilmente combatido em situações de cinco contra cinco, que renderam contragolpes rápidos, anotados por Jackson Jr e Gui Deodato.

Ao final da partida, Alex comentou sobre a importância de ter um elenco extenso e experiente, sobretudo em confrontos parelhos, que acabam decididos nos detalhes, e também sobre o seu reencontro com o torcedor bauruense, que nutriu uma idolatria pelo atleta por conta da história construída pelo Brabo na Cidade Sem Limites.

 

"Na hora da decisão nosso time marcou melhor e escolhemos melhor as jogadas na quadra de ataque, construindo uma vantagem segura no placar. Me sinto em casa, bateu uma saudade de olhar a torcida na arquibancada. O Panela de Pressão foi minha nos últimos cinco anos e eu fui muito feliz aqui."

Além disso, o triunfo fora de casa pode ser fundamental para o Minas terminar a primeira fase na quarta colocação, posição que permitiria ao clube se garantir diretamente nas quartas de final da competição. Atualmente o time minastenista ocupa a quinta colocação, com dezesseis vitórias em vinte e cinco jogos.

 

Enquanto a vitória pode impulsionar a campanha do Minas, a derrota pode comprometer e muito as pretensões do Bauru na temporada, já que a equipe acumula duas derrotas consecutivas dentro de casa, como bem lembra Faggiano.

 

"As derrotas nos prejudicam muito. Estamos brigando com outros times para terminar dentre os oito primeiros e essas duas derrotas podem custar caro. Mas temos de seguir trabalhando e evoluindo para terminar na melhor colocação possível e chegar nos playoffs vivendo um bom momento."

Com os dois revés em sequência, o Dragão caiu da sétima colocação para a décima segunda posição, com onze vitórias em vinte e quatro rodadas realizadas.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags